Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Genealogia Capixaba

Árvore Genealógica Filhos do Casal Sobreira (Joaquim e Maria)

Árvore Genealógica  Filhos do Casal Sobreira (Joaquim e Maria)

Família Lofiego (ou Lofêgo)

Família Lofiego (ou Lofêgo)

Francesco Lofiego foi o primeiro a "descobrir o Brasil", vindo de Castellucio Superiore, província de Potenza, na Itália, em 1875. Gostou tanto do clima europeu e das possibilidades comerciais que vislumbrou em Villa do Rio Pardo (Iúna-ES), que mandou chamar sua família: Rosa D´Amico Lofiego e seus três filhos Giuseppe, Bráz eNóbila, que chegaram em 1879.

Árvore Genealógica

Árvore Genealógica

(Baseada no trabalho "Lofiego Lofêgo 1875 a 1998" de autoria de Luciana Botelho Bonnemasou).Contribuiu com a árvore de Nóbila, Ângela Bueno.

Família Sobreira

Família Sobreira

Árvore Genealógica

Família Giuberti

Família Giuberti

Os primeiros Giuberti a chegar ao Espírito Santo, vindos de Mantova, na Itália, por volta de 1888, foram o casal ANSELMO GIUBERTI, com 36 anos e VIRGÍNIA TROMBINI, com 33 anos.

Famílias Azevedo e Azeredo

Famílias Azevedo e Azeredo

Família Azevedo O nome pode confundir-se com o de Azeredo, mesmo porque as duas famílias viveram no Espírito Santo, foram contemporâneas e se conjugaram através de matrimônios. Ambas, outrossim, eram de origem lusitana.

Família Melo Coutinho

Família Melo Coutinho

É de remota ascendência. Vamos partir, no entanto, de Martim Afonso de Melo, que foi avô de Vasco Fernandes Coutinho, primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo. Casou com Leonor Barreto e dela teve três filhos, sendo que um deles foi precisamente Jorge de Melo, o Lages, progenitor de Fernandes.

Genealogia de Maria Ortiz

Genealogia de Maria Ortiz

Maria Ortiz (1603-1646) Maria Ortiz teria nascido em Vitória, a 14 de setembro de 1603, filha dos imigrantes espanhóis Juan Orty y Ortiz e Carolina Darico. Esses imigrantes teriam chegado ao Espírito Santo em 1601, em uma das várias levas migratórias promovidas por Felipe II (1598-1621), à época da União Ibérica (1580-1640).

Família Paredes

Família Paredes

Começa no Espírito Santo com o emigrante português Manoel de Paredes da Costa, o qual aportou em Vitória nos idos de 1608, e ali residiu até 1618, pelo menos. Contraiu matrimônio na mesma com Guiomar Rodrigues, filha de seus patrícios João Gomes Leitão e Maria Duarte, naturais de Lisboa. Eram todos cristãos-novos, conforme se infere do processo de Agostinho de Paredes, senhor de engenho no Rio de Janeiro, e que, em 1714, foi preso por judaísmo e remetido à Inquisição.