Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1863 – Por Basílio Daemon

Jornal, O Amigo do Povo, Vitória - 1863

1863.  Por decreto nº 3.043, de 10 de janeiro deste ano, são provisoriamente fixados os limites da província do Espírito Santo com a de Minas Gerais, devido ao deputado bacharel Antônio Pereira Pinto, que muito pugnou na Assembleia Geral pelos direitos desta província, tendo ficado até hoje em estado duvidoso, embora o governo procurasse explicar pelo aviso nº 824 de 18 de julho do mesmo ano os ditos limites. 

Idem. Por decreto de 6 de fevereiro deste ano é removido o juiz de direito da comarca da Mata Grande, nas Alagoas, para igual cargo na comarca da Vitória, o bacharel João Paulo Monteiro de Andrade, que assumiu o exercício a 16 de junho do mesmo ano; daqui foi removido para a comarca de Maranguape, na província do Rio Grande do Norte, a 12 de janeiro de 1864.

Idem. É nomeado por carta imperial de 21 de maio deste ano o bacharel André Augusto de Pádua Fleury,(667) para presidente desta província; prestou juramento e tomou posse a 15 de junho, sendo exonerado a 12 de outubro de 1864. Foi este presidente o que foi incumbido de fazer as eleições de eleitores de agosto deste ano, e que tão faladas foram pelas arbitrariedades cometidas. No entanto, afora a política, não foi dos piores administradores.

Idem. Por decreto de 22 de maio deste ano é removido para chefe de Polícia desta província o bacharel Eduardo Pindaíba de Matos,(668) que prestou juramento e entrou em exercício a 10 de setembro deste ano, sendo removido em igual cargo para a de Pernambuco em 30 de junho de 1865.

Idem. Assume a administração da província o 1º vice-presidente coronel Dionísio Álvaro Resendo, a 28 de maio deste ano, por lha haver passado o presidente bacharel José Fernandes da Costa Pereira Júnior.(669)

Idem. Publica-se neste ano, nesta capital, no 1º de junho, o primeiro número de um periódico sob o título A Borboleta, sendo político, noticioso e pilhérico.

Idem. Por decreto de 16 de junho deste ano é nomeado juiz de direito da comarca de Itapemirim o bacharel Ludgero Gonçalves da Silva, que prestou juramento e entrou em exercício a 11 de setembro deste mesmo ano.

Idem. Publica-se neste ano, nesta capital, a 12 de julho, o primeiro número de um periódico sob o título O Amigo do Povo,(670) sendo político e noticioso.

Idem. O governo imperial nomeia neste ano a Adelberto Jahn para intérprete dos colonos alemães desta província, para requerer em nome deles o que fosse de direito e facilitar assim suas reclamações

Idem. Neste ano, no dia 17 de julho, é publicado nesta capital o primeiro número de um periódico sob o título O Liberal, (671) sendo político e noticioso.

Idem. É levantada neste ano uma carta da barra e baía da Vitória pelo oficial da Marinha francesa E. Mouchez e sob as vistas do oficial da Marinha brasileira J. Fonseca(.672) Esta carta tem muitos defeitos e entre eles se denota o estar marcado o poderem passar navios de alto bordo entre a pedra do Calhau e da Baleia, mostrando ter esse canal fundo suficiente, quando é falso, e mesmo por ser a arrebentação das vagas nos recifes extraordinária, dando causa esse erro a que neste ano de 1879 naufragasse ali o vapor Santa Maria. O mesmo oficial de Marinha E. Mouchez levantou ainda neste ano uma outra carta da barra de Guarapari sobre as bases de outro trabalho feito por um engenheiro brasileiro, assim como igualmente levantou uma outra dos ancoradouros de Benevente, Itapemirim e da ilha do Francês.

Idem. Procede-se nesta província, a 9 de agosto deste ano, à eleição de eleitores,(673) para o fim de serem eleitos os novos deputados gerais. Foi esta uma das eleições mais renhidas que tem tido a província, igual à do presente ano de 1879, mas com a circunstância de naquela época ter havido ferimentos, mortes, incêndios, tiros disparados de encontro às casas, recrutamento em grande escala, prisões de cidadãos que à capital chegavam algemados e amarrados.(674) Na Matriz desta capital, estando à testa da eleição o futuro deputado desembargador Souto, a tropa comandada pelo tenente Antônio Rodrigues Pereira, a um aceno seu, invadiu a igreja e de rifles desembainhados foram postos para fora da igreja os partidários contrários, tendo sido alguns cidadãos feridos.

Idem. Neste ano, é publicado nesta capital um periódico político sob o título O Monarquista,(675) saindo à luz a 13 de setembro o seu primeiro número, sendo o seu editor Manoel Antônio de Albuquerque Rosa.

