Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1825 – Por Basílio Daemon

Linhares nos anos 60

1825. Por desinteligências havidas entre o juiz ordinário e capitão-mor suscita-se grande motim na vila de Benevente, tendo por consequência haver no dia 16 de janeiro, depois da missa conventual, o juiz ordinário Antônio Rodrigues Cardoso mandado prender por seu escrivão ao capitão-mor Francisco Xavier Pinto Saraiva, que aí se achava, que, vendo que era preso indubitavelmente, gritou à Tropa de Linha e à de Milícia, comandada pelo alferes Inácio Loiola de Assunção, pedindo a ela auxílio para não ser ultrajado, sendo pela mesma tropa resguardado e conduzido à casa, onde ficou preso e guardado por dois milicianos por assim o capitão-mor ter requerido.

Idem. Pelo governo da província, em 25 de janeiro deste ano, à vista das sindicâncias feitas em Benevente pelo ouvidor da comarca José Libânio de Souza, que ali fora daqui para esse fim, é ordenado que se conservasse suspenso do comando da tropa daquela vila o capitão-mor Saraiva até chegarem ao conhecimento do governo geral os motivos que deram lugar à prisão feita pelo juiz ordinário Cardoso. O capitão-mor Saraiva era exato cumpridor de seus deveres, o que lhe fez angariar inimigos. Um dos atos sucessivos à chegada do ouvidor à vila de Benevente foi empossar novo juiz ordinário, segundo ordem que recebera do governo, por ter concluído o tempo daquele juizado Antônio Rodrigues Cardoso.

Idem. Segue para [a] Corte a 26 de fevereiro deste ano, por mandado do presidente Inácio Acióli de Vasconcelos, o jovem João Luís da Fraga Loureiro, filho do sargento-mor Luís da Fraga Loureiro, que tendo alguns estudos e muito talento era enviado ao ministro Luís José de Carvalho e Melo para o apresentar a S. M. o imperador, a fim de ser recomendado para França, onde ia concluir seus estudos em qualquer universidade, sendo toda a despesa feita por conta do referido sargento-mor Loureiro.

Idem. Chega a este porto no dia 25 de março deste ano a fragata inglesa Diamond trazendo a seu bordo Sir Carlos Stuart, que foi recebido com todas as formalidades devidas a tão alto personagem; saltando à tarde em terra, foi-lhe oferecida uma ceia opípara e no dia seguinte (26) um lauto jantar, de que ficou muito penhorado. A fragata Diamond só demorou-se neste porto dois dias, tendo seguido viagem no dia 27 do dito mês.

Idem. Neste ano representa o ouvidor da comarca em data de 21 de maio, contra o comandante das armas tenente-coronel Fernando Teles da Silva, com quem andava em conflito e em dissensões não pequenas, causando esse fato abalo à população pelas represálias havidas de parte a parte. Sabedor disto o comandante das armas representa também no mesmo dia 21 de maio contra o ouvidor, dando esses fatos graves motivos a que baixasse o alvará de 30 de setembro do mesmo ano em que foram sustentados os atos do tenente-coronel Fernando Teles, trazendo isso o sossego à capital, que durante esse tempo esteve continuamente sobressaltada, pelo exemplo havido no conflito com o mesmo ouvidor José Libânio e o coronel Julião.433

Idem. É dado neste ano princípio, pelo sargento-mor Manoel José Esteves de Lima, no município hoje do Cachoeiro de Itapemirim, à abertura de uma estrada de comunicação com a província de Minas Gerais, a qual, estando a concluir-se e achando-se o mesmo sargento-mor Manoel José Esteves de Lima ocupado nos sertões com alguns índios puris nesse trabalho, foi atacado pelos índios botocudos, de que resultou a morte de três índios, sendo feridos muitos, e aprisionados uma índia e um pequeno, perseguindo-se o restante da horda, que desapareceu.

Idem. Oferece neste ano o capelão da antiga capela dos extintos jesuítas, padre Francisco Ribeiro Pinto, a sua côngrua em benefício das despesas do Estado; o que foi imitado por muitas outras pessoas, como se vê dos registros existentes.

Idem. No dia 1º de outubro deste ano desaba uma furiosa tempestade na povoação de Linhares, acompanhada de um medonho furacão e uma tremenda chuva de pedra que durou muitos minutos, tendo causado prejuízos enormes, abatido nove casas, arruinado muitas outras, arrancando parte da cumeeira da torre da Matriz e o telhado, derribado grande porção de mato e matando alguma criação, ferindo a algumas pessoas, causando grande pânico e pesar à população.

Idem. É publicado um extenso bando a 25 de outubro deste ano, em consequência do tratado de amizade e reconhecimento do império do Brasil pelo reino de Portugal, havendo nesta capital grandes regozijos como em toda a província já com iluminações, já com festejos e Te Deums.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2018

História do ES

Por que Canela-Verde?

Por que Canela-Verde?

O nome canela-verde era dado exclusivamente ao cidadão nascido na sede de Vila Velha, estendendo-se hoje para os de todo o município. O termo canela-verde tem sua origem nos portugueses 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1854 – Por Basílio Daemon

Falece no Riacho e é conduzido seu cadáver para a vila de Santa Cruz, onde foi enterrado, o naturalista francês Dr. João Teodoro Descourtilz   

Ver Artigo
Ano de 1853 – Por Basílio Daemon

Brás da Costa Rubim, filho do governador Francisco Alberto Rubim, se propunha à oferecer-lhe quatrocentos volumes em livros e cadernos para a criação de uma biblioteca  

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – João Théodore Descourtilz

Existe uma edição em português da "Ornitologia Brasileira ou História Natural das Aves do Brasil", lançada pela Kosmos, em 1944

Ver Artigo
Ano de 1852 – Por Basílio Daemon

São remetidas ao Museu Nacional, pelo naturalista Descourtilz, as coleções de história natural por ele reunidas tanto de pássaros como de insetos

Ver Artigo
Ano de 1850 – Por Basílio Daemon

Antônio Tomás de Godói chefe de Polícia e reconhecendo estar a província infestada de criminosos, dá logo as mais enérgicas providências no município de Itapemirim   

Ver Artigo