Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1853 – Por Basílio Daemon

Braz Rubim era filho do governador da província Francisco Alberto Rubim

1853. Falece no dia 9 de fevereiro deste ano, vítima de uma apoplexia fulminante, o negociante José Ribeiro Coelho, que ocupou muitos cargos de nomeação do governo e eleição popular, tendo sido deputado provincial.

Idem. Toma assento em maio deste ano na Câmara dos Deputados, na 9ª legislatura, de 1853 a 1856, como representante por esta província o bacharel Luís José Ferreira de Araújo, que era natural da província e passava por um belo talento, mas que pouco o demonstrou no parlamento.

Idem. Por carta imperial de 14 de junho deste ano é nomeado juiz de direito da comarca de Itapemirim o bacharel José Norberto dos Santos, que prestou juramento em 19 de março do ano seguinte, entrando em exercício.(583)

Idem. São criadas pela lei provincial nº 6 deste ano duas cadeiras de gramática latina, uma na Serra e outra em Benevente,(584) sendo nomeado para a da Serra, para seu primeiro professor, Manoel Ferreira de Paiva, hoje coronel.

Idem. Assume a administração da província, no dia 1º de agosto deste ano, o 1º vice-presidente barão de Itapemirim, por lha haver passado o presidente bacharel Evaristo Ladislau e Silva, que se retirou para a Bahia com licença, tendo obtido pouco depois a exoneração. Foi este presidente o iniciador da criação de uma biblioteca na província.(585)

Idem. É nomeado por carta imperial de 9 de novembro deste ano, presidente desta província, o bacharel Sebastião Machado Nunes, que prestou juramento e tomou posse em 4 de fevereiro do ano seguinte, sendo exonerado a 31 de outubro de 1855.

Idem. A 15 de dezembro deste ano são capturados, em Guarapari, nove indivíduos por suspeitos de serem os assassinos de Belarmino Xavier Pinto Saraiva, entre eles um índio, afamado valentão, de nome João Pereira, indiciado como autor da dita morte, como também da do capitão-mor Manoel Xavier Pinto Saraiva, pai de Belarmino.

Idem. No dia 17 de dezembro deste ano é publicado nesta capital um periódico em bom formato sob o título A Regeneração, (586) de propriedade e redação do professor Manoel Ferreira das Neves, o qual durou até o ano de 1855. Foi um dos melhores periódicos aqui publicados, pelas matérias nele contidas, boa redação e nitidez de impressão, sendo imparcial em seus escritos e juízos.

 

583 “Na comarca de Itapemirim já está oficiando o juiz de direito José Norberto dos Santos que por decreto de 3 de dezembro último foi para ali nomeado, tendo entrado em seu exercício o respectivo juiz municipal para a comarca de Itapemirim.” [Relatório que o Exmo Sr. presidente da província do Espírito Santo Dr. Evaristo Laudislau e Silva dirigiu..., 23 de maio de 1853, Administração da Justiça, p. 7]

584 Lei provincial nº 6, de 21 de julho 1853, Art. 1: Fica criada uma cadeira de gramática latina na vila da Serra e outra em Benevente. [p. 17]

585 “Constando-me que o cidadão Brás da Costa Rubim, natural desta província e filho do falecido governador Francisco Alberto Rubim que honrosos serviços fez a ela, se propunha à oferecer-lhe quatrocentos volumes em livros e cadernos para a criação de uma biblioteca, aproveitei-me disto e nomeei uma comissão composta dos Drs. José Joaquim Rodrigues, e José Camilo Ferreira Rabelo e João Malaquias dos Santos e Azeredo para entender-se com ele e tratar dos meios conducentes ao fim proposto.” [Relatório que o Exmo Sr. presidente da província do Espírito Santo Dr. Evaristo Ladislau e Silva dirigiu..., Biblioteca, p. 30] 586 Jornal A Regeneração. Vitória, Tipografia Imparcial, 1853

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2018

 

História do ES

Exigências e deficiências da Capitania de Vasco

Exigências e deficiências da Capitania de Vasco

Aquele grupinho de brancos, assentado na orla do país, impossibilitado de se fazer temido e respeitado pelo gentio

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo