Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Corpo de Bombeiros e Polícia Militar do ES

A Polícia Militar do Espírito Santo é uma das mais eficientes do Brasil; modelou-se pela de São Paulo. Também o é assim o Corpo de Bombeiros de Vitória, composto de homens compenetrados de seus deveres. Sua eficiência está bastante comprovada.

Pronto imediato, diligente, o Corpo de Bombeiros de Vitória é também justamente reputado um dos mais perfeitos do Brasil. Eles são chamados a atuar com absoluta confiança. Também assim acontece com a Guarda Civil da Capital do Espírito Santo: Zelosa, cumpridora dos seus deveres, bem apresentada em uniformes modernos a exemplo da Inspetoria da terra bandeirante, composta de homens instruídos e selecionados dentre os mais fortes fisicamente.

A Inspetoria de Veículos acha-se à Rua Graciano Neves, numa dependência anexa à Policia Civil. Ela presta, convenientemente seu concurso a coletividade capixaba zelando pela tranqüilidade pública, fiscalizando o trânsito, colaborando com as demais corporações subordinadas ao mesmo departamento da Administração.

É atual comandante da Força Pública do Espírito Santo o Capitão do Exército Carlos Marciano de Medeiros, um dos maiores incentivadores de Educação Física no Estado.

Desde a sua organização o Corpo de Bombeiros se acha instalado em um Quartel provisório, nos fundos do Quartel da Força Pública, no Parque Moscoso, em local que atende a toda cidade, com presteza, promovendo eficientemente, os socorros, chegando rápido aos lugares dos sinistros, por habilidade própria e também por sua colocação no Centro da cidade, ponto mais sujeito a incêndios e de maiores riscos econômicos.

 

Fonte: Revista Annuário do Espírito Santo, 1937
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2017

História do ES

Casas para morar e para rezar na era Vasco

Casas para morar e para rezar na era Vasco

Portugueses, portanto filhos fervorosos da Igreja de Cristo, dedicaram a capela a Nossa Senhora do Rosário

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1854 – Por Basílio Daemon

Falece no Riacho e é conduzido seu cadáver para a vila de Santa Cruz, onde foi enterrado, o naturalista francês Dr. João Teodoro Descourtilz   

Ver Artigo
Ano de 1853 – Por Basílio Daemon

Brás da Costa Rubim, filho do governador Francisco Alberto Rubim, se propunha à oferecer-lhe quatrocentos volumes em livros e cadernos para a criação de uma biblioteca  

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – João Théodore Descourtilz

Existe uma edição em português da "Ornitologia Brasileira ou História Natural das Aves do Brasil", lançada pela Kosmos, em 1944

Ver Artigo
Ano de 1852 – Por Basílio Daemon

São remetidas ao Museu Nacional, pelo naturalista Descourtilz, as coleções de história natural por ele reunidas tanto de pássaros como de insetos

Ver Artigo
Ano de 1850 – Por Basílio Daemon

Antônio Tomás de Godói chefe de Polícia e reconhecendo estar a província infestada de criminosos, dá logo as mais enérgicas providências no município de Itapemirim   

Ver Artigo