Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Cine Paz

Cine Paz

Denominação: CINE PAZ

 

Localização: Av. Princesa Isabel, 380, Centro, Vitória, no Edíficio Dionysio Abaurre.

Inauguração: 25 mar. 1975.

Capacidade: 700 lugares.

Período de funcionamento: 1975-199_.

Exibidor: Dionysio Abaurre.

 

Histórico: Com a promessa que seria “o melhor cinema do estado”, em 25 de março de 1975, com suas paredes e cadeiras em vermelho, o Cine Paz foi inaugurado com o filme: Papillon. De propriedade de Dionysio Abaurre, com capacidade para 700 cadeiras, um corredor interno mais amplo do que os outros cinemas, apresentava cuidados do proprietário no que diz respeito à tecnologia e conforto para a época.

 

A sala também foi palco de um festival de cinema organizado por Amylton de Almeida na década de 80.

 

Durante uma semana eram reprisados os melhores filmes do ano anterior, sendo que cada filme ficava em cartaz apenas um dia. O festival foi o maior sucesso e desde o começo foi bem aceito pelo público, que comparecia em massa às exibições. Um dos filmes que marcaram o festival em número de público foi o musical Hair.

 

No período de férias escolares, a grande atração da sala eram os famosos filmes infantis dos Trapalhões.

 

A platéia lotava a sala depois de agüentar pacientemente as longas filas que rodavam os quarteirões da avenida Princesa Isabel. E enquanto esperavam chegar a vez de assistir o filme, pais, mães, tias e avós colocavam o papo em dia e, como quem não quer nada, pegavam carona com a meninada para mais uma sessão de cinema.

 

 

Fonte: Memórias Fotográficas – A História das Salas de Cinema de Vitória. Vitória, 2011
Autor: André Malverdes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2012 



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Ano de 1867 – Por Basílio Daemon

Ano de 1867 – Por Basílio Daemon

Em 14 de fevereiro de 1867, caíram dois raios na tarde deste dia no antigo e monumental Convento de Nossa Senhora da Penha

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo