Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Calçadão da Praia da Costa: a última visão do Convento da Penha

QUANDO???????

Autora: Celma Lofêgo Sobreira Gomes de Oliveira
Ano: 2003

Em minhas andanças por Vila Velha, sempre procurei ver o Convento da Penha para me localizar, me encantar ou rezar. Agindo assim, certo dia, caminhando pelo calçadão da Praia da Costa, me deparei com uma das mais belas vistas do Convento, surgida entre o vão de dois prédios. Pensei com meus botões que precisava tirar uma fotografia daquela imagem, como ultimamente venho fazendo quando vejo algo muito bonito ou diferente. Decisão tomada e, lamentavelmente, esquecida.

Passaram-se os meses e eu, novamente no mesmo lugar, lembrei-me daquela visão e da minha intenção em fotografá-la. Infelizmente, não consegui mais ver a cena: prédios haviam sido erguidos com a rapidez costumeira, impedindo que eu conseguisse imortalizar aquela imagem no papel. Falei com algumas pessoas sobre o ocorrido. Uma delas, aborrecida com a minha perda, dias atrás me telefonou falando que havia procurado por todo o calçadão da Praia da Costa, desde a Ponta de Itapoã até o Clube Libanês, tentando achar uma fresta em que ainda se avistasse o Convento da Penha, neste ano de 2003. Tanto empenho não foi em vão. Assim como eu, ela conseguiu uma fresta com uma bela visão do Convento. Incrível, mas é a última. Desta vez não dormi no ponto. Dia seguinte, máquina fotográfica a tiracolo, caminhei para o lugar indicado e feliz, bati muitas fotos do local.

O resultado me emocionou porque, além das belas imagens, retratou um momento da história da cidade em que as construções de “espigões” mudam sua fisionomia. Não digo que esta seja uma situação ruim, é apenas a transformação da “vila velha” das pequenas casinhas na “vila nova” dos grandes arranha-céus.

Com a fotografia ao lado, a sugestão é descobrir de onde ela foi tirada...



GALERIA:

📷
📷


Literatura e Crônicas

O casamento de papai - Por Sérgio Figueira Sarkis

O casamento de papai - Por Sérgio Figueira Sarkis

Papai resolveu casar com mamãe Selika, moça prendada e participante da sociedade local

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Anos de 1567 e 1569 - Por Basílio Daemon

Ainda outra aldeia em Reritiba, hoje Benevente, na rampa de uma montanha e ao redor dela com outra principiada ainda no lugar chamado Orobó, a dez quilômetros pouco mais ou menos do mar

Ver Artigo
Ontem, Hoje e Amanhã - Por José Carlos Corrêa

Gostávamos muito dali pois o Parque na época era o melhor lugar da cidade. Lá morava a Lurdinha, melhor amiga de Dodora, no Edifício Moscoso

Ver Artigo
Quarta-feira no Parque - Por Maria Helena Hees Alves

Admiro as peças antigas que o Parque ainda guarda: um sinaleiro apagado, um chafariz sem água e um relógio parado

Ver Artigo
Fumaça nos meus olhos - Por Marzia Figueira

A jovem de longo vestido branco, em renda e tule,...correm os anos dourados, suave é a noite, o salão é do Clube Vitória e a debutante sou eu...

Ver Artigo
O Fim - Por Maria Amélia Dalvi

A imagem mais recorrente quando eu pensava nele era: nós dois prendendo as bicicletas com correntes nas calçadas da Rua Sete

Ver Artigo