Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Arquitetura rural em Santa Teresa

Santa Teresa, ES - Brasil, 1925

Em fotos do século XIX, as casas localizadas na área rural de Santa Teresa, apresentam como característica: a frente da varanda e a escada lateral são de madeira, alta do chão, telhado coberto de tabuinhas, parede de estuque entrelaçada em taipa e o assoalho de madeira. Na maioria das construções, a estrutura da casa era toda em madeira. Somente alguns faziam os alicerces com pedra bruta da região. As janelas eram todas em madeira, sem vidro, abrindo para fora. O entorno dessas construções é completo: roda-d'água com moinho, rio passando por perto, forno a lenha, manguezais e áreas verdes, um verdadeiro sítio arquitetônico para ser recuperado.

Essas casas iniciais, situadas no atual Vale do Canaã, foram similares às da terra de origem no Norte da Itália. Na parte externa dessas casa, encontramos o forno a lenha de barro para fazer o pão. Em algumas casas, ainda há também o moinho movido por uma roda-d'água onde se preparava o fubá para fazer a polenta. Esses moinhos ficavam perto dos rios, cujas águas eram utilizadas para movê-los.

Hoje essas casas encontram-se do lado esquerdo, descendo para o "Pé da Serra", e duas delas estão situadas à direita, numa área cheia de mangueiras, juntamente com outras casas e a Igreja de São Marcos. Em frente, há um cemitério histórico de famílias imigrantes. São construções importantes na História e que deveriam passar por restaurações. Segundo Décio Cochetto e João Cochetto, essas casas foram feitas de estuque com madeira quase roliça:

Fazia-se um buraco na madeira do barrote de cima, um furo tipo rosca para encaixar e a parte de baixo era apoiada no barrote liso; pregava-se um sarrafo de um lado e outro, amarravam-se as madeiras em pé e depois uma pesoa segurava com uma tábua do outro aldo enquanto as outras pessoas jogavam o barro que ficava preso nas ripas.

O sótão, nessas casas, era o lugar onde as pessoas se escondiam quando os jagunços apareciam. O refúgio era geralmente na casa dos Caser, Dalcolmo, porteriormente os Cochetto, Perini e Tófoli, às vezes em lugares mais altos e reservados da região do vale.

 

Livro: Santa Teresa viagem no tempo (1873 / 2008)
De: Sandra Gasparin
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2012


 

LINKS RELACIONADOS:

>> Santa Teresa
>> Imigração no ES

História do ES

Ano de 1879 – Por Basílio Daemon

Ano de 1879 – Por Basílio Daemon

Em 1879 naufragou nos recifes denominados Calhau, em frente à ilha da Baleia o vapor Santa Maria

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo