Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Artista do Moreno: Guilherme Merçon

Tela de Guilherme Merçon

Guilherme Merçon é capixaba de Muniz Freire, tem se especializado em pintar paisagens, e teve a iniciativa de retratar vistas maravilhosas a partir do Morro do Moreno.

Dessa forma, ele nos agracia com vistas do Convento da Penha, da Praia da Costa, Mestre Álvaro, ou um singelo mamoeiro em flor no próprio Morro do Moreno.

O artista, que também é músico, dos bons (toca flauta transversa e teclado nas noites capixabas), já expôs individualmente na Galeria Atual, na Casa do Governo do Espírito Santo, na Galeria Eugênio Pacheco Queiróz e participou de coletivas em outras exposições.

Amigo do site Morro do Moreno, Guilherme Merçon mostra para nós algumas de suas obras mais recentes. Conheça as pinceladas do Artista do Moreno, clicando nas imagens ao lado.



GALERIA:

📷
📷


Personalidades Capixabas

Luísa Grimaldi e o Padre Anchieta

Luísa Grimaldi e o Padre Anchieta

Conforme o padre Hélio Abranches Viotti (1966, p.218), durante o seu governo no Espírito Santo, D. Luísa não dava um passo sem que o venerando Pe. Anchieta fosse consultado: “era ele quem inspirava todos os seus atos”

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Subsídios para entender o capixaba – Por Miguel A. Kill

No Estado, em geral, não houve baianização do capixaba

Ver Artigo
O menino Gil Vellozo - Por Renato Pacheco

O dia 13 de fevereiro de 1930 amanheceu com sol forte, típico dia de verão. O adolescente Antônio Gil Vellozo, de 13 anos, acordou contente. É que o pai, o provecto professor Luiz Adolfo Thiers Vellozo...

Ver Artigo
Eurípedes Queiroz do Valle – Por Elmo Elton

Eurípedes Queiroz do Valle nasceu em Benevente, hoje cidade de Anchieta, no Espírito Santo, a 28 de janeiro de 1897

Ver Artigo
Álvaro Conde – Por Elmo Elton

Tudo amorosamente focalizado por quem tinha a preocupação, o cuidado de mostrar aos outros o ufanismo de seu capixabismo

Ver Artigo
Adeus a Teixeira Leite – Por Elmo Elton

Nascido em Prado, no sul da Bahia, a 6 de fevereiro de 1891, veio residir, quando tinha apenas dez anos, juntamente com os pais, em Vitória

Ver Artigo