Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Genealogia Capixaba

Genealogia dos Donatários do ES

Genealogia dos Donatários do ES

Em 1535, Vasco Fernandes Coutinho toma posse da capitania do Espírito Santo, doada por D. João III, no ano anterior, exercendo a donataria desta data até falecer em c. de 1561. Era filho de Jorge de Melo e Branca Coutinho. Casou-se, ainda em Portugal, com Maria do Campo, da qual teve três filhos, que não tiveram descendentes. Já no Brasil...

Família Lofiego (ou Lofêgo)

Família Lofiego (ou Lofêgo)

Francesco Lofiego foi o primeiro a "descobrir o Brasil", vindo de Castellucio Superiore, província de Potenza, na Itália, em 1875. Gostou tanto do clima europeu e das possibilidades comerciais que vislumbrou em Villa do Rio Pardo (Iúna-ES), que mandou chamar sua família: Rosa D´Amico Lofiego e seus três filhos Giuseppe, Bráz eNóbila, que chegaram em 1879.

Família Giuberti

Família Giuberti

Os primeiros Giuberti a chegar ao Espírito Santo, vindos de Mantova, na Itália, por volta de 1888, foram o casal ANSELMO GIUBERTI, com 36 anos e VIRGÍNIA TROMBINI, com 33 anos.

Famílias Azevedo e Azeredo

Famílias Azevedo e Azeredo

Família Azevedo O nome pode confundir-se com o de Azeredo, mesmo porque as duas famílias viveram no Espírito Santo, foram contemporâneas e se conjugaram através de matrimônios. Ambas, outrossim, eram de origem lusitana.

Família Melo Coutinho

Família Melo Coutinho

É de remota ascendência. Vamos partir, no entanto, de Martim Afonso de Melo, que foi avô de Vasco Fernandes Coutinho, primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo. Casou com Leonor Barreto e dela teve três filhos, sendo que um deles foi precisamente Jorge de Melo, o Lages, progenitor de Fernandes.

Genealogia de Maria Ortiz

Genealogia de Maria Ortiz

Maria Ortiz (1603-1646) Maria Ortiz teria nascido em Vitória, a 14 de setembro de 1603, filha dos imigrantes espanhóis Juan Orty y Ortiz e Carolina Darico. Esses imigrantes teriam chegado ao Espírito Santo em 1601, em uma das várias levas migratórias promovidas por Felipe II (1598-1621), à época da União Ibérica (1580-1640).

Família Paredes

Família Paredes

Começa no Espírito Santo com o emigrante português Manoel de Paredes da Costa, o qual aportou em Vitória nos idos de 1608, e ali residiu até 1618, pelo menos. Contraiu matrimônio na mesma com Guiomar Rodrigues, filha de seus patrícios João Gomes Leitão e Maria Duarte, naturais de Lisboa. Eram todos cristãos-novos, conforme se infere do processo de Agostinho de Paredes, senhor de engenho no Rio de Janeiro, e que, em 1714, foi preso por judaísmo e remetido à Inquisição.