Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Caparaó

Caparaó

Veja curiosidades sobre a Região do Caparaó, que abriga o Pico da Bandeira:

1961
No dia 24 desse ano, foi criado o Parque Nacional do Caparaó por um decreto federal assinado pelo então presidente da república Jânio Quadros.

Divisa
É capixaba, mineiro e de todo mundo. O Parque Nacional do Caparaó fica na divisa de Minas Gerais e Espírito Santo. Possui uma área protegida de 31.853 hectares.

70% de área
É o total da área do Parque Nacional do Caparaó no Espírito Santo. Apenas 30% ficam em Minas Gerais.

Ordem de D. Pedro
A região do Caparaó abriga o terceiro pico mais alto do país, o Pico da Bandeira, onde, em 1859, D. Pedro II determinou que fosse colocada uma bandeira do império no seu topo. Acredita-se que seu nome se deve a esse fato.

Gigante
2.892 metros é a altitude do Pico da Bandeira.

Montanhas irmãs
No local existem outras formações rochosas importantes, como o Pico do Cristal (2.798 metros) e o Pico do Calçado (2.766 metros)

Hidrografia
A hidrografia do Caparaó merece atenção. Parte das nascentes dirigem-se para o mar, enquanto outras vão formar as maiores bacias da região: a do Rio Doce, a de Itabapoana e do Itapemirim.

Índios
A região onde se encontra o Parque Nacional do Caparaó foi ocupada, em tempos remotos, por diferentes grupos indígenas, como os botocudos, puris, tapuias e, posteriormente, tupis.

Século XVIII
Desde essa época é realizada a colheita de café na Região do Caparaó, quando, com o fim da mineração, o produto substituiu o ouro no processo de povoamento mineiro.

Século XIX
É a época em que a região da Zona da Mata mineira, que incluía cidades como Carangola e Manhuaçu, próximas ao parque, tornou-se cafeicultora, atraindo imigrantes italianos, espanhóis e portugueses.

Pecuária de Leite
Com o tempo, a terra foi sendo esgotada, a mão-de-obra foi escasseando e o café perdeu valor econômico. E a pecuária de leite se transformou na atividade predominante na região, até a volta do café, que continua atualmente.

Transporte
Outro fator importante na região foi a presença constante de tropeiros que caregavam mercadorias, notícias e, especialmente, o café comercializado. Foi a principal forma de transporte por muito tempo.

1913
Foi o ano em que chegou o transporte ferroviário à região. A "The Leopoldina Railway" chegou para transportar produtos agrícolas e madeiras nobres como o cedro.

Poluição
Na época, além da destruição causada pela comercialização da madeira, os trens utilizavam locomotivas a vapor que se abasteciam de carvão vegetal proveniente das florestas locais.

Guerrilha
A região do Caparaó e as próprias terras do parque Nacional estão ligadas, também, a história mais recente do país, a das guerrilhas oposicionistas ao governo militar.

1966
Foi por volta desse ano, que um grupo, organizado pelo Movimento Nacional Revolucionário (MNR), reuniu-se no alto da Serra do Caparaó com o objetivo de derrubar o governo militar. Foi provavelmente, o primeiro movimento no país de resistência armada à ditadura - regime militar implantado no Brasil em 1964.

Rebelião
O grupo foi constituído por intelectuais, militares cassados e militantes de esquerda, incluindo Leonel Brizola, que, influenciados pelos ideais revolucionários de Che Guevara difundidos em toda América Latina e pelo pensamento de Fidel Castro, em Cuba, se rebelaram contra o governo.

Esconderijo
A região foi escolhida para abrigar o grupo guerrilheiro por ser um local com acidentes geográficos propícios, de difícil acesso, favorável à defesa armada e com esconderijos naturais.

Parque
Eles de instalaram na área do parque, onde montaram diversos acampamentos em locais como a Macieira, Casa Queimada, Cristal, do Tatu, Gêmeas, Casa dos Porcos, Rancho do Antônio Leite, onde se revezavam para não levantarem suspeitas. Alguns desses pontos existem até hoje.

Martelo e Bigorna
Apesar de todo o cuidado, o MNR foi descoberto pelo serviço de inteligência do governo que imediatamente deflagrou uma operação de guerra denominada "Martelo" e "Bigorna" e em pouco tempo, rechaçou o movimento revolucionário.

O Nome
Na língua Tupi, Caparaó significa tapada (trincheira) de paus tortos para vedar a passagem.

A Lenda
O Caparaó é cheio de lendas. A mais famosa é a de Pedra Menina. Conta que Tamandaré, sobrevivente de um dilúvio, foi morar nas montanhas. Ele teve vários filhos, entre eles uma menina morena e muito bela. Para se livrar dos perseguidores estrangeiros, ela pediu ao deus Rudá, responsável por mantê-la donzela, que a transformasse em pedra, para se manter fiel ao juramento de virgindade. Os visitantes juram que conseguem enxegar a menina deitada na rocha com longos cabelos.

Água Santa
Outra lenda é do religioso Bento di Gênova, que antes de morrer em 1862, morou em Água Santa, Iúna. Próximo ao local onde ele orava à Santa Luzia, surgiu uma nascente. Dizem que a fonte é milagrosa.

Pedra do Pecado
No mesmo lugar da fonte milagrosa está a Pedra do Pecado. Segundo ditos populares, o Frei di Gênova morreu encostado nela. Desde então, os moradores crêem que ao passar três vezes pela fenda na pedra ficam livres dos pecados.

 

Fonte: A Gazeta (17/06/2009)

Cidades do ES

Como surgiu Rio Pardo (Iúna)

Como surgiu Rio Pardo (Iúna)

O decreto-lei nº 15.177, de 31 de dezembro de 1943 mudou-lhe a denominação primitiva para Iúna

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Grandes latifundiários dominavam a região de Itapemirim

Fazenda Pau Brasil de Francisco Salles Ferreira

Ver Artigo
João Neiva

A região que hoje corresponde ao município de João Neiva recebeu os primeiros imigrantes italianos em 1877. As famílias fundaram os distritos de Acioli de Vasconcelos (1887) e Demétrio Ribeiro (1891).

Ver Artigo
Ano de 1856 – Por Basílio Daemon

É criada neste ano a Colônia de Santa Leopoldina, nas margens do rio Santa Maria e ribeirões que nele deságuam, sendo por aviso do Ministério do Império 

Ver Artigo
Ano de 1847 – Por Basílio Daemon

Fundada em 1847 a Colônia de Santa Isabel, com 163 colonos chegados na sumaca Rodrigues, de propriedade de Antônio Joaquim Rodrigues 

Ver Artigo
Divisão administrativa do município de Vitória, 1937

São os seguintes limites do município de Vitória

Ver Artigo