Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A liberdade de um povo

Chico Prego - Herói da Liberdade, Serra - ES

Um fato marcou Vitória em 1849. Uma revolta de escravos colocou a cidade como a única entre as capitais do Brasil a registrar uma reação negra. No caso, no distrito de Queimados, que na época, estava sob a jurisdição de Vitória. Um frei italiano, o franciscano Gregório de Bene chegou ao vilarejo de Queimado e achou por bem construir uma igreja em honra a São José.

Convocou os habitantes, entre eles donos de escravos, e estes colocaram os negros a seu serviço. Durante a execução da obra da igreja, frei Gregório prometeu a liberade aos operários escravos. Eles se emplogaram com o discurso do religioso. Com a inauguração, em 19 de março de 1849, a alforria não veio.

Os negros reagiram. Comandados por Elisário, Chico Prego e João da Viúva, resolveram obter a liberdade na marra. Eles se organizaram em grupos armados, mas a polícia da província os massacrou dois dias depois. Quarenta e um rebeldes foram presos. Os líderes, executados. A revolta, apesar de fracassada, mostrou a coragem e a ânsia de liberdade de um povo.

 

Fonte: A Gazeta - Vitória 450 anos
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2012

 

Links Relacionados:

 Lembranças de Victoria
 Crônica de Victoria 
 Victoria 

Matérias Especiais

Mercado São Sebastião

Mercado São Sebastião

Construído em 1949 para abrigar verdureiros, peixeiros e açougueiros, o Mercado São Sebastião, em Jucutuquara, está sendo reformado pela Prefeitura de Vitória para se transformar em um centro de referência do artesanato capixaba.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Jerônimo Monteiro - Capítulo II

Na foto ilustrativa, o casal Francisco de Sousa Monteiro e Henriqueta Rios de Sousa, pais de Jerônimo Monteiro (fim do séc. XIX). APEES — Coleção Maria Stella de Novaes

Ver Artigo
Saudações - Fernando Antonio de Oliveira

Carta endereçada ao escritor Walter de Aguiar Filho, autor do livro "Krikati, Tio Clê e o Morro do Moreno", pelas lembranças que nos traz sobre Vila Velha de outrora e pelo alerta sobre a identidade e cultura do canela-verde. Confira!

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VIII (FINAL)

Cristóvão Jaques foi o único que fez reconhecimentos e assentou padrões, conforme estão de acordo todos os cronistas e historiadores, estando por isso provado ser ele o primeiro que reconheceu a costa da província do ES

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VII

Com a chegada e desembarque, na província do Espírito Santo, do donatário Vasco Fernandes Coutinho, a 23 de maio de 1535, temos finalizado a notícia dos navegantes que tocaram ou não nas costas desta província

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte III

Conclui-se, afinal, que o navio em que viera Diogo Álvares (Caramuru) não ultrapassou a baía de Todos os Santos, onde naufragara

Ver Artigo