Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Chiquinho, o populista

Francisco Lacerda de Aguiar - Chiquinho

As denominadas “oposições coligadas” (PSP+PR+PRP+PTB+UDN+PDC) só conseguiram destruir o predomínio do PSD em duas eleições: a de 1954 e a de 1962. Nos dois pleitos, o candidato vitorioso foi Francisco Lacerda de Aguiar, conhecido como “Chiquinho”. A estratégia da campanha para elegê-lo foi, nas duas ocasiões, a mesma: fizeram-no parecer, para o eleitor, um “homem do povo”. Na realidade, Francisco Lacerda de Aguiar era um grande fazendeiro da cidade de Guaçuí, no sul do Estado – lembre-se de Aristeu Borges de Aguiar, na República Velha.

O cientista político João Gualberto, no livro A invenção do Coronel, relata que “Chiquinho” saiu em busca do povo. Subiu morros, visitou favelas, (...). Sua campanha fundou-se nessas visitas feitas às casas dos eleitores, onde tomava café, conversava sobre fatos banais e ouvia suas reivindicações (...)”

Em 1972, recordando as campanhas eleitorais das quais participou, o próprio “Chiquinho” deu o seguinte depoimento:

“Sou mesmo um homem da roça, humilde. Eu cumprimentava todo mundo, eram todos meus amigos. Segui a orientação de um amigo da Câmara de Deputados que me disse que quando num comício tem muito bêbado e muita gente no palanque, a vitória é certa. Então, quando não havia bêbados nos comícios eu mandava buscar nos bares mais perto.”

Francisco Lacerda de Aguiar, portanto, é a versão espírito-santense do fenômeno político nacional chamado populismo. Apesar de ser membro da elite, transformou-se em “porta-voz” das camadas populares – os “excluídos” do campo e das cidades. Na década de 50 do século passado, 80% da população capixaba vivia no meio rural.

Como todo bom populista, “Chiquinho” foi um líder carismático e paternalista, que seduziu e empolgou a “massa”, ganhando sua admiração, fidelidade cega e votos.

 

Fonte: História do Espírito Santo – Uma  Abordagem Didática e  Atualizada 1535 – 2002
Autor: José P. Schayder
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2012 

História do ES

Peixes catalogados em 1862 no ES

Peixes catalogados em 1862 no ES

Veja as espécies marinhas catalogadas pelo escritor Brás Rubim em 1862, no Espírito Santo 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Cidade dormitório

Aos jovens que completavam o curso primário e aspiravam o primeiro emprego só restava procurá-lo em Vitória

Ver Artigo
A Mata Virgem – Por Auguste François Biard (Parte IV)

Tinham me falado, várias vezes, desde que chegara ao Brasil, de uma terrível cobra, a maior das trigonocéfalas, conhecida pelo nome de surucucu

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
A Ilha de Vitória – Por Serafim Derenzi

É uma posição privilegiada para superintender, como capital e porto, os destinos políticos e econômicos do Estado de que é capital

Ver Artigo
A história do Jornal A TRIBUNA

Conheça a história do jornal A TRIBUNA, publicada na resvista da Associação Espírito-Santense de Imprensa (AEI) em 12/2008

Ver Artigo