Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1872 – Por Basílio Daemon

Capa do livro: Esquadro e Compasso em Vitória - Álbum da loja Maçônica União e Progresso - Autor: Fernando Achiamé

1872. Por decreto do 1º de fevereiro é nomeado chefe de Polícia desta província o bacharel Francelísio Adolfo Pereira Guimarães,(730) tendo prestado juramento por procuração a 5 de junho e entrado em exercício no 1º de agosto do mesmo ano; foi dispensado em 29 de novembro de 1874, por lhe ter sido designada a comarca de São José, em Santa Catarina, para nela ter exercício como juiz de direito.

Idem. Por decreto de 21 de fevereiro deste ano é nomeado juiz de direito desta comarca o bacharel Luís Duarte Pereira, que prestou juramento e entrou em exercício a 20 de maio deste mesmo ano, e nele se conservou até 3 de abril de 1879, data em que faleceu.

Idem. Finou-se na madrugada de 25 de março deste ano, na vila do Cachoeiro de Itapemirim, o mais antigo de seus moradores, Manoel de Jesus Lacerda. Pouca fortuna já possuía; quando, no entanto, em moço fora rico e respeitado. Em sua mocidade possuíra a maior parte dos terrenos daquela vila, uns ribeirinhos, outros centrais, que obtivera uns como posseiro, outros por compras feitas, ou a troco até de espingardas de valor de 10$000 a 25$000, tal era o custo das datas de terrenos naquele tempo! Era lavrador e já bastante velho quando faleceu, e tendo possuído tantos terrenos poucos lhe restavam antes de falecer, simplesmente um sítio onde residia; contudo foi sempre estimado e respeitado, deixando grande descendência.

Idem. A 30 de abril deste ano é aquartelada no antigo Convento do Carmo a Companhia de Infantaria desta capital, por permissão dada ao governo pelos frades carmelitanos da Corte, logo que se fizessem as obras necessárias, pelo que o governo geral pôs à disposição do presidente da província a quantia de 4:000$[000] para aquele fim.

Idem. É nomeado por carta imperial de 31 de maio deste ano para presidente desta província o Dr. Antônio Gabriel de Paula Fonseca, que prestou juramento e tomou posse a 19 de junho do mesmo ano,(731) sendo exonerado a 25 de outubro.

Idem. Fina-se no dia 3 de junho deste ano Cirilo Pinto Homem de Azevedo, lavrador da freguesia de Carapina, e ali, como nesta capital, muito estimado. Homem de alguma ilustração, era agradável sua variada conversação, como respeitado era pela rispidez de seu caráter.

Idem. A 23 de junho deste ano falece nesta capital o comendador João Crisóstomo de Carvalho, antigo negociante e depois lavrador. De Portugal viera ainda bem moço para esta província, antes da Independência, e aqui jurou-a admitindo o Brasil como sua nova pátria. Trabalhador, pôde ajuntar fortuna não só em terrenos, como em escravos e dinheiro, possuindo grande número de prédios na capital. Religioso em extremo e dedicado a tudo quanto era em prol do engrandecimento da Capela de Nossa Senhora do Rosário, muito concorreu para seu embelezamento e esplendor nas festas de São Benedito, que se venera naquela capela, sustentando às suas expensas parte de uma banda de música composta no maior número de escravos seus e para assim melhor solenizar-se aquele santo. Como brasileiro adotivo, ocupou todos os cargos de eleição popular e outros de nomeação do governo, e como político era um dos prestimosos e dedicados chefes do Partido Conservador pela real influência de que gozava. O finado era condecorado com os hábitos de Cristo e Rosa.

Idem. A 5 de agosto deste ano é publicado nesta capital um periódico em quarto de papel sob o título O Conservador, de propriedade do tenente Francisco Urbano de Vasconcelos, sob a gerência de José Pinto Coimbra.

Idem. Instala-se a 2 de outubro deste ano a 1ª sessão da 19ª legislatura da Assembleia Legislativa Provincial, concernente aos anos de 1872 a 1873, sendo reconhecidos deputados: Dr. Heliodoro José da Silva, major Sebastião Fernandes de Oliveira, major Domingos Vicente Gonçalves de Souza, coronel Manoel Ferreira de Paiva, coronel Dionísio Álvaro Resendo, coronel Olindo Gomes dos Santos Paiva, tenente-coronel Caetano Bento de Jesus Silvares, tenente Manoel da Silva Simões, bacharel José Camilo Ferreira Rebelo, tenente-coronel José Ribeiro Coelho, coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, bacharel Terêncio José Xavantes, capitão Francisco Rodrigues de Barcelos Freire, padre Joaquim de Santa Maria Madalena Duarte, capitão Basílio Carvalho Daemon, tenente Aires Loureiro de Albuquerque Tovar, bacharel Joaquim José de Almeida Pires, alferes Manoel Serafim Ferreira Rangel, tenente José Delgado Figueira de Carvalho, major Joaquim Pereira Franco Pissarra.(732) Foi composta a mesa no primeiro ano da legislatura: presidente bacharel José Camilo Ferreira Rebelo, 1º secretário coronel Manoe Ferreira de Paiva, 2º secretário capitão Basílio Carvalho Daemon.(733) No segundo ano foi composta a mesa: presidente bacharel José Camilo Ferreira Rebelo, 1º secretário coronel Manoel Ferreira de Paiva, 2º secretário capitão Basílio Carvalho Daemon.

