Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Literatura e Crônicas

Pedra do Sapo

Pedra do Sapo

Poesia de Ezequiel Ronchi Netto, dedicada à Pedra no Sapo, formação rochosa da Praia da Costa, na Sereia. Veja!

A Menina e o Desembargador - Por: Marilena Soneghet

A Menina e o Desembargador - Por: Marilena Soneghet

A menina saiu em disparada para o Parque Moscoso. O copado "fícus" abrigava o banquinho vazio

Porto - Escritos de Vitória

Porto - Escritos de Vitória

Morava na Beira-Mar e, muitas vezes, percorria os olhos em direção ao Porto. Algumas coisas me intrigavam, a vida dos embarcadiços, as estórias de contrabando, as mensagens escritas nas pedras, os marinheiros do Bar Scandinávia, as prostitutas

Maria Ortiz: mea culpa...

Maria Ortiz: mea culpa...

Espírito Santo, perdoe-me, pois errei. Confesso: parte da culpa é minha, se a Caprichosos de Pilares “rebaixou” Maria Ortiz à condição de prostituta

Um cordão de ouro - Por TANECO

Um cordão de ouro - Por TANECO

José sempre foi um menino tímido, igual a muitos outros garotos que nascem e morrem por falta de recursos, sem carinho nem amor, não podendo realizar seus sonhos de criança

O lugar mais bonito do Espírito Santo

O lugar mais bonito do Espírito Santo

Fiquei estupefato com a beleza do vale do Limo Verde, aos pés da Serra do Caparaó, entre os municípios de Ibitirama, Divino de São Lourenço e Dores do Rio Preto

Recepção festiva ao Des. Augusto Botelho

Recepção festiva ao Des. Augusto Botelho

A varanda, lugar onde passávamos grande parte do nosso tempo. Comprida, revestida de ladrilhos claros, com enfeites coloridos, sempre limpos, brilhantes e bem cuidados...

Imagens Coloridas - Por Eny Botelho

Imagens Coloridas - Por Eny Botelho

Na entrada de nossa casa, à direita, junto ao muro, um canteiro de violetas, muita sombra e umidade, lugar ideal para o cultivo das delicadas flores

Em busca do mar

Em busca do mar

Chegar à Praia da Costa lá pelos idos dos anos 40 e 50, saindo de Vila Velha, sede, teria que se enfrentar uma longa caminhada difícil, ao mesmo tempo, prazerosa e cheia de encanto.

Ainda há sol, ainda há mar - Por Rubem Braga

Ainda há sol, ainda há mar - Por Rubem Braga

Dezembro, 1999 (um ano antes da morte do cronista). Publicado no livro “Um Cartão de Paris”