Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Guarapari, terra de muitas histórias

Ruínas da Igreja Nossa Senhora da Conceição em Guarapari - Foto: Walter de Aguiar Filho, abril/2012

A história de Guarapri teve início em meados de 1569, quando o padre José de Anchieta, acompanhado do governador-geral Mem de Sá, visitou o litoral do Espírito Santo.

Após ter sido o fundador de várias vilas, o beato decidiu construir uma capela no morro mais alto, com vista para o mar. Em 1585, somente 16 anos depois, ao retornar a Guarapari, Anchieta inaugurou a pequena igreja dedicada a Sant'Anna e ao Sagrado Coração de Jesus, com a apresentação do auto em Tupi, escrito por ele mesmo, que falava de Pirataraka, um índio que falecera na época.

Vendo que a capela edificada por Anchieta estava arruinada, em 1677 o donatário da capitania, Francisco Gil de Araújo, mandou construir uma igreja dedicada a Nossa Senhora da Conceição, o que hoje são as ruínas no centro da cidade, tombadas pelo patrimônio histórico. A igreja não chegou a ser concluída devido a um incêndio.

Em 1751, o padre Antônio Siqueira de Quental reformou a igreja inaugurada pelo beato e mudou a padroeira de Sant'Anna para Nossa Senhora da Conceição, conhecida atualmente como igreja matriz velha. Quental era o proprietário de duas grandes fazendas, doadas pela Coroa Portuguesa em 1642, após a morte do antigo dono Marcos Fernandes Monsanto.

 

Fonte: A Gazeta - Especial Guarapari ,18/09/2005
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2012



GALERIA:

📷
📷


História do ES

A insurreição do Queimado

A insurreição do Queimado

Surpresa sobremodo desagradável foi a insurreição de negros escravos, que explodiu no distrito do Queimado em 1849

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Minha FICHA - Por Eurico Resende

Sempre admiti que a partir de certo momento do primeiro governo revolucionário, não tinha a estabilidade da simpatia do "Sistema"

Ver Artigo
Carta de doação – Limites da capitania

Em Évora, a primeiro de junho de 1534, D. João III apôs sua real assinatura à carta de doação a Vasco Fernandes Coutinho

Ver Artigo
Juízes de direito na Província do Espírito Santo

Reunimos, pois, sob a forma de uma sinopse, aquilo que pode demonstrar à evidência a província do Espírito Santo, baseando assim em documentos e em trabalhos de própria lavra e que aqui descrevemos

Ver Artigo
Carta patente dada ao capitão de Infantaria, Francisco de Albuquerque Teles, e por el-rei D. Pedro, 1696

1696. Carta patente dada ao capitão de Infantaria, Francisco de Albuquerque Teles, e por el-rei D. Pedro, em que se provia[m] seus serviços na ilha do Funchal e na capitania de Cabo Frio, dando dela notícias históricas de muito valor

Ver Artigo
Colher de prata que D.Pedro II lançou na Lagoa Juparanã em 1860

Na ocasião, o monarca almoçou na atual Ilha do Imperador, onde, após o almoço, colocou alguns objetos em uma garrafa de champanhe e a jogou na água

Ver Artigo