Idem. Pelo decreto de 10 de outubro deste ano é concedida a Francisco Inácio Fernandes Leão e José Torquato Fernandes Leão autorização para estabelecer a navegação do rio Doce, por meio de uma companhia. Não foi a mesma realizada e caducou a concessão.

Idem. É nomeado por carta imperial de 25 de outubro deste ano presidente desta província o Dr. João Tomé da Silva,(734) que prestou juramento e tomou posse do cargo a 28 de dezembro do mesmo ano, sendo exonerado no 1º de outubro de 1873.

Idem. É apresentado à Assembleia Provincial pelo deputado Basílio Carvalho Daemon, a 31 de outubro deste ano, o projeto para construção da primeira estrada de ferro desta província, o qual depois de longos debates e sustentado por seu autor, foi, com algumas emendas, reduzido a lei que foi sancionada a 27 de novembro pelo então vice-presidente da província coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas.

Idem. Por decreto de 4 de novembro deste ano é nomeado juiz de direito da comarca de Itapemirim o bacharel Paulo Martins de Almeida, que prestou juramento e entrou em exercício a 20 de março de 1873, sendo removido para a comarca do Rio Formoso, em Pernambuco, a 18 de julho deste mesmo ano.

Idem. É instalada neste ano, no mês de novembro, com todas as solenidades, uma loja maçônica ao Vale do Lavradio, sob denominação de União e Progresso, tendo um liceu a ela anexo, sob os esforços do engenheiro Miguel Maria de Noronha Feital, Dr. Heliodoro José da Silva e capitão Basílio Carvalho Daemon,(735) coadjuvados pelo Dr. Florêncio Francisco Gonçalves, Manoel Gomes Pereira, coronel Dionísio Álvaro Resendo, capitão Antônio José de Matos Lucena, João Antônio Fernandes Magalhães, José Joaquim de Almeida Ribeiro e Jorge Taverne, os quais foram instaladores.(736) Mais tarde, por intrigas e ambições mal cabidas de dois ou três, separaram-se alguns membros, que ficaram pertencendo ao Vale dos Beneditinos. Possuía esta loja uma variada biblioteca, para a qual concorremos com três caixotes de livros de ciências, literatura, história e artes.

Idem. Assume a administração da província no mês de novembro deste ano o 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, estando em exercício do cargo até 28 de dezembro, por ter sido exonerado o presidente Dr. Antônio Gabriel de Paula Fonseca.

Idem. Em virtude da lei provincial nº 19, de 20 de novembro deste ano, é autorizado o presidente da província a contratar a iluminação pública pelo sistema a gás; o que não se realizou senão anos depois em que foi a mesma iluminação contratada e realizada por Manoel da Costa Madeira, em 1877, sendo inaugurada a iluminação pública no 1º de março de 1879.(737)

Idem. Pela lei provincial nº 37, de 27 de novembro deste ano, é autorizado o presidente da província a contratar e conceder privilégio para a construção de uma estrada de ferro de bitola estreita, dividida em seis seções. Este projeto fora assinado pelos deputados Basílio Carvalho Daemon e Dr. Heliodoro José da Silva e celebrado o contrato com os peticionários engenheiro Miguel Maria de Noronha Feital, Tomás Dutton e Dr. Francisco Portela em 28 de outubro de 1873 pelo presidente bacharel Luís Eugênio Horta Barbosa, e aprovado pela Assembleia em 12 de novembro do mesmo ano. Apesar de muitas prorrogações, não realizaram os concessionários a empresa.(738) Mais tarde foi concedido pela Assembleia Geral o juro sobre dois mil contos para a primeira secção, sendo também assinado novo contrato com o coronel Russel por ter caducado o primeiro, que da mesma forma não foi levado a efeito este, o mais preciso melhoramento de que necessita esta província e a de Minas Gerais, pois é inegável que com a estrada projetada haverá um grande desenvolvimento em ambas as províncias.

Idem. Pela lei provincial nº 39, de 27 de novembro deste ano, são marcadas as divisas definitivas entre a vila da Serra, freguesia de São José do Queimado, Santa Leopoldina e Cariacica.

Idem. É criada pela lei provincial nº 43, de 27 de novembro deste ano, uma nova comarca na província, composta dos municípios de Guarapari e Benevente, sob o título de comarca de Iriritiba, a qual foi declarada de 1ª entrância pelo decreto nº 5.175, de 16 de dezembro de 1872.

Idem. É inaugurada a 2 de dezembro deste ano a estação telegráfica da barra de Itabapoana ao lado sul e pertencente à província do Rio de Janeiro e divisas com esta província.

Idem. A 3 de dezembro deste ano fina-se, nesta capital, na casa de morada de seu sogro, o engenheiro Manoel Feliciano Muniz Freire.(739) O finado ocupou muitos cargos públicos e era tesoureiro da Fazenda Geral na província. Acatando a província, onde se casara e tinha filhos, procurou os meios de fazê-la desenvolver, coadjuvando seu engrandecimento. Por iniciativa sua projetou-se o levantamento de um teatro, para o que já havia obtido um terreno no largo da Conceição, onde foi assentada a primeira pedra e feito o alicerce, e ainda da Assembleia Provincial obteve o auxílio de 10:000$000 que foi autorizado pela lei provincial nº 44 deste mesmo ano.(740)

Idem. Pela lei provincial nº 51, de 4 de dezembro deste ano, é concedido privilégio a Henrique Deslandes para a navegação do rio Itapemirim, sendo a mesma navegação inaugurada em 1876.(741)

Idem. São estabelecidas as divisas entre as vilas de São Pedro do Cachoeiro e de Itapemirim, pela lei provincial nº 52, de 4 de dezembro deste ano.

Idem. Por decreto de 18 de dezembro deste ano é removido da comarca de Solimões para a comarca de Iriritiba o juiz de direito bacharel Francisco José Cardoso Guimarães, que prestou juramento e entrou em exercício a 9 de maio do ano seguinte, em que foi instalada esta comarca. Este juiz foi removido para a comarca de Paranaguá, na província do Paraná, a 29 de novembro de 1873.

Idem. A 23 de dezembro deste ano finou-se o abastado fazendeiro da cidade de São Mateus, tenente-coronel Caetano Bento de Jesus Silvares, que ali era chefe do Partido Conservador e estimado por suas boas qualidades.(742)

Idem. Achando o governo provincial a inconveniência de ser no forte de São João o paiol e depósito da pólvora, e havendo representado ao governo geral neste sentido, foi a Tesouraria de Fazenda autorizada neste ano a pôr em hasta pública as obras para edificação de um paiol para pólvora, na ilha do Marçal,(743) a três quilômetros da cidade, concedendo-se para essa construção a verba de 15:000$000, sendo o dito paiol concluído em dois anos pelo arrematante das obras capitão Inácio Trancoso.

 

NOTAS

(730) “...nomeado chefe de Polícia efetivo desta província por decreto do 1º de fevereiro do corrente ano.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. Dr. Antônio Gabriel de Paula Fonseca, 2 de outubro de 1872, Administração Policial e da Justiça, p. 6]

(731) “Honrado com a carta imperial de 31 de maio do corrente ano, pela qual o governo de Sua Majestade se dignou confiar-me a sua administração, entrei na posse dela no dia 19 de junho...” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo presidente o Exm. Sr. Dr. Antônio Gabriel de Paula Fonseca, 2 de outubro de 1872, p. 3]

(732) Lista de deputados eleitos para a 19º legislatura da Assembleia Legislativa Provincial. 2 de outubro de 1872. [Pena, História da província, p. 101]

(733) “Foram admitidos como membros da Assembleia Provincial os Srs. tenente Xavantes Barcelos Freire e Basílio Daemon, estando manifestamente incompatibilizados, contra diversas disposições do Ato Adicional e leis do império.” [Opinião Liberal, 11 de fevereiro de 1877, n. 5, Comunicado, p. 1-2]

(734) “Nomeado por carta imperial de 25 de outubro de 1872, tomou posse a 28 de dezembro desse ano.” [Marques, Dicionário, p. 132]

(735) Balaústre da 5ª sessão preparatória 18 de setembro de 1872.

