Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Arquitetura rural em Santa Teresa

Santa Teresa, ES - Brasil, 1925

Em fotos do século XIX, as casas localizadas na área rural de Santa Teresa, apresentam como característica: a frente da varanda e a escada lateral são de madeira, alta do chão, telhado coberto de tabuinhas, parede de estuque entrelaçada em taipa e o assoalho de madeira. Na maioria das construções, a estrutura da casa era toda em madeira. Somente alguns faziam os alicerces com pedra bruta da região. As janelas eram todas em madeira, sem vidro, abrindo para fora. O entorno dessas construções é completo: roda-d'água com moinho, rio passando por perto, forno a lenha, manguezais e áreas verdes, um verdadeiro sítio arquitetônico para ser recuperado.

Essas casas iniciais, situadas no atual Vale do Canaã, foram similares às da terra de origem no Norte da Itália. Na parte externa dessas casa, encontramos o forno a lenha de barro para fazer o pão. Em algumas casas, ainda há também o moinho movido por uma roda-d'água onde se preparava o fubá para fazer a polenta. Esses moinhos ficavam perto dos rios, cujas águas eram utilizadas para movê-los.

Hoje essas casas encontram-se do lado esquerdo, descendo para o "Pé da Serra", e duas delas estão situadas à direita, numa área cheia de mangueiras, juntamente com outras casas e a Igreja de São Marcos. Em frente, há um cemitério histórico de famílias imigrantes. São construções importantes na História e que deveriam passar por restaurações. Segundo Décio Cochetto e João Cochetto, essas casas foram feitas de estuque com madeira quase roliça:

Fazia-se um buraco na madeira do barrote de cima, um furo tipo rosca para encaixar e a parte de baixo era apoiada no barrote liso; pregava-se um sarrafo de um lado e outro, amarravam-se as madeiras em pé e depois uma pesoa segurava com uma tábua do outro aldo enquanto as outras pessoas jogavam o barro que ficava preso nas ripas.

O sótão, nessas casas, era o lugar onde as pessoas se escondiam quando os jagunços apareciam. O refúgio era geralmente na casa dos Caser, Dalcolmo, porteriormente os Cochetto, Perini e Tófoli, às vezes em lugares mais altos e reservados da região do vale.

 

Livro: Santa Teresa viagem no tempo (1873 / 2008)
De: Sandra Gasparin
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2012


 

LINKS RELACIONADOS:

>> Santa Teresa
>> Imigração no ES

História do ES

Brigadeiro José Joaquim Machado de Oliveira – Por Levy Rocha

Brigadeiro José Joaquim Machado de Oliveira – Por Levy Rocha

Vitória, naquele ano, da primeira tipografia comprada pelo fazendeiro, proprietário e ex-alferes de 1ª linha, Alfredo Ayres Vieira de Albuquerque Tovar

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Espírito Santo, um Estado rico

Cícero Moraes, em seu livro Geografia do Espírito Santo, afirma que os climas capixabas podem ser definidos em função das altitudes

Ver Artigo
Revistas capixabas: design gráfico capixaba no acervo da BPES

Em 2010, iniciou-se pesquisa do Núcleo de Identidade Gráfica Capixaba, Nigráfica, quando se realizou estudo gráfico de revistas elaboradas e impressas na Grande Vitória e dedicadas ao público capixaba entre 1910 e 2010

Ver Artigo
Panorama da cultura capixaba

O historiador Renato Pacheco explica que o Estado passou 350 anos fechado a qualquer tipo de progresso

Ver Artigo
A escravidão negra e sua abolição – Por João Eurípedes Franklin Leal

Um dos pontos culminantes das revoltas escravas no Espírito Santo foi a Insurreição do Queimado

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo