Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Personalidades Capixabas

Oposição a Lindenberg - Gil Vellozo

Oposição a Lindenberg - Gil Vellozo

Quando falava sobre o prefeito de Vila Velha, Tuffy Nader, não perdia oportunidade de mencionar o quanto Carlos Lindenberg estava sendo ingrato com o colega de partido

Decepção com o golpe - Gil Vellozo

Decepção com o golpe - Gil Vellozo

Antes de ter um mandato, Gil Vellozo difundia seu pensamento político em diversos jornais, inclusive O Continente, editado por ele em Vila Velha

Gil Vellozo - Início da militância política

Gil Vellozo - Início da militância política

Quando o regime militar de 1964 extinguiu os partidos, Gil Vellozo era o presidente estadual da UDN

Paulo Amorim

Paulo Amorim

"Saí para a pesca, como fazia habitualmente todos os sábados e também uma vez durante a semana. Era dia 29 de fevereiro de 1992, sábado de carnaval..."

Gil Vellozo - Jornalista aos 14 anos

Gil Vellozo - Jornalista aos 14 anos

"Quantas vezes o encontrei sobraçando pesados pacotes de O Continente para entregá-los nas bancas de jornal. Trabalho hercúleo de um idealista incomparável. Milagre de fé e de esperança em dias melhores. Mas até hoje ninguém conseguiu entender como Gil Vellozo, em sua extrema pobreza, conseguia manter em circulação O Continente " 

Gil Vellozo - Prefeito de Vila Velha

Gil Vellozo - Prefeito de Vila Velha

Antônio Gil Vellozo foi Prefeito Municipal de Vila Velha, eleito para o mandato de 1955 até 1959, e foi um dos poucos que deixou relatório de atividades

O menino Gil Vellozo - Por Renato Pacheco

O menino Gil Vellozo - Por Renato Pacheco

O dia 13 de fevereiro de 1930 amanheceu com sol forte, típico dia de verão. O adolescente Antônio Gil Vellozo, de 13 anos, acordou contente. É que o pai, o provecto professor Luiz Adolfo Thiers Vellozo...

Élio Vianna

Élio Vianna

Projetou cerca de 50 escolas, entre elas o Colégio Estadual em Vitória, seguindo o estatuto modernista: uso de pilotis e implantação de espaços de convivência 

Maria Ortiz, heroína inesperada

Maria Ortiz, heroína inesperada

O prazer de Maria Ortiz era rolar pela ladeira do Pelourinho dentro de uma ancoreta vazia. Tinha nove anos nessa época. Seu pai, o espanhol Juan Orty y Ortiz, veio para o Espírito Santo em 1621

Afonso Cláudio folclorista – Por Ester Abreu

Afonso Cláudio folclorista – Por Ester Abreu

Apresenta-se como um crítico competente e, segundo o professor Estilaque Ferreira dos Santos, um criador da identidade negra no Espírito Santo