Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Banana no lugar de café

A cafeicultura é a principal atividade em 80% dos municípios e representa 43% do PIB agrícola do Estado

A banana começou a substituir o café em Alfredo Chaves no final da década de 50. Mas a alternativa agrícola só se expandiu mesmo nos anos 70. Hoje a cidade é conhecida em todo o estado pela produção de fruta e pela Festa da Banana e do Leite. Atualmente a banana prata ocupa 3,8 mil hectares, com produção de 21 mil toneladas por ano. A cultura reúne 1200 agricultores, informa a Emater.

O café é o segundo produto, ocupando 3,2 mil hectares, com produção cerca de 35 mil sacas por ano. A olericultura se mantém entre a segunda e a terceira maior renda do município. São 182 hectares de inhame, com colheita de 2,1 mil toneladas; 73 hectares de batata baroa, que produzem 964 toneladas, além das verduras cultivadas nas partes mais altas do município, como São Bento de Urânio e o Vale do Batatal.

A pecuária concentra 11.400 cabeças. A produção de leite gira em torno de 2 milhões de litros por ano e 310 toneladas de carne. A área de pastagem é de 16 mil hectares. A primeira cooperativa da cidade foi a Laticínios Alfredo Chaves (Clac), que recebe em torno de 18 mil litros por dia. O produto é comercializado pela CCPL de Vianna. A Clac também fabrica queijos, mateiga e requeijão em pequena escala, abastecendo apenas o mercado municipal.

A outra cooperativa é a de Produtores de Banana do Espírito Santo – a Coopbel, que reúne 350 associados. Criada em 1988, a entidade mantém um Box na Ceasa do Rio de Janeiro, onde comercializa toda a produção. Antes de enfrentar o mercado carioca, a Coopbel despenca e classifica os frutos nas suas plataformas. Encaixotadas, as bananas são enviadas ao Rio, onde passam por aclimatação e são vendidas. A produção mensal gira em torno de 500 toneladas. Cerca de 90% da produção são de banana prata.

O mercado carioca foi o escolhido pela facilidade geográfica, menor distância, e diminuição no custo de produção, informa o vice-presidente Caio Valente. O município conta também com a Cooperativa de Crédito.

Fontes: A Gazeta - 26 de setembro de 1994

LINKS RELACIONADOS:

>> Alfredo Chaves 
>> São Roque de Maravilha 
>> Sesmaria de Quatinga
>>
 
Os italianos em Alfredo Chaves
>> 
O Rei Café  



GALERIA:

📷
📷


Curiosidades

A revolta das prostitutas

A revolta das prostitutas

Com o declínio da economia exportadora de farinha de mandioca a vila de São Mateus perdeu sua importância e  o casario foi transformado em bares, cabarés e bordéis, ocupados por prostitutas e boêmios

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A guerra do sete dias – Por José Costa

Viajei num raio ao passado e desci no jornal 7 Dias, onde conheci o estoicismo, cada edição era uma história, um desafio, uma prova de obstáculos

Ver Artigo
Folha do Povo – Por José Carlos Fonseca

Falo da Vitória do final dos anos 40 e da década de 50

Ver Artigo
O Cine Cici do Seu Tinininho – Por Átyla de Freitas Lima

A casa onde funcionava o Cine Cici era um salão grande, coberto de zinco, na Rua 23 de Maio 

Ver Artigo
Cimento e Ferro – Por Paulo Vasconcellos

O edifício Gloria e a Casa de Saúde dizem da transição da arte moderna, ainda com influencias de Luiz XVI

Ver Artigo
Russo era o barão da monazita de Guarapari

Um só homem foi acusado de ter faturado milhões de dólares em Guarapari com a extração de areia monazítica praticamente de graça, durante quase 30 anos

Ver Artigo