Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Cine Juparanã

Cine Juparanã e o lustre Maria Tereza Goulart

Denominação: CINE JUPARANÃ

 

Localização: av. Jerônimo Monteiro, Centro, Vitória, onde hoje funciona o Banco Bradesco.

Inauguração: 04 jan. 1967.

Capacidade: 980 lugares.

Período de funcionamento: 1967-1980.

Exibidor: Edgar Rocha, Dionysio Abaurre e Orlando Guimarães

 

Histórico: No dia 4 de janeiro de 1967, a cidade ganhava mais uma sala, localizado na Avenida Jerônimo Monteiro, onde hoje funciona banco Bradesco, o Cine Juparanã. Com 980 lugares que estavam distribuídos por dois andares, tinha na entrada um charme todo especial, o lustre Maria Tereza Goulart.

 

O candelabro veio de São Paulo e recebeu o nome em homenagem à mulher de João Goulart, que em 1961 assumiu a presidência da República após a renúncia de Jânio Quadros, mas em 1964 foi deposto pelo golpe militar.

 

Na primeira exibição foi apresentado um jornal e em seguida o padre França fez uma celebração abençoando as máquinas com água benta, como era de costume na época, para inaugurar as salas. Para a sessão inaugural a proposta foi bem diferente: toda a renda arrecadada com a exibição do primeiro filme seria destinada à instituição Pró-Matre. Às 21 horas as luzes se apagaram e a primeira sessão do cinema foi com o filme: Boeing Boeing.

 

Como posso entrar em contato com o Projeto CINEMAES?

Por e-mail:malverdes@gmail.com

Por telefone: (27) 9907-5955 (dias úteis das 10 às 20 horas)

 

O autor

 

André Malverdes nasceu na cidade do Rio de Janeiro, no bairro da Tijuca, em 1972.

Veio para o Espírito Santo aos 7 anos onde vive até hoje. Formou-se em História, em 2000, especialização em História Social do Brasil, em 2002, Arquivologia, em 2004 e três anos depois concluiu o Mestrado em História Social das Relações Políticas na Universidade Federal do Espírito Santo. Durante sua graduação pesquisou a expedição Pietro Tabacchi (1872/1874) e o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo. Durante a pós-graduação realizou a pesquisa sobre a história das salas de cinema do qual resultou esse livro, quatro exposições e diversas palestras na América Latina em eventos científicos. Atualmente é Professor Assistente do Departamento de Arquivologia da Universidade Federal do Espírito Santo, Membro

da Câmara Técnica do Patrimônio Arquitetônicos, Bens Imóveis e Acervos do Conselho Estadual de Cultura do Estado do Espírito Santo, Associado Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e Coordenador do Projeto de Pesquisa Cinememória - A História das Salas de Cinema no Espírito Santo.

 

Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2011



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Rio da Costa

Rio da Costa

O Rio da Costa tinha ânsia de chegar ao mar. Desprezando os beirais dos lajedos do Morro do Batalha, seguia em frente, no sentido leste, numa linha reta ligeiramente sinuosa, sem perder de vista seu eixo, até atingir o local conhecido como Flechal

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Mané Cocô - Por Elmo Elton

Foi construído um reservatório que passou a servir, ao palácio, repartições públicas e residências particulares dos abastados

Ver Artigo
Milagres Acontecem - Por Geert Banck

Estamos todos na sala de um sítio de Alto Corumbá, no município de Castelo, Espírito Santo

Ver Artigo
De 1960 a 1967 – Estudos e projetos de água para o ES

Numa atitude corajosa, o engenheiro Jonas Hortélio autorizou a execução da abertura emergencial de um grande orifício na parte lateral da tulipa

Ver Artigo
Por que Canela-Verde?

O nome canela-verde era dado exclusivamente ao cidadão nascido na sede de Vila Velha, estendendo-se hoje para os de todo o município. O termo canela-verde tem sua origem nos portugueses 

Ver Artigo
Abastecimento d’água na década de 50 - Por Celso Caus

Reversão e transferência dos serviços públicos de água e esgotos da Prefeitura de Vitória para o Estado. Criação do Departamento de Água e Esgoto (DAE)

Ver Artigo