Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A História do Jornal O DIÁRIO

A História do Jornal O DIÁRIO

Com a chegada da ditadura militar, Edgard dos Anjos assumiu o jornal. Ele então era tido como esquerdista...

A maria-fumaça sai de cena

A maria-fumaça sai de cena

Na década de 40, no governo de Getúlio Vargas, surgiu a Companhia Brasileira de Mineração e Siderurgia, que incorporou a EFVM. 

Tratado de Washington

Tratado de Washington

Minério exportado por Vitória ajuda esforço de guerra dos aliados

Serviço Nacional de Recenseamento

Serviço Nacional de Recenseamento

Eis o ofício que foi, pelo Exmo. Sr. Interventor, endereçado aos Srs. Prefeitos em 21 de fevereiro de 1940

Publicidade dos anos 40

Publicidade dos anos 40

Propaganda dos anos 40 em Revista Vida Capichaba

Teatro Melpômene

Teatro Melpômene

A construção foi iniciada no dia 14 de dezembro de 1895, pelo Governo Moniz Freire (1892-1896), no antigo largo da Conceição (atual Costa Pereira), no local onde está hoje o Hotel Império, na entrada da Rua 7 de setembro, esquina com Graciano Neves.

A História da Consagração a Nossa Senhora do Rosário

A História da Consagração a Nossa Senhora do Rosário

Gether Lima, grande pesquisador da história da Igreja do Rosário, relata como se deu no mundo a Consagração a Nossa Senhora do Rosário

Academia Capixaba dos Novos

Academia Capixaba dos Novos

Em 1940, um grupo de amigos de Vitória resolveu abrir uma agremiação literária. Assim,  surgiu a Academia Capixaba dos Novos.

Fotos Antigas

Fotos Antigas

Veja mais fotos de Vitória e Vila Velha na década de 70.

R A R I D A D E

R A R I D A D E

O livro de Pêro de Magalhães de Gândavo - Tratado da Província do Brasil teve como seu impressor António Gonçalves que foi o impressor da primeira edição de Os Lusíadas, de Luís de Camões em 1572. Começou a trabalhar na oficina de Germão Gallhardo mas em 1566 já possuía tipografia própria em Lisboa, à Costa do Castelo. Trabalhou até 1576, tendo executado entre outras, obras de Jerónimo Osório e Pero Magalhães Gândavo.A folha de rosto da História da Província de Santa Cruz tem um pórtico com o título e um brasão de armas com as iniciais J. L. do gravador Jerónimo Luis.