Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Cronologia do Convento da Penha

Convento da Penha e Campinho

1558 - Chegada de Frei Pedro Palácios que iria construir a Capela de Santo Antônio e a ermida de Nossa Senhora.

1570 - Frei Pedro Palácios encomenda a imagem de Nossa Senhora, que viria da Europa.

1570 - Morre Frei Pedro Palácios.

1573 - Jesuítas vão em romaria à Igreja da Penha agradecer terem sido salvos de um naufrágio.

1589 - Os freis Antônio dos Mártires e Antônio das Chagas chegam a Vitória, e passam a dar assistência religiosa ao Convento e aos romeiros.

1591 - Dona Luiza Grimalda doa aos franciscanos a igreja e as terras do Morro da Penha.

1609 - Trasladação dos restos mortais de Frei Pedro Palácios do Convento de Vitória para o Convento da Penha.

1627 - Frei Vicente do Salvador descreve o Santuário da Penha na obra História do Brasil de 1500 a 1627 e cita Frei Pedro Palácios.

1639 - Frei Paulo de Santo Antônio inicia a ampliação do santuário.

1643 - Os holandeses invadem Vila Velha, mas não conseguem ocupar o Santuário da Penha.

1650 - É fundado o Convento da Penha.

1653 - Os holandeses invadem Vila Velha e saqueiam o Convento.

1669 - Pela primeira vez a imagem de Nossa Senhora vai em procissão até Vitória.

1750 - Frei Agostinho de São José ordena a ampliação do Convento.

1769 - A imagem de N. Senhora volta a ir em procissão até Vitória.

1777 - Reconstrução da Casa dos Romeiros, calçamento da Ladeira da Penitência e construção dos muros.

1853 - O Convento passa a ter 8 casas de romeiros.

1844 - A Assembléia do Estado declara o dia da Festa da Penha de gala e feriado.

1849 - Frei Vitorino de Santa Felicidade restaura o Convento.

1856 - Durante epidemia de cólera a imagem do Menino Jesus sai da Penha e vai em procissão a Vitória e Serra.

1860 - O imperador Dom Pedro II, a imperatriz Dona Tereza Cristina e comitiva visitam o Convento.

1871 - Durante a Festa da Penha o Definitorio Franciscano declara livres o ventre de todas as escravas dos Conventos da Província, alforria 4 escravos adultos e 12 escravos menores do Convento da Penha.

1874 - Frei João do Amor Divino determina nova ornamentação da igreja, que é realizada pelo escultor João Fernandes Pereira e a pintura dos ovais sobre a Penha, realizada pelo pintor Vítor Meireles de Lima.

1879 - Dom Pedro Lacerda, bispo do Rio de Janeiro, proíbe, a 14 de abril, a celebração da Festa de N. Senhora da Penha fora da área do Santuário.

1880 - Dom Pedro Lacerda visita o Convento da Penha.

1928 - Inaugurada, no corredor do Convento, 4 telas de Benedito Calixto: A Chegada de Frei Pedro Palácios ao Espírito Santo; A Gruta de Frei Pedro Palácios; A Visão dos Holandeses; O Milagre da Seca.

1942 - Após longa ausência os franciscanos retornam ao Convento da Penha na Festa da Purificação de Nossa Senhora.

1951 - A imagem de Nossa Senhora da Penha é restaurada por Giovanni Tomaselli.

1952 - Inaugurada a Sala dos Milagres no segundo andar da Casa dos Romeiros.

1952 - Usada, pela primeira vez, a Pia Batismal do Convento.

1953 - Realizada a Sagração do Santuário da Penha, a 1º de maio, pelo bispo Dom José Joaquim Gonçalves.

1955 - O Convento é oficialmente entregue à Ordem Franciscana, representada por Frei Heliodoro Müller.

1956 - Erigida a primeira Via Sacra do Convento.

1958 - Uma réplica da imagem de Nossa Senhora da Penha percorre as paróquias do Espírito Santo acompanhada por missionários.

 

Fonte: Nossa Senhora da Penha – Padroeira do Espírito Santo – 2005
Autora: Sandra Medeiros
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2015

Religiosos do ES

Doação da ermida aos Franciscanos

Doação da ermida aos Franciscanos

As autoridades de Vila Velha e Vitória resolveram entregar a Capela da Penha aos Franciscanos

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Cronologia do Convento da Penha

Cronologia da história do Convento da Penha

Ver Artigo
Os Jesuítas chegam – Por Serafim Derenzi

Inácio Lopes de Recalde, como se chamava no mundo, fora capitão do exército de Navarro. Trocou a espada de guerreiro pela cruz

Ver Artigo
As Ordens Religiosas concluem seus Conventos – Por Serafim Derenzi

No correr do setecentos, os jesuítas, em suas cartas, quando se referem a casa e a igreja de sua ordem em Vitória, chamam-nas de Colégio Santiago e igreja de S. Maurício

Ver Artigo
Expulsão dos Jesuítas – Por Luiz Serafim Derenzi

No cenário do Brasil Colônia, a Capitania do Espírito Santo foi sempre obscura, por isso, não constituía problema para o governo metropolitano. 

Ver Artigo
Ruínas em Anchieta

As ruínas do Rio Salinas ficam na cidade histórica de Anchieta, litoral sul do Espírito Santo. Conta-se na região que o local provavelmente abrigou uma salina clandestina

Ver Artigo