Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Vitória entre as década de 40 a 70

Av. Vitória, década 1940

Desde o princípio, Vitória foi palco das transformações políticas do Estado. Com o fim da Segunda Guerra, o encerramento da Era Vargas e a posse do general Eurico Gaspar Dutra, o Espírito Santo conheceu seu primeiro governador eleito, Carlos Lindemberg (1947-1950), que saneou as finanças estaduais.

Depois dele, Jones dos Santos Neves (1951-1954) criou a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), aparelhou o Porto de Vitória, construiu um cais de carvão, realizou a dragagem da Baía de Vitória e outras obras. Ambos tinham ligação com os democratas. O primeiro ajudou a fundar o Partido Social Democrático (PSD). O segundo era ligado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Francisco Lacerda de Aguiar (1954-1958) venceu as eleições seguintes, suspendendo o PSD do centro das decisões, temporariamente, pois, ao fim de seu mandato, Carlos Lindemberg (1959-1962) voltaria ao poder, que entre 1963 e 1966 retornaria paras as mãos de Aguiar.

O golpe militar de 1964 também refletiu fortemente por aqui. Se de um lado as conquistas econômicas foram grandes, do outro foram impostas todas as limitações democráticas possíveis e impossíveis. Os governantes trabalharam em sintonia com o poder nacional, na tentativa de desenvolver uma imagem positiva do Espírito Santo nos círculos federais.

Entre as décadas de 60 e 70, a erradicação dos cafezais e as oportunidades de trabalho surgidas com a instalação dos projetos portuário e siderúrgico, que o governo federal destinou ao Espírito Santo, atraíram a migração para a Cidade.

 

Fonte: A GAZETA 450 ANOS

Especiais

Arte que não se perde

Arte que não se perde

O artista plástico Celso Adolfo consegue “salvar” obra do mosaísta Raphael Samú. O mosaico seria demolido

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VI

Em 1530 partiu de Lisboa Martim Afonso de Souza, comandando uma esquadra composta de cinco navios, que vinha ao Brasil guardar as suas costas 

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte IV

A 8 de outubro de 1515, João Dias de Solis, pela segunda vez, era autorizado por D. Fernando de Castela e Aragão a explorar toda a costa sul do Brasil

Ver Artigo
Ano de 1552 e 1553– Por Basílio Daemon

Afonso Brás nunca mais de lá saiu nem aqui voltou, e tendo ali falecido, foi enterrado no Colégio de São Tiago que ele como outros fundaram   

Ver Artigo
Estudo Introdutório ao livro de Daemon – Por Estilaque Ferreira dos Santos

Foi Basílio Daemon quem de fato levantou pela primeira vez, e de forma consequente, a problemática da “descoberta” inicial do Espírito Santo

Ver Artigo
Agapito - Por Sérgio Figueira Sarkis

Agapito, nos idos tempos das décadas de 30 e 40, era uma figura folclórica de Vitória. Pau pra toda obra!

Ver Artigo