Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Toponímia Itapemirim - Por Levy Rocha

Capa do Livro de Levy Rocha

Nos mais antigos mapas do Brasil o rio Itapemirim vem assinalado por vezes como: Tapemery, Tamimiri, Itapemeri e outras variantes. Encontramos a significação do vocábulo em alguns tupinólogos e embora já aceita a definição: ita, pedra; , caminho; mirim, pequeno, ou: itapé, laje; mirim, pequena, queremos deixar escrito que essa explicação não nos convence.

Gonçalves Dias, em seu “Dicionário da Língua Tupi”, publicado em 1858, traduz os vocábulos: , como caminho e mirim, pequeno e define: Itá Bubui, pedra pomes; Itá Guaçu, penedo; Ita Juba, ouro; Ita Oca, parede de pedra; Ita Tyba, pedreira, mas não cita Itapemirim nem a pedra que tem a “singular conformação de um dedo”: Itabira.

Procuramos, em vão, os dois vocábulos nos mais velhos e empoeirados “pais dos burros”.

Um cientista, auxiliar do Museu Nacional, Dr. Basílio Furtado, descrevendo o itinerário duma viagem que fez à província capixaba, no ano de 1875, contesta a corrente opinião dos etimologistas que assim definiam a palavra Itapemirim: “Pedras pequenas no caminho ou no leito. Ita-pe-mirim”. E, critica: “Esta interpretação nos parece insustentável, não só porque as pedras que juncam o seu leito não são todas pequenas, existindo de todos os tamanhos e algumas até colossais, formando barreiras e ilhotas em grande número, o que nos leva a crer que Itapemirim não se compõe dessas palavras, mas sim das seguintes: I-tapera-mirim. Rio das taperas pequenas (hirundo tapera, Linn.), espécie de andorinhas muito comuns nas suas margens, ou também tomando tapera por casa velha, abandonada”. O cientista tupinólogo acrescenta que a primeira explicação “não só força o sentido como vai buscar aliunde um termo que não existe no tema” e não nos satisfez com a sua etimologia.

Martius, o sábio-viajante alemão, no seu “Glossário dos índios do Império do Brasil”, editado em 1863, destrincha Itapé (vila do Espírito Santo): ita, pedra; , caminho, e se omite na complementação do vocábulo que denomina o nosso rio. Mas, ao estudar a designação de um povoado do Maranhão: Itibiri, Ita Ibiri, “pedra ao longo do rio”, parece fornecer o melhor caminho para uma explicação de outro nome: Itabira...

 

Fonte: De Vasco Coutinho aos Contemporâneos, 1977
Autor: Levy Rocha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2012 

Cidades do ES

Guarapari, rios pequenos e importantes

Guarapari, rios pequenos e importantes

Os mananciais que formam a bacia de Guarapari têm manguezais, passam em área de preservação e são essenciais ao abastecimento

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Iconha surge de Benevente - Por Luciana Maximo

Era um pequeno povoado, com casas muito simples, feitas de madeira, onde é Piúma, haviam mais pessoas

Ver Artigo
Iconha

O Município de Iconha, localizado na BR 101, região de montanha do ES, teve início nas povoações de Piúma, no vale do rio Orobó, fundadas pelo Padre José de Anchieta

Ver Artigo
Iconha - Crônica de Rubem Braga (1951)

Mas Iconha me encanta pelo seu milagre pastoril. A pracinha é dominada por um morro alto, muito verde, cortado diante de nós por um talude de terra vermelha

Ver Artigo
A política e o coronelismo em Iconha - Por Luciana Maximo

O Jornal conversou com Aldieris Braz Amorim Caprini, que cedeu alguns artigos de sua tese de mestrado que descreve com detalhes a história política do município de Iconha

Ver Artigo
Vila do Riacho - Por Maurilen de Paulo Cruz

A origem da Vila do Riacho se situa em 1800, quando foi instalado um quartel na confluência dos Rio Riacho e Comboios, pelo Capitão-mor Antônio Pires da Silva

Ver Artigo