Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Zé Pereira

O Zé Pereira

Precedendo o Carnaval, semanas antes, puxados por animadas bandinhas, os "Zé Prereira" percorriam à noite as ruas da cidade acompanhados por pessoas fantasiadas de "sujo"

A exportação de farinha pelo Porto de São Mateus

A exportação de farinha pelo Porto de São Mateus

Pelo quadro, constatamos claramente que o norte da província continuou sendo um grande exportador de farinha de mandioca. Praticamente 100% da produção capixaba era pelo Porto de São Mateus

Palácio das Águias

Palácio das Águias

A Barra do Itapemirim, em Marataízes, é um antigo núcleo de povoação fundado no ano de 1771 pelos portugueses 

Os desenhos do Príncipe de Wied

Os desenhos do Príncipe de Wied

Só agora me chegou às mãos o livro de excertos e ilustrações relativo à Viagem ao Brasil, empreendida por Maximiliano, Príncipe de Wied, nos anos de 1815-1817

História de Itaúnas

História de Itaúnas

Quem caminha sobre as dunas de Itaúnas, entre o mar e a região alagada pelo rio, está passeando sobre a história de uma vila que foi, aos poucos, sendo coberta pela areia fina até desaparecer

200 Anos da chegada da Família Real

200 Anos da chegada da Família Real

Em 2008, estamos completando 200 anos da chegada da Família Real portuguesa ao Brasil, liderados por D. João VI e D. Carlota Joaquina 

Apresentação - Insurreição do Queimado

Apresentação - Insurreição do Queimado

Tão recuada quanto em qualquer parte do Brasil quinhentista onde se institucionalizou o sistema fundiário das capitanias é a presença do escravo negro no Espírito Santo

Inventário de Escravos

Inventário de Escravos

Em 1935, o grande juiz espírito-santense que foi Nilson Feydit, teve a feliz ideia de requisitar de seu colega de Cachoeiro de Itapemirim todos os processos ali arquivados 

Os meandros da prática política estadual

Os meandros da prática política estadual

Utilizamos, como suporte para desenvolver o assunto, dois dos principais jornais espírito-santenses editados à época. O primeiro se chamava Diário da Manhã. O segundo, se denomina A Gazeta

Peroás e Caramurus

Peroás e Caramurus

A Ladeira do Fogo recebeu o nome de “Caramuru”, por servir de acesso ao Convento de São Francisco