Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Anchieta - Símbolo da fé no Brasil

Símbolo de fé no Brasil

O município de Anchieta foi onde o beato José de Anchieta deu seus primeiros passos no Espírito Santo.

A cidade começou como uma aldeia indígena da tribo Reritiba, fundada pelo então padre Anchieta, em 1561.

Além do trabalho de catequização dos índios, também foi em Anchieta, para onde o padre se mudou definitivamente em 1587, que ele produziu grande parte de sua obra literária e dramática, sendo considerado o pioneiro na literatura nacional.

Nascido em 1534, em La Laguna de Tenerife, nas Ilhas Canárias, José de Anchieta estudou na Universidade de Coimbra e veio ao Brasil em 1553, para auxiliar a Companhia de Jesus, em São Paulo.

Lá, o padre dedicou-se à alfabetização dos filhos dos colonos e dos índios, sendo o primeiro professor brasileiro. Desde então, começou a estudar a língua indígena, chegando a escrever uma gramática e um vocabulário tupi.

Em 1589, foi nomeado superior da Província do Espírito Santo, onde ficou até sua morte, em 1597. Antes disso, percorreu o litoral capixaba, catequizando os índios. Em junho de 1980, o padre foi beatificado pelo papa João Paulo II, por causa de vários milagres atribuídos a ele. Hoje, um grupo luta pela canonização.

Todos os anos, andarilhos percorrem os 105 quilômetros entre os municípios de Vitória, Vila Velha, Guarapari e Anchieta, pelo litoral, refazendo o caminho que o beato percorreu no Estado. A maioria deles se une no evento organizado pela Associação Brasileira dos Amigos dos Passos de Anchieta (Abapa).

O beato se tornou símbolo da catequese no Brasil e referência por suas contribuições literárias, inclusive com poesias e obras teatrais, que usava nas pregações aos nativos, tendo produzido também um dicionário de tupi/guarani.

Com a expulsão da Companhia de Jesus das terras portuguesas em 1759, a aldeia de Reritiba se tornou a Vila Nova de Benevente.

O local cresceu a partir da chegada dos italianos, pelo porto de Benevente, entre os anos de 1874 e 1895. Além do município de Anchieta, a vila também deu origem aos municípios Alfredo Chaves, Piúma e Iconha.

Rio na história da imigração

O rio Benevente foi caminho de entrada para as primeiras colônias de italianos que chegavam ao sul do Estado. Buscando terras para plantio e fugindo do ataque de índios, eles subiam o rio para se fixarem nos vales mais altos, onde hoje está Alfredo Chaves.

A colonização do município de Alfredo Chaves começou no século XIX por portugueses, quando Dom Pedro II doou ao guarda de honra da corte, o português Augusto José Álvares e Silva, 500 alqueires de terra.

De acordo com registros históricos da Prefeitura de Anchieta, quando o português morreu, a mulher dele doou parte das terras para os escravos que não tinham moradia, e a área passou a ser chamada de “Povoado de Nossa Senhora da Assumpção”. Mais tarde, com a chegada dos jesuítas a Benevente (atual Anchieta), passou a ser chamado de “Povoação de Nossa Senhora da Conceição”.

Os italianos chegaram em1877. Eles subiam o rio em canoas até o povoado de Alto Benevente. Alguns europeus, com medo do ataque dos índios, continuaram subindo o rio, para se instalarem em uma área mais elevada, batizada de Vila de Todos os Santos.

 

Fonte: A Tribuna, Suplemento Especial Navegando os Rios Capixabas – Rios de Guarapari, Rio Benevente e Rio Novo  09/09/2007
Expediente: Joel Soprani
Subeditor: Gleberson Nascimento
Colaborador de texto: Flávia Martins
Diagramação: Carlos Marciel Pinheir
Edição de fotografia: Sérgio Venturin
Autor: Gleberson Nascimento
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2016 

Religiosos do ES

Inacianos trabalham sempre

Inacianos trabalham sempre

Os intervalos de paz eram eficientemente aproveitados, principalmente pelos jesuítas

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Belezas naturais na Bacia Hidrográfica do Rio Benevente

A natureza foi generosa com os municípios que formam a Bacia do Rio Benevente. Em seu curso, estão belas cachoeiras e um famoso litoral, que movimentam o turismo de aventura, o ecoturismo e o agroturismo

Ver Artigo
Rios Iconha e Novo: união faz a diferença

Da junção dos dois rios surge o Piúma, que desempenha papel fundamental na sobrevivência dos pescadores da região

Ver Artigo
Guarapari, rios pequenos e importantes

Os mananciais que formam a bacia de Guarapari têm manguezais, passam em área de preservação e são essenciais ao abastecimento

Ver Artigo
Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Benevente mostra resultados

O comitê do rio Benevente é o primeiro do Estado a iniciar a discussão para elaboração de um plano de bacia

Ver Artigo
José de Anchieta e o Espírito Santo

O jesuíta visitou mais de uma vez o Espírito Santo quando em trabalho de inspeção aos colégios dos padres e seminários de instrução

Ver Artigo
Anchieta, Cultura e Santidade

Ele veio para o Brasil com 19 anos, na companhia do segundo governador-geral, Duarte da Costa 

Ver Artigo
O Poço de Anchieta – Por Maria Stella de Novaes

Sofria a população de Iriritiba, ou Reritiba, e suas vizinhanças as conseqüências de forte e prolongada estiagem

Ver Artigo
Anchieta e Balleur – Por Levy Rocha

Realidade ou invencionice, verdade é que tão grande e admirável se tornou a vida do taumaturgo que ela não se transforma com esse episódio

Ver Artigo