Idem. É nomeado por decreto de 6 de outubro deste ano juiz de direito da comarca de São Mateus o bacharel Manoel José Pinto de Vasconcelos, que não prestou juramento nem consta ter estado em exercício, sendo removido para uma comarca em Minas Gerais.(676)

Idem. No domingo 20 de dezembro deste ano é trasladada da cadeia desta capital, onde se achava há trinta e seis anos, desde 1827, a imagem de São Jorge que servira nas procissões de Corpus Christi, e que ali ficara desde o célebre recrutamento feito naquela época por ordem do ministro da Guerra, conde de Lajes, e quando aqui chegara o Ururau, que seguiu para a Corte com os recrutados a 4 de julho, sendo então presidente da província o bacharel Inácio Acióli de Vasconcelos. Ao visitar a cadeia o então chefe de Polícia, bacharel Eduardo Pindaíba de Matos, ali dera com a imagem, o que sabendo o deputado Horta de Araújo se entendera com o presidente a fim de ser dali transferida o que com efeito se realizou no dia acima mencionado, indo a cavalo a imagem e com grande acompanhamento, havendo Te Deum e sermão pregado por frei João Nepomuceno Valadares.

Idem. Assume a administração da província a 23 de dezembro deste ano o 1º vice-presidente bacharel Eduardo Pindaíba de Matos, então chefe de Polícia da província, por lhe haver passado o presidente André Augusto de Pádua Fleury, que se retirou com licença para a Corte, obtendo em seguida a demissão.

 

NOTAS

(667) “Nomeado por carta imperial de 21 de maio assumi a administração desta província a 15 de junho...” [Relatório do presidente da província do Espírito Santo o bacharel André Augusto de Pádua Fleury na abertura..., 20 de outubro de 1863, p. 3]

(668) “A 22 de maio foi removido da Chefatura de Polícia de Minas Gerais para a desta o juiz de direito Dr. Eduardo Pindaíba de Matos, que a 10 do corrente prestou juramento e entrou em exercício.” [Relatório do presidente da província do Espírito Santo o bacharel André Augusto Fleury na abertura..., 20 de outubro de 1863. Administração da Justiça, p. 9]

(669) “Se nesta ocasião cumpre-me agradecer ao augusto monarca o favor que me honrou, já encarregando-me da administração desta esperançosa província, já concedendo-me exoneração que lhe pedi...” [Relatório que devia ser apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo no dia da abertura da sessão ordinária de 1863, pelo presidente José Fernandes da Pereira Costa Júnior, Palácio da Presidência da província do Espírito Santo em 28 de maio de 1863, p. 1]

(670) O Amigo do Povo, Vitória, 1863

(671) O Liberal, Vitória, 11 de junho de 1885.

(672) Mouchez fez o levantamento para essa carta no ano de 1861, sendo sua publicação datada de 1863. [Mouchez, Plan de la baie de Espírito Santo et du port de Victoria]

(673) No dia anterior o jornal O Amigo do Povo publicara: “Capixabas, amanhã é o dia em que nós temos de exercer o grande ato da nossa soberania, elegendo os dois representantes que temos de mandar ao seio do parlamento para zelar pelos nossos direitos; amanhã é um grande dia para um povo livre...” [Sábado, 8 de agosto de 1863, ano I, n. 5, p. 1-2]

(674) A 9 do mês passado, procedendo-se à eleição de eleitores da Igreja Matriz desta cidade, levantou-se grande tumulto e alarido, por ocasião do reconhecimento da identidade de um votante. Na confusão, que seguiu, a urna foi arrebatada e levada para o pátio exterior; e ficaram molestadas algumas pessoas [...] Mandei proceder a indagações policiais e recaindo suspeitas de que fosse autor do arrebatamento da urna um indivíduo de nome José Joaquim Correia, conhecido por José Muquiçaba, organizou-se processo regular que ainda pende de juízo municipal.” [Relatório do presidente da província do Espírito Santo, o bacharel André Augusto de Pádua Fleury, na abertura da Assembleia Legislativa Provincial no dia 20 de outubro de 1863, Fatos Notáveis, p. 8]

(675) “Jornal político e noticioso que apareceu aos 13 de setembro de 1863, sendo editorado por Manoel Antônio de Albuquerque Rosa, também seu proprietário. Órgão do Partido Conservador.” [Pereira, Imprensa, p. 34]

(676) “... foi removido a 6 de outubro para a comarca de S. Mateus, o da do Paraná, em Minas Gerais, Dr. José Pinto de Vasconcelos, que ainda não tomou posse.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo na abertura da sessão extraordinária no dia [ilegível] de fevereiro deste ano [1863], pelo 1º vice-presidente Dr. Eduardo Pindaíba de Matos, precedido daquele com que o Exm. presidente da província Dr. André Augusto de Pádua Fleury, passou a administração ao mesmo Exm. vice-presidente, p. 4]

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

No tempo do Hidrolitol - Por Sérgio Figueira Sarkis

Dentro da Confeitaria Colombo, encontrava-se a charutaria dos Benezath

Ver Artigo
Festival de Verão de Guarapari Janeiro 1971

A ideia tinha partido de dois jornalistas, Antônio Alaerte e Rubens Gomes Filho

Ver Artigo
A Fundação de Vitória

Aquela provisão lança por terra a tradição de que foi o triunfo alcançado pelos ilhéus a 08/09/1551 que deu nome a Vitória

Ver Artigo
A Imigração no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

A entrada de imigrantes europeus representou a maior transformação social e econômica que o Espírito Santo passou

Ver Artigo
Mané Cocô - Por Elmo Elton

Foi construído um reservatório que passou a servir, ao palácio, repartições públicas e residências particulares dos abastados

Ver Artigo