Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Serious Game - Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 104

Serious Game -  Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 104

Por quê a Igreja de São Gonçalo é a preferida das noivas?

Como era Vila Velha

Como era Vila Velha

A cidade de Vila Velha tinha ruas estreitas, arenosas. Não possuía calçamento, nem rede de esgoto, nem água encanada

Serious Game - Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 103

Serious Game -  Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 103

Por quê o nome "Viaduto Caramuru"?

Serious Game - Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 102

Serious Game -  Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 102

Quem é o autor da frase: "Para viver bem, tem que ser Paris ou em Vila Velha"?

Serious Game - Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 101

Serious Game -  Cultura Geral do Espírito Santo - Rodada 101

O hotel de Sr. João Nava, na Rua Vasco Coutinho (Rua do Convento da Penha) foi utilizado inicialmente para dar apoio as atividades de implantação de que órgão?

Arquitetura Moderna Capixaba

Arquitetura Moderna Capixaba

Conheça aqui algumas obras do arquiteto Élio Vianna, um dos pioneiros da arquitetura moderna no Espírito Santo.

Estranhos hábitos Portugueses

Estranhos hábitos Portugueses

É bom lembrar que entre os portugueses, como a maioria dos europeus sem exceção, até o começo do século XVIII ou um pouco mais, o hábito do banho não era cultivado quanto mais entre os serviçais

Visita de D. Pedro II ao Espírito Santo

Visita de D. Pedro II ao Espírito Santo

As embarcações ancoradas, embandeiraram-se e formaram em alas, no intuito de facilitar-se a passagem da esquadrilha até o ancoradouro e o trânsito até o desembarque no Cais das Colunas

Naufrágio em frente à Ilha da Baleia

Naufrágio em frente à Ilha da Baleia

Confira abaixo a história sobre um navio que afundou perto do Morro do Moreno, na baixa localizada em frente à Ilha da Baleia na região do Morro do Moreno

O Nilo Brasiliense

O Nilo Brasiliense

De nove de agosto de 1836 o decreto imperial que concedia “à Companhia formada em Londres por João Diogo Sturz o Privilégio Exclusivo da Navegação do Rio Doce por meio de barcos a vapor, ou de outros superiores que se descobrirem”