Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Chácara do Vintém - Por Elmo Elton

No governo de Florentino Avidos, desapropriados os terrenos da Chácara do Vintém, foram abertas as ruas Deocleciano de Oliveira, Aristides Freire e do Vintém, as três com entrada pela Graciano Neves - Mapa: Google

No governo de Florentino Avidos, desapropriados os terrenos da Chácara do Vintém, foram abertas as ruas Deocleciano de Oliveira, Aristides Freire e do Vintém, as três com entrada pela Graciano Neves.

Deocleciano Nunes de Oliveira (1870-1919), educador de renome, patrono da cadeira n° 11 da Academia Espírito-santense de Letras, foi diretor da Escola Normal, tendo organizado, no governo de Jerônimo Monteiro, o Arquivo Público, cuja inauguração ocorreu a 24 de fevereiro de 1910.

Aristides Brasiliano de Barcellos Freire (1849-1922), educador e teatrólogo, patrono da cadeira n° 10 da Academia Espírito-santense de Letras, foi figura de merecido destaque na vida cultural da cidade, daí a justa homenagem que lhe prestou a municipalidade de Vitória, dando seu nome a uma das artérias centrais desta capital.

O vintém "era moeda nobre, usava-se no bolso do colete e valia muito no mercado de mantimentos, sendo que, em decorrência da desvalorização da moeda nacional, três vinténs passaram a valer quatro, e quatro tiveram o valor de um tostão".

Datam, também, do governo de Florentino Avidos, as ruas Alziro Viana e Dr. Antônio Aguirre; a primeira dividida em duas seções, começa na Chácara do Vintém e se prolonga até a chácara do Moniz, a segunda parte da rua do Rosário e termina na chácara do Moniz. Ambas enladeiradas e tortuosas.

Alziro Viana (+ 1927) teve vida política, exercendo cargos de relevo na administração do Estado.

Antônio Gomes Aguirre (1859-1928), médico, patrono da cadeira n° 34 da Academia Espírito-santense de Letras, era tido como amigo dos pobres, "uma figura tradicional da história, da política e da sociedade capixaba", segundo informam seus biógrafos.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2017

História do ES

Principal transporte em terra, tropa deixa rastro de poesia

Principal transporte em terra, tropa deixa rastro de poesia

Com o crescimento da produção do café, aumentaram as necessidades de transportes, não havia outra alternativa se não o uso de animais de carga

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Victória – Cidade Presépio, 1937

A linda capital do Espírito Santo. A cidade de Vitória está situada numa ilha banhada por águas do oceano Atlântico

Ver Artigo
Os cônsules no Espírito Santo

São representantes junto ao Governo do Estado, com residência nesta capital

Ver Artigo
Corpo de Bombeiros e Polícia Militar do ES

A Polícia Militar do Espírito Santo é uma das mais eficientes do Brasil. Também o é assim o Corpo de Bombeiros de Vitória

Ver Artigo
Movimento Natural da População do Espírito Santo em 1937

Empenhados em que sejam conhecidos, com a maior rapidez, os resultados do movimento natural da população do Estado (movimento do registro civil), durante o ano de 1937, organizamos as tabelas que se seguem

Ver Artigo
A Penitenciária do ES – Governo Punaro Bley

Turmas de convictos passaram a trabalhar no cultivo das terras adjacentes nos limites da Penitenciária, ou nas suas pedreiras, 

Ver Artigo