Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1859 – Por Basílio Daemon

Igreja de São Pedro de Itabapoana

1859. É organizado a 7 de maio deste ano o primeiro regulamento para o Corpo de Polícia da província,637 criado pela lei provincial nº 25 de 24 de julho de 1858 e em execução à lei nº 23 de 27 de novembro de 1838, e instruções de 25 de agosto de 1852, sendo o mesmo corpo composto de 30 praças de pré.

Idem. Por lei provincial nº 10 de 14 de julho deste ano é criada no distrito do Aldeamento Imperial Afonsino (no Rio Pardo) uma freguesia com o título de São Pedro de Alcântara,638 tendo sido a igreja erigida alguns quilômetros do lugar já denominado. É esta freguesia a que possui talvez os terrenos mais ubérrimos da província, sendo seu perímetro extensíssimo.

Idem. Por decreto de 13 de agosto deste ano é nomeado para chefe de Polícia desta província o bacharel Manoel Pedro Álvares Moreira Vilaboim,639 que prestou juramento e tomou posse do dito cargo, sendo exonerado a 16 de setembro do ano seguinte de 1860.

Idem. A 19 de agosto deste ano principia a ser publicado nesta capital um periódico em oito páginas, sob o título A Aurora, 640 sendo seu redator o Dr. Joaquim dos Santos Neves; publicaram-se dezesseis números, mas suspendeu-se a publicação por ter-se retirado da capital seu redator.

Idem. É concedida neste ano, por decreto nº 1.243 datado de 3 de outubro, a Teodoro Klett, faculdade por tempo de dois anos para por si ou por companhia que organizasse explorar e lavrar nas margens dos rios do Meio e da Fumaça, no distrito da freguesia de Mangaraí desta província, as minas de ouro ali existentes, para serem-lhe demarcadas então as datas de terras em que podia trabalhar.641

 

637 Regulamento de 7 de maio de 1959. Da Organização. [Vasconcelos, Compilação p. 40]

638 Lei provincial nº 10, de 7 de julho de 1859, Art. 1º: Fica criada no distrito do Aldeamento Imperial Afonsino, uma freguesia com o nome de São Pedro de Alcântara.

639 “Por decreto imperial de 7 de março foi nomeado chefe de polícia desta província o Dr. Manoel Pedro Alves Moreira Vilaboim.” [Relatório do presidente da província do Espírito Santo o bacharel Pedro Leão Velloso na abertura..., 25 de maio de 1859, Polícia e administração da justiça criminal, p. 10]

640 “...semanário de oito páginas, Aurora, cujo 1º número aparecera em 19 de agosto de 1859 e que ficaria encerrado com o 16º número, devido à nomeação daquela inteligência moça para juiz municipal e de órfãos dos termos de Benevente e Guarapari.” [Rocha, Viagem de Pedro II, p.104]

641 Ao que tudo indica Daemon confundiu aqui o ano, e conforme Relatório de José Mauricio Fernandes Pereira de Barros, “a carta régia de 4 de dezembro de 1816, e as que existem entre os rios do Meio e da Fumaça no distrito de Mangaraí, que o decreto nº 1.243 de 3 de outubro de 1853 concedeu a Teodoro Klett por espaço de dois anos, para proceder aos necessários exames e explorações.” [Relatório que o Exm. Snr. presidente da província do Espírito Santo o doutor José Mauricio Fernandes Pereira de Barros, apresentou, 23 de maio de 1856, Riquezas naturais, p. 39]

 

Nota do Site: Atualmente, São Pedro de Alcântara possui o nome de São Pedro do Itabapoana, que depois de 1930 passou a ser um distrito e não mais a sede do município 

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

 

 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1859 – Por Basílio Daemon

É criada no distrito do Aldeamento Imperial Afonsino (no Rio Pardo) uma freguesia com o título de São Pedro de Alcântara, tendo sido a igreja erigida alguns quilômetros do lugar já denominado   

Ver Artigo
Ano de 1857 – Por Basílio Daemon

Foi permitida às Ordens Terceiras de São Francisco e de Nossa Senhora do Monte do Carmo e Irmandades da Capela de Nossa Senhora do Rosário, a permissão do enterramento em seus jazigos  

Ver Artigo
Ano de 1855 – Por Basílio Daemon

É um templo bem acabado, construído sobre sólidas bases, e zelo verdadeiramente evangélico do capuchinho frei Paulo Antônio de Casas Novas, então vigário da dita freguesia 

Ver Artigo
Ano de 1846 – Por Basílio Daemon

Lei provincial nº 9, de 21 de julho de 1846, Art. 1º: É aprovada a criação da freguesia de Queimados sob o título de São José do Queimado

Ver Artigo
Igreja e representação parlamentar na República

Os assuntos eclesiásticos continuavam na dependência do bispado do Rio de Janeiro

Ver Artigo