Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1861 – Por Basílio Daemon

Marinha, posteriormente passou a ser o Exército

1861. Neste ano, no dia 3 de fevereiro, sai à luz da publicidade nesta capital o primeiro número de um pequenino periódico sob o título União Capixaba, sendo o mesmo político-progressista.

Idem. Pelo decreto nº 2.890 de 8 de fevereiro, é criada nesta província a Companhia de Aprendizes Marinheiros, sendo seu primeiro comandante o capitão-tenente Carlos Augusto Vitório, sendo por aviso do Ministério da Marinha marcado o número de 200 aprendizes para o estado completo da dita Companhia.(654)

Idem. Por carta imperial de 20 de fevereiro deste ano é nomeado presidente desta província o bacharel José Fernandes da Costa Pereira Júnior, que prestou juramento e tomou posse do cargo a 22 de março deste mesmo ano,(655) sendo exonerado a 21 de maio de 1863. Nascido em Campos, quando aquela hoje cidade pertencia a esta província, não renegou sua procedência, e, já como deputado por esta província, já como ministro muito tem feito a bem dela, o quanto é possível, tendo sido incansável em prol de seu engrandecimento.

Idem. Assume a administração da província a 11 de março deste ano o primeiro vice-presidente João da Costa Lima e Castro, por ter sido exonerado o presidente Antônio Alves de Souza Carvalho.

Idem. Por decreto de 15 de março deste ano, é nomeado chefe de Polícia o bacharel Vitorino do Rego Toscano Barreto, que prestou juramento e entrou em exercício a 23 de abril deste mesmo ano.

Idem. É nomeado por decreto de 2 de abril deste ano juiz de direito da comarca dos Reis Magos o bacharel Antônio Gomes Vilaça, que prestou juramento e entrou em exercício a 16 de julho do mesmo ano.

Idem. Neste ano publica-se nesta capital, a 28 de abril, o primeiro número de um periódico sob o título O Clarim, sendo político, literário e noticioso.

Idem. Tendo sido eleitos deputados por esta província os bacharéis Antônio Pereira Pinto e Luís Antônio da Silva Nunes, de conformidade com o decreto nº 1.082 de 18 de agosto do ano antecedente de 1860, que aumentou mais um deputado por esta província, acabando-se ainda nesta ocasião com a eleição de suplentes, tomam os eleitos assento neste ano na Assembleia Geral.

Idem. Neste ano, a 4 de julho, de conformidade com a lei provincial nº 4, foi criada a freguesia de São Sebastião de Itaúnas, na vila da Barra de São Mateus; sua Matriz, de pequenas proporções, foi construída às expensas do povo.(656)

Idem. Por decreto de 27 de julho deste ano é nomeado juiz de direito da comarca de Itapemirim o bacharel Ricardo Pinheiro de Vasconcelos, que prestou juramento a 13 de janeiro de 1862 e entrou em exercício. Idem. Publica-se neste ano na Revista do Instituto Histórico [Brasileiro] uma notícia cronológica dos fatos mais notáveis da província, pelos documentos fornecidos pelo tenente Manoel Augusto da Silveira a Brás da Costa Rubim,657 natural desta província, que também possuía outros que foram de seu pai, o governador Rubim.

Idem. Aparece neste ano à luz da publicidade no dia 5 de outubro o primeiro número de um pequeno periódico político e recreativo sob o titulo O Desaprovador, saindo em dias indeterminados.

Idem. Neste ano é publicado nesta capital um periódico político sob o título O Tempo,(658) defendendo a política liberal, e cujo primeiro número saiu à luz no dia 1º de novembro. Era principal redator o inteligente advogado major José Marcelino Pereira de Vasconcelos. Durou algum tempo.