(736) “A instalação da Loja União e Progresso se deu no dia 8 de novembro de 1872 no pavimento térreo do sobrado à rua São Diogo, 29, pertencente a Carlos Bernardino e Urbano Inácio Pimenta. O fundador foi o engenheiro Dr. Miguel Maria de Noronha Feital.” [Fraga, Maçonaria, p. 30] Essa data não condiz com a do pedido de licença de Daemon: “O capitão Basílio Carvalho Daemon pede dispensa da Loja Maçônica União e Progresso em virtude de sua transferência para a Corte.” [Balaústre da 5ª sessão preparatória 18 de setembro de 1872]

(737) “...tal melhoramento só ocorreu em 1878, após edital publicado na Gazeta da Vitória, a 5 de janeiro, com a divulgação das condições exigidas para esse tipo de iluminação; nos domicílios, custando 0,20 réis , à hora, o bico de sete velas. A iluminação à gás, no ano seguinte, estendeu-se pelas ruas da cidade. Chamava-se Domingos ou Manoel da Costa Madeira a pessoa contratada para efetuar o serviço.” [Elton, Iluminação de Vitória, RIHGES, p. 51-3]

(738) “Os cidadãos Tomás Dutton Júnior, Francisco Portela, engenheiro Miguel Maria de Noronha Feital, requereram-me em data de 19 de agosto último privilégio por 60 anos para construírem, custearem, e gozarem, por si ou por meio de uma companhia que organizarem uma estrada de ferro de bitola estreita, que partindo da margem do rio Itabapoana...” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. Dr. Antônio Gabriel de Paula Fonseca, no dia 2 de outubro de 1872. Projeto de estrada de ferro, p. 15]

(739) O Espírito-Santense, 5 de dezembro de 1872, p. 4.

(740) “No dia 19 de maio teve lugar com assistência de meu antecessor e grande concurso de autoridades e povo a solenidade do assentamento da pedra fundamental do teatro desta capital, que vai ser construído por uma associação dramática, cujos estatutos me foram depois apresentados.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. Dr. Antônio Gabriel de Paula Fonseca, no dia 2 de outubro de 1872, Teatro, p. 14]

(741) Ofício da Assembleia Legislativa: É concedido o privilégio de navegação no rio Itapemirim a Henrique Deslandes. 26 de novembro de 1872

(742) “...tendo-se dado o falecimento de dois distintos membros desta Assembleia, o bacharel Joaquim de Almeida Pires e o tenente coronel Caetano Bento de Jesus Silvares...” [Fala dirigida à Assembleia Legislativa Provincial pelo Exm. Sr. presidente da província do Espírito Santo Dr. João Tomé da Silva em ocasião da abertura..., 10 de setembro de 1873. Eleições, p. 3-4]

(743) “O governo imperial, tomando em consideração a necessidade urgente de remover para lugar conveniente aquele perigoso depósito, autorizou esta presidência a mandar levantar planta e organizar orçamento para a construção de um novo paiol em lugar adequado. Escolhida a ilha do Marçal, distante desta cidade uma légua, foi encarregado daquele trabalho inspetor geral de Obras Públicas: enviei ao Exm. Sr. ministro da Guerra,em 19 de janeiro o projeto e o orçamento do edifício...” [Relatório apresentado a S. Ex.ª o Sr. coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas pelo Exm.º Sr. Dr. Luís Eugênio Horta Barbosa por ocasião de deixar..., 1874, Depósitos de Artigos Bélicos, p. 8]

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Foto principal: Capa do livro: Esquadro e Compasso em Vitória - Álbum da Loja Maçônica União e Progresso - Autor: Fernando Achiamé
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

História do ES

Novas unidades militares – Censo – Comércio e indústria

Novas unidades militares – Censo – Comércio e indústria

Benevente era o centro mais populoso, depois de Vitória: 3.017 pessoas livres e 102 escravos. Predominava ali o elemento índio

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Mané Cocô - Por Elmo Elton

Foi construído um reservatório que passou a servir, ao palácio, repartições públicas e residências particulares dos abastados

Ver Artigo
Milagres Acontecem - Por Geert Banck

Estamos todos na sala de um sítio de Alto Corumbá, no município de Castelo, Espírito Santo

Ver Artigo
De 1960 a 1967 – Estudos e projetos de água para o ES

Numa atitude corajosa, o engenheiro Jonas Hortélio autorizou a execução da abertura emergencial de um grande orifício na parte lateral da tulipa

Ver Artigo
Por que Canela-Verde?

O nome canela-verde era dado exclusivamente ao cidadão nascido na sede de Vila Velha, estendendo-se hoje para os de todo o município. O termo canela-verde tem sua origem nos portugueses 

Ver Artigo
Abastecimento d’água na década de 50 - Por Celso Caus

Reversão e transferência dos serviços públicos de água e esgotos da Prefeitura de Vitória para o Estado. Criação do Departamento de Água e Esgoto (DAE)

Ver Artigo