Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Irmandade de São Gonçalo Garcia – Por Serafim Derenzi

Prospecto e planta da Villa da Victoria e Planta da barra [2]

A Irmandade de São Gonçalo Garcia, constituída de "homens pretos", obtém provisão eclesiástica, em 1818, para construir a Igreja de São Gonçalo Garcia, provavelmente no local onde existia uma capela com a invocação do Santo. Na planta de Vitória, levantada em 1767, já figura a igreja, antecipada de um cemitério. Algum oratório tosco e casa onde se reunia a humilde congregação de escravos devotos. Singela, de arquitetura pobre, foi totalmente reconstruída em 1929, com auxílio do presidente Aristeu Aguiar. É o último testemunho da arquitetura colonial de Vitória. Veneremo-la com respeito histórico.

A homenagem que a cidade tributa a Francisco Alberto Rubim, guardando-lhe o nome no bairro fronteiro à Ilha do Príncipe, das mais justas nos anais do Município.

Deve-lhe o Estado tributo maior. Mas os governos tornam-se cada vez mais usurários em resgatar dívidas, de qualquer natureza, quanto mais as reclamadas pela história, que não vota e não adula.

 

Fonte: Biografia de uma ilha, 1965
Autor: Luiz Serafim Derenzi
Compilação: Walter de Aguiar Filho, março/2017



GALERIA:

📷
📷


História do ES

A Tribuna de Anchieta

A Tribuna de Anchieta

Domingo, 3 de fevereiro de 1889. Nessa data, começou a circular, em Anchieta, um periódico semanal: A Tribuna

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Minha FICHA - Por Eurico Resende

Sempre admiti que a partir de certo momento do primeiro governo revolucionário, não tinha a estabilidade da simpatia do "Sistema"

Ver Artigo
Carta de doação – Limites da capitania

Em Évora, a primeiro de junho de 1534, D. João III apôs sua real assinatura à carta de doação a Vasco Fernandes Coutinho

Ver Artigo
Juízes de direito na Província do Espírito Santo

Reunimos, pois, sob a forma de uma sinopse, aquilo que pode demonstrar à evidência a província do Espírito Santo, baseando assim em documentos e em trabalhos de própria lavra e que aqui descrevemos

Ver Artigo
Carta patente dada ao capitão de Infantaria, Francisco de Albuquerque Teles, e por el-rei D. Pedro, 1696

1696. Carta patente dada ao capitão de Infantaria, Francisco de Albuquerque Teles, e por el-rei D. Pedro, em que se provia[m] seus serviços na ilha do Funchal e na capitania de Cabo Frio, dando dela notícias históricas de muito valor

Ver Artigo
Colher de prata que D.Pedro II lançou na Lagoa Juparanã em 1860

Na ocasião, o monarca almoçou na atual Ilha do Imperador, onde, após o almoço, colocou alguns objetos em uma garrafa de champanhe e a jogou na água

Ver Artigo