Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Literatura e Crônicas

Newton Braga e Ribeiro Couto - Por Levy Rocha

Newton Braga e Ribeiro Couto - Por Levy Rocha

O passamento de Ribeiro Couto, em Paris, três anos atrás, avivou-me a lembrança de outro poeta, da mesma escola penumbrista, o nosso Newton Braga

Um antigo morador do Caxoeiro - Por Levy Rocha

Um antigo morador do Caxoeiro - Por Levy Rocha

Se pudéssemos encontrar outros documentos da fazenda desse imigrante suíço, quantas luzes viriam aclarar a história do Caxoeiro

Tropas: um tema para poesia – Por Ormando Moraes

Tropas: um tema para poesia – Por Ormando Moraes

As tropas e os muares, sobretudo representados na figura do burro, constituíram, em seu tempo, um tema poético

Kallima

Kallima

Ali perto, Diná andava pela calçada, entre outros travestis. Com as unhas pintadas de vermelho vivo combinando com o batom, a mini-blusa de malha apertada sobre o short comprado na Vila Rubim

Capixabas, modéstia à parte

Capixabas, modéstia à parte

Agora estou no Parque Moscoso, cercado de casarios centenários, passo pelo Dominó, ambiente de "responsa", que abrigou em suas mesas a juventude transviada dos anos 60

O capixabíssimo peroá – Por Francisco Aurélio Ribeiro

O capixabíssimo peroá – Por Francisco Aurélio Ribeiro

O peixe comido pelo povo capixaba e os turistas que nos visitam no verão é o capixabíssimo peroá, peixe que nunca vi fora daqui

Reminiscências – Por Rubem Braga (Crônicas — 1947-1951)

Reminiscências – Por Rubem Braga (Crônicas — 1947-1951)

As quatro crônicas aqui reunidas falam de coisas do Espírito Santo, província natal do autor

Nos caminhos da montanha - Por Roberto Mazzini

Nos caminhos da montanha - Por Roberto Mazzini

O sino da estação já bateu e o trem vem chegando. Vem se aproximando manso e com suas fumaças controladas dentro do poderoso peito de ferro da locomotiva

O galo matou a onça – Por Hermógenes Lima Fonseca

O galo matou a onça – Por Hermógenes Lima Fonseca

No quarto crescente, dando para a lua cheia, é noite de ouvir estórias de véio Isidoro

Quase cromo – Por Roberto Mazzini

Quase cromo – Por Roberto Mazzini

Reina a paz neste pedaço do estado do Espírito Santo e vou dormir rodeado por folhas, árvores e bichos