Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Catedral Metropolitana de Vitória

Vitral da Catedral Metropolitana de Vitória - Foto Walter de Aguiar Filho

No lugar da antiga Igreja Matriz, do período colonial, após a sua demolição, foi construída uma enorme igreja, com estrutura em concreto armado que reúne vários estilos, do gótico ao bizantino. Sua construção, inspirada na catedral alemã de Colônia, foi iniciada em 1920 e concluída 50 anos depois. André Carloni participou dessa construção. Os vitrais, de autoria do imigrante italiano Formenti, foram doados por famílias ricas da cidade e pelas irmandades religiosas.

LARGO DA MATRIZ - Hoje Catedral, com a elevação do Estado a Bispado. Praça fronteira ao templo, onde se situava pequeno cemitério. Havia uma lombada, ocupada por quarteirão, que encobria a vista da Matriz pelo lado do Palácio. Nessa área depois de aplainada, construiu-se a Casa de Saúde, sede da Associação dos funcionários públicos (1935-1938).

 

Fonte: Biografia de uma ilha
Autor: Serafim Derenzi
Roteiro Histórico I - 2ª Edição, Prefeitura de Vitória, outubro/2007
Compilação e Fotos: Walter de Aguiar Filho, junho/2011

 

LINKS RELACIONADOS:

>> André Carloni




GALERIA:

📷
📷


Monumentos

Preservar a memória – Por Sebastião Pimentel

Preservar a memória – Por Sebastião Pimentel

Imóveis cuja importância histórico-social ou beleza arquitetônica sejam consideradas imprescindíveis à memória da sociedade não podem ser destruídos, ou modificados

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Monumento a Vasco Fernandes Coutinho (1º Donatário da Capitania)

É representado por um obelisco de granito, constituído de uma só peça inteiriça que assenta sobre quatro esferas de metal

Ver Artigo
A Manteigueira - Por José Carlos da Fonseca

Mas hoje persiste na minha memória a figura da manteigueira vista lá da curva do Saldanha como uma paisagem inapagável dos meus primeiros tempos de Vitória

Ver Artigo
Palácio das Águias é restaurado

O Palácio das Águias, localizado em Marataízes, reabriu suas portas ao público

Ver Artigo
Ano de 1766 - Por Basílio Daemon

É levantada pelo engenheiro José Antônio Caldas, por ordem do vice-rei conde de Azambuja, uma planta do Forte de São Diogo 

Ver Artigo
Ano de 1767 - Por Basílio Daemon

Levantadas por ordem do Conde de Azambuja diversas plantas e perspectivas das fortalezas e fortes da capitania pelo engenheiro José Antônio Caldas, sendo a primeira a do Forte de São João

Ver Artigo