Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Nossos heróis

Cabo Aylson Simões, Expedicionário Aquino Araújo e outros combatentes de guerra

Dos 60.000 brasileiros que seriam colocados à disposição dos Aliados nas frentes de batalha contra as forças nazi-fascistas, apenas 26.500 homens desembarcaram na Itália. Metade nunca necessitaram sair dos seus acampamentos. Para isso era necessário um adestramento prévio e adaptação às técnicas do exércio americano, senhor das operações e estratégias de guerra, ao qual cabia o Alto Comando do Mediterrâneo, na Itália.

Lembramos dos nomes de alguns dos expedicionários de Vila Velha que partiram com destino à Itália: capitão Walter Alcântara, Vavá para os íntimos, muito estimado pelo seu caráter e conduta impecáveis; Major Fraga, popularmente chamado Fraguinha e recentemente falecido, e que apesar de ferido, não deixou o front; sargento Aylton de Barros, já falecido, canela-verde da gema e filho de Antônio Pereira de Barros e de dona Celina; soldado Antônio, conhecido como Antônio Feijoada, um senhor goleiro nos meios esportivos vila-velhenses, também falecido; capitão Calu, ainda são e forte; e o falecido tenente José Trindade que, tendo deixado o exército, tornou-se um rábula do direito, muito competente e respeitado nos meios forenses.

Dentre os heróis capixabas mortos no anfiteatro da Segunda Guerra Muncial, doze ao todo, 2 eram canelas-verde: o sargento Aquino Araújo e ao cabo Aylson Simões, ambos jovens e representantes de etnias predominantes no Brasil - a negra e a branca.

O cabo Aylson Simões se especializara na localização e desativação de minas. À frente da tropa e com outros batedores ia explorando o terreno, tendo conseguido gloriosos feitos, além de salvar a vida de muitos dos seus companheiros de campanha nessa espinhosa e difícil missão. Já afeito a tão altos riscos depois de tantas incursões e confiando em sua experiência, foi surpreendido, na famosa tomada de Monte castelo, por uma dessas traiçoeiras minas, tombando heroicamente.

Mas a batalha tinha que prosseguir. Nessa mesma ofensiva, à frente dos seus comandados marchava o 3º sargento Aquino Araújo, que procurava desalojar o inimigo entrincheirado e fortemente armado, recebendo então uma rajada de metralhadora que o jogou por terra. O inimigo se denunciara ao abater o valente soldado, dando com isso chance aos comandados do sargento, que assim teriam recuado e preparado nova ofensiva, desta feita com sucesso.

 

Fonte: Ecos de Vila Velha, 2001
Autor: José Anchieta de Setúbal
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2013

História do ES

Assembleia Provincial

Assembleia Provincial

Após o Ato Adicional, o primeiro resultado prático da independência do Brasil, para as Províncias, foi indubitavelmente, a instalação das Assembleias Legislativas, eleitas pela soberania popular

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo