Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Bloco Unidos do Quintal

O Bloco Unidos do Quintal, com os foliões Mazinho Ferreira e Walter de Aguiar Filho na residência de Arlete Braga, um dos locais de parada do bloco

Quem já brincou carnaval no Centro de Vila Velha, com certeza tem na memória registros do Bloco Unidos do Quintal, na década de 70.

A sede do bloco inicialmente era na residência do casal Roberto Pitanga (Roberto Sabido) e sua esposa Regina Cruz , que moravam numa casa de varanda e quintal ao lado do Ed. Aruanã, na Av. Champagnat.

Nos anos seguintes, o bloco passou a se reunir no restaurante Rema, do mesmo casal, que ficava localizado em frente ao Colégio Marista, ao lado do setor de cadastro da Prefeitura

O Bloco era muito bem organizado e encabeçado por verdadeiros foliões, como Gui, Pedro Luis, Tozinho Braga, Vaval Olival, Paulinho Narigueira, Rui Abreu, Julinho MacLaren, Tânia Braga, Denise Peçanha e Tânia (Presidente Lima), Lucas Izoton, Vaval, Bolinha. Beto Rocha, Carlinhos Rocha, Gilberzinho, Zé Luiz Costa, José Luiz Freitas, Zé Moqueca, Betinho da Padaria, Pota, Xexéu, Dodoca, José Guilherme, Jeffer, Paulo Gordo, Sergio Pitanga, Jajá Bundinha, Ronron, Macarrão, Ricardo Chamon, Jorge Buldogue, Cajuiero, Carioca, Paulinho Wanderléia, Janinho, Biba, Alexandre, Fernando Leite, Nogueira, José Maria (Nariga), Lamônica, Sergio e Ricardo Rossi, Afonso Fonfon, João Emílio, Ronaldo Moysés, Elinho Bico Doce, Carioca Cara de Cachorro, Nilinho Lima, Fernando Marques, Paulinho Camelo, Sudan, Silazinho e Silamar, Danilo e Henrique Batatinha, Onesvaldo, Sérgio do Posto, Rominho,Guilherme Bassine, Gênisson, Rui Simplício, Ronaldo Abikair, Os Fragas (Marquinho Aratu, Wellington, Julio, João, Cláudio até Márcio), Tolete, Pistache, Carlinhos Chorão, Mazinho Ferreira, José Mamão, Cesar Toca Disco, Quita, Espaguete, José Anchieta, Afrânio, Jôca, Renato Pitanga, Humberto Pitanga, Antônio Luiz Pitanga, Zélio Guimarães, Washington, Jorginho Namorador, Tulinho, Paulo Cegato, Huguinho e Bebeto Froes, Toninho Cabeção,Genóbio, Helinho Corró, Rela-Rela, Cao, Paulinho, Alzirinha e Rafael, Arnaldo Caveira, Neco, Zezinho Boechat, Renato Galvêas, Doínho, Antônio Cesar de Andrade (Babão), Danilo Bonnemasou, Fábio Rodrigues (filho de Zé Huper) e o famoso e animado Edgar Leão que muito amável, levava todo mundo para sua casa (mais ou menos 200 pessoas) para comer rabada ou feijoada, fora o "birinigth", tudo por conta dele. Lá o bloco ensaiava o seu samba, antes de ir para a avenida. Era avenida mesmo, pois era na Avenida Champagnat o desfile. A letra da música do bloco era assim:

"Chegamos, para fazer o nosso carnaval
O carnaval de Vila Velha
Numa batucada genial
Viemos representar o lado social
Da juventude que empolga
De um bloco que se fez imortal
E hoje ao relembrar o seu passado
De alegrias e glórias
Viemos prestar a nossa homenagem
Ao povo que fez a sua história
Ô ô ô
Ô ô ô ô, Unidos do Quintal chegou
Trazendo com a folia muito amor ô ô ô.
Ô ô ô ô, Unidos do Quintal chegou
Trazendo com a folia muito amor ô ô ô."

Autores: Washington e Paulinho Rocha (Narigueira) 

Imagine você, um bloco confinado dentro de uma residência, todo mundo bebendo (cuba-libre), comendo e batucando, antes de sair para a rua. O embalo ia em frente com respeito total, nunca houve o menor incidente.

O Bloco ao entardecer  saía da concentração que era o quintal da casa de Roberto e Regina, daí a origem do seu nome, percorria algumas ruas do centro de Vila, inda até a Praínha e depois retornava à av. Jerônimo Monteiro. Nela haviam alguns pontos de "abastecimento" que eram o Bekos Bar de seu Maurício, Padaria Atlântica de Élcio Resende e no bar do Salvador que ficava na esquina com a rua Presidente Lima. A última parada era na casa de Arlete Braga, onde ela sempre presenteva os foliões com uma garrafa de wisky Old-Eight.

Talvez seja por isso que hoje há uma tendência de volta ao passado. As pessoas tem procurado paz, menos confusão e isso acabou gerando inconscientemente, uma volta ao passado, com bandinhas tocando as antigas marchinhas de carnaval.

Veja o vídeo do bloco Unidos do Quintal (o dvd foi um presente de Ary França para o casal Roberto e Regina):

 

 http://www.youtube.com/watch?v=yqEs0ol6d44

 

Autor: Walter de Aguiar Filho - Gui (2006)
Nota: A lista de nomes está sendo atualizada para ninguém ficar de fora (fev/2011)
Nota 1: Ocorreu uma nova atualizaçõa na lista com a contribuição de Regina Cruz Pitanga e de sua filha Renata Pitanga (fev/2017)

 

 


Literatura e Crônicas

Porto - Escritos de Vitória

Porto - Escritos de Vitória

Morava na Beira-Mar e, muitas vezes, percorria os olhos em direção ao Porto. Algumas coisas me intrigavam, a vida dos embarcadiços, as estórias de contrabando, as mensagens escritas nas pedras, os marinheiros do Bar Scandinávia, as prostitutas

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Convento da Penha – Turismo de fé e História

No alpendre admira-se uma Pietá em madeira do escultor Carlo Crepaz e uma pia batismal de cedro e jacarandá encimada pela figura de São João Batista

Ver Artigo
Vitória Cidade Presépio – Por Ester Abreu

Logo, nele pode existir povo, cidade e tudo o que haja mister para a realização do sonho do artista

Ver Artigo
O Amor do Mar – Por Elizabeth Martins

Estranho amor que me faz tomar a amada cada dia mais bela para que outros caiam na armadilha do seu fascínio, aprisionado por seu doce visgo

Ver Artigo
Terra natal: cidade presépio – Por Ana Maria Machado

Ficávamos todos contemplando extasiados as luzes fracas dentro das janelas pareciam piscar de longe

Ver Artigo
Réu Papagaio - Por Carminha Corrêa

O ano era 1977. O local: redação do jornal A Gazeta, na rua General Osório. Já passava das 18 horas, fechamento de edição

Ver Artigo