Idem. Dá o governo imperial a 23 de novembro deste ano instruções a favor dos imigrantes que se quisessem estabelecer nas colônias desta província.(659)

Idem. Organiza neste ano o engenheiro La Martinière uma nova carta corográfica da província.(660)

 

NOTAS

(654) “...criada por decreto n. 2.890 de 8 de fevereiro de 1862 – esta companhia deve ficar organizada e é regida pelo regulamento n. 1517 de 4 de janeiro de 1855. O seu número é de 200 aprendizes-marinheiros, mas infelizmente ainda conta 23 apenas...” [Relatório do presidente da província do Espírito Santo o bacharel André Augusto de Pádua Fleury na abertura..., 20 de outubro de 1863, Companhia de Aprendizes e Marinheiros, p. 26]

(655) “Honrado por S. Majestade o imperador com a nomeação de presidente desta província, prestei juramento e assumi o exercício do cargo no dia 22 do mês de março.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo no dia da abertura da sessão ordinária de 1861 pelo presidente José Fernandes da Costa Pereira Júnior, p. 3]

(656) “Serve-lhe de matriz uma pequena capela, com paredes de taipa. Principiou-se um templo maior e mais sólido que infelizmente ainda exige grande dispêndio para que seja acabado. A Câmara Municipal representou-me declarando que era precisa a quantia de 20 contos de réis para conclusão desta obra. Se por ventura os fiéis não concorrerem com o fervoroso donativo da sua piedade, só lentamente será a nova matriz edificada.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo no dia da abertura da sessão ordinária de 1861 pelo presidente José Fernandes da Costa Pereira Júnior. Culto Público, cidade de São Mateus, p. 34]

(657) Rubim, B. C., Memórias, p. 171-351.

(658) O Tempo, Vitória, 1861.

(659) Relatório com que o Exm. Sr. Dr. Antônio Alves de Souza Carvalho ex-presidente da província do Espírito Santo, passou a administração da mesma ao Exm. Sr. Dr. João da Costa Lima e Castro primeiro vice-presidente no dia 11 de março de 1861, Colonização, p. 11- 4.

(660) (a) La Martinière, Carta corográfica da província do Espírito Santo, 1861. (b) “Em princípios do ano passado o engenheiro Eugênio de La Martinière organizou por ordem do Exm. Sr. A. A. Souza Carvalho uma carta que mandei litografar.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo no dia da abertura da sessão ordinária de 1862 pelo presidente José Fernandes da Costa Pereira Júnior. Limites e Carta Corográfica da Província, p. 67] (c) Notícia dos principais rios da província do Espírito Santo. Cópia de parte do relatório apresentado pelo engenheiro de La Martinière, relativa à navegação fluvial da província do Espírito Santo. Lata 23. Pasta 14 IHGB.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

Especiais

O novo arrabalde

O novo arrabalde

No início do século passado, o engenheiro Saturnino de Brito elaborou o Projeto do Novo Arrabalde, abrangendo a área primitiva da Praia do Canto, que ainda hoje conserva alguns traços originais da sua concepção

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Agapito - Por Sérgio Figueira Sarkis

Agapito, nos idos tempos das décadas de 30 e 40, era uma figura folclórica de Vitória. Pau pra toda obra!

Ver Artigo
A pescaria do tatu - Por Sérgio Figueira Sarkis

Foi realmente uma época muito romântica! O American Bar Michel estava em pleno vigor

Ver Artigo
História do Carnaval Capixaba

O primeiro desfile de escolas de samba do Espírito Santo aconteceu em 1955. Em 1992, a tradição foi interrompida, e retomada em 1998

Ver Artigo
Ano de 1861 – Por Basílio Daemon

Pelo decreto nº 2.890 de 8 de fevereiro, é criada nesta província a Companhia de Aprendizes Marinheiros 

Ver Artigo
Ano de 1860 – Por Basílio Daemon

No dia 26 de janeiro, às oito e meia horas da manhã, aportam a esta cidade vindos no vapor de guerra Apa, em visita a esta província, S.S.M.M.I.I. o Sr. D. Pedro II e D. Teresa Cristina Maria

Ver Artigo