Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

A força de um plano – Governo Christiano Dias Lopes

A força de um plano – Governo Christiano Dias Lopes

Não é demais relembrar a dependência econômica do Espírito Santo da monocultura cafeeira

Espírito Santo, um Estado rico

Espírito Santo, um Estado rico

Cícero Moraes, em seu livro Geografia do Espírito Santo, afirma que os climas capixabas podem ser definidos em função das altitudes

Revistas capixabas: design gráfico capixaba no acervo da BPES

Revistas capixabas: design gráfico capixaba no acervo da BPES

Em 2010, iniciou-se pesquisa do Núcleo de Identidade Gráfica Capixaba, Nigráfica, quando se realizou estudo gráfico de revistas elaboradas e impressas na Grande Vitória e dedicadas ao público capixaba entre 1910 e 2010

Panorama da cultura capixaba

Panorama da cultura capixaba

O historiador Renato Pacheco explica que o Estado passou 350 anos fechado a qualquer tipo de progresso

A escravidão negra e sua abolição – Por João Eurípedes Franklin Leal

A escravidão negra e sua abolição – Por João Eurípedes Franklin Leal

Um dos pontos culminantes das revoltas escravas no Espírito Santo foi a Insurreição do Queimado

A Imigração no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

A Imigração no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

A entrada de imigrantes europeus representou a maior transformação social e econômica que o Espírito Santo passou

De Santa Cruz à Vitória/RJ – Por Auguste François Biard ( Final)

De Santa Cruz à Vitória/RJ – Por Auguste François Biard ( Final)

Vários assuntos me prenderam no Rio de Janeiro mais de um mês. Não encontrei, porém, mais, ali, nenhum motivo de distração: nem passeios que tentei fazer pela cidade nem estudos de costumes pelos seus arredores

De Volta a Santa Cruz – Por Auguste François Biard ( Parte VI)

De Volta a Santa Cruz – Por Auguste François Biard ( Parte VI)

Imensos mangues, cujas raízes desenham arcos, avançando pela água salgada, a perder de vista como uma extraordinária inundação

Ao encontro da Surucucu – Por Auguste François Biard (Parte V)

Ao encontro da Surucucu – Por Auguste François Biard (Parte V)

Eu estava em presença, pela primeira vez, de uma terrível surucucu, serpente venenosíssima