Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Curiosidades Espírito-santenses - Por Eurípides Queiroz do Valle - VIII

Na década de 1970 foi descoberto que o Morro do Moreno lembra uma Macaca Grávida deitada de barriga para cima

A natureza espírito-santense apresenta algumas curiosidades dignas de nota. O visitante tem a sua atenção logo despertada para a forma e feitio, por vezes caprichoso de suas montanhas. Há, espalhados pelo interior do Estado, inúmeros “pães-de-açúcar” e “dedos-de-Deus”. Dos primeiros temos um exemplar logo à entrada do Porto de Vitória. Já em 1865 um explorador canadense, em viagem de estudos por aqui, denominava o Penedo, ali existente, de “Pão-de-Açúcar”. A natureza o colocou, como o do Rio de Janeiro, do lado esquerdo de quem entra na baía. O Itabira, colossal coluna de granito de mais de 500 metros de altura, nas proximidades da Cidade de Cachoeiro do Itapemirim, é o maior “Dedo-de-Deus” dos capixabas. Ao longe, o conjunto de montanha que o cercam, lembra o perfil do saudoso Ministro Osvaldo Aranha, deitado, com o seu velho cigarro à boca. Outras montanhas recordam o perfil de animais, de objetos e de silhuetas humanas. Os nomes desses montes revelam bem essas formas e feitios. Assim é que entre outros a nossa orografia registra: - Morro da Gamela, Morro do Chapéu-Grande, do Garrafão, da Andorinha, do Macaco, do Papagaio, do Velho, da Noiva, do Leão, etc. E entre todos, esse maravilhoso conjunto existente nas proximidades da cidade de Rio Novo do Sul, na rodovia Vitória-Cacheoiro da Itapemirim, e que representa, com nitidez impressionante, a figura de um frade aos pés do qual se ajoelha, contrita, uma irmã-de-caridade a que o povo deu o nome de o “Frade e a Freira”. O saudoso poeta cachoeirense Benjamim Silva imortalizou a lenda existente sobre aquelas duas figuras neste soneto:

 

Na atitude piedosa de quem reza

E como que num hábito embuçado,

Pôs, naquele recanto, a Natureza

A figura de um frade recurvado.

 

E sob um manto negro de tristeza

Vê-se uma freira, tímida a seu lado,

E que vive rezando, com certeza,

Uma oração de amor e de pecado.

 

Diz a lenda – uma lenda que espalharam –

Que aqui dentre os antigos habitantes

Houve um frade e uma freira que se amaram

Mas Deus os perdoou lá do infinito

E eternizou o amor dos dois amantes

Nessas duas montanhas de granito!

 

Nota do Site Morro do Moreno: Na década de 1970 foi descoberto por surfistas que o Morro do Moreno se assemelha a uma Macaca Grávida deitada de barriga para cima

 

Fonte: Torta Capixaba (ensaios, crônicas, poesias...), 1962
Autor: Eurípides Queiroz do Valle
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2012 

Curiosidades

Congo em Jacaraípe - por Rubem Braga

Congo em Jacaraípe - por Rubem Braga

São cantigas de escravos? Parecem ser de escravos soldados que daqui, de São Pedro de Jacaraípe, doce praia do Espírito Santo, eram mandados para o rio Doce ou o Paraguai. A música desse congo é triste mas viva, e paramos o carro na estrada para ouvir.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Circo em Vila Velha no tempo do Seu Dedê

Os circos eram montados no largo destinado à Praça Duque de Caxias 

Ver Artigo
A Iluminação de Vitória no Século XIX – Por Elmo Elton

A iluminação pública a eletricidade foi inaugurada, em Vitória, a 25 de setembro de 1909

Ver Artigo
Hospedaria de Imigrantes da Pedra D’Água - Edifício Histórico de Quarentena

Para receber os imigrantes era indispensável a construção de uma hospedaria para alojá-los no período de quarentena

Ver Artigo
Inhoá – Por Edward Athayde D’Alcântara

Era uma comunidade de pescadores, vivendo harmoniosamente, embora a falta de conforto naqueles pequenos barracos

Ver Artigo
Banho na Maré – Por Edward Athayde D’Alcântara

Hoje, o local seria do outro lado onde está o Shopping da Costa. Brincávamos de “boto e tainha”

Ver Artigo