Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Daemon dedicou seu livro ao imperador, D. Pedro II

Capa do livro de Daemon dedicado à D. Pedro II, 1879

DEDICATÓRIA AO IMPERADOR, D. PEDRO II

 

 

À S. M. O IMPERADOR.

Senhor!

Não podíamos dedicar a outrem o fruto de nossos incessantes estudos durante seis e meio anos, senão a V. M. imperial: o primeiro cidadão deste vasto império, o propugnador estrênuo das letras pátrias, o protetor constante daqueles que se hão esforçado por esclarecer a história de nosso país, que até certa época era bastante obscura.

É, Senhor, o fruto de um trabalho aturado, feito e publicado sob nossas únicas expensas, e que, com dificuldade e sacrifício o concluímos, já pelo dispêndio na obtenção de obras raras e manuscritos até hoje ignorados, como pelo tempo que empregamos no compulsar e estudar o que havia de notável a respeito da província do Espírito Santo. Não terá esta publicação o mérito das obras de grande fôlego, mas conterá em si um predicado, e esse é, a verdade dos fatos aqui narrados, descritos e reunidos com insano trabalhar.

Esperamos, Senhor, em Vossa Magnanimidade aceiteis este livro, projetado com o patriotismo de quem quer ser útil a seu país, pois descrevemos nele o que há e tem havido de notável nesta província, na fé de que prestamos, com isso, um serviço à nossa pátria.

Aceitai-o, pois, Senhor.

 

De V. M. imperial

Súdito leal e reverente

 

Basílio Carvalho Daemon

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2019

História do ES

Peixes catalogados em 1862 no ES

Peixes catalogados em 1862 no ES

Veja as espécies marinhas catalogadas pelo escritor Brás Rubim em 1862, no Espírito Santo 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo