Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Duarte de Lemos, homem providencial

Vasco Fernandes Coutinho x Duarte Lemos

Foi nessa conjuntura que lhe caiu nos braços um homem providencial – Duarte de Lemos. Mais tarde, este urdirá intriga, parece que sem fundamento, para desbancá-lo das graças reais, mas é impossível negar o mérito do seu auxílio naquele momento cruciante em que a capitania madrugava.

Fidalgo da casa real,(22) Duarte de Lemos vivera na Bahia, onde, ao que parece, se incompatibilizara com Francisco Pereira Coutinho – donatário daquela colônia – em cuja comitiva viera para o Brasil.(23) Aventureiro ambicioso, no conceito de quantos o estudaram, possuía recursos, sabia mandar e era dotado de espírito prático. Os motivos que o trouxeram ao Espírito Santo são ignorados.

Atraído por alguma proposta vantajosa, ou vislumbrando na situação precária de Vasco Coutinho uma oportunidade de se tornar, pelo menos, seu sócio e igual na capitania, Duarte de Lemos rumou para o Espírito Santo com seus “criados e outras pessoas que por seu respeito vieram com ele”.(24)

 

NOTAS

(22) - Carta de confirmação da doação da Ilha de Santo Antônio. – Arquivo da Torre do Tombo, Chancelaria de D. João III, liv. 6, 512 (apud MALHEIRO, Regimen Feudal, 265).

– “Duarte de Lemos figura entre os autores de versos do Cancioneiro, de Garcia de Resende” (CALMON, Hist. Brasil, I, 192, nota).

(23) - LAMEGO, Terra Goitacá, V, 371.

– RODOLFO GARCIA informa: “Duarte de Lemos, fidalgo da casa real, que na Ásia obrara grandes feitos, acompanhou ao Brasil Vasco Fernandes Coutinho, donatário da Capitania do Espírito Santo” (Explicação, in DH, XXXVII, p. XXVIII).

(24) - Da escritura de doação, transcrita na carta régia de oito de janeiro de 1549, in HCP, III, 266.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, julho/2018

História do ES

Fotos Antigas

Fotos Antigas

Veja mais fotos de Vitória e Vila Velha na década de 70.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
Jesuítas no Espírito Santo

Em 1549 partiram da Bahia – escalaram no porto da “povoação do Espírito Santo” Leonardo Nunes e Diogo Jácome

Ver Artigo
Origem do nome das cidades do ES

Muitas vezes, por um simples motivo, surge a origem do nome de uma cidade, como por exemplo, o hábito dos moradores de tomar um cafezinho que, de tão ralo, mais parecia água doce. Daí veio o nome da cidade de Água Doce. E o nome da cidade de Águia Branca, de onde surgiu essa idéia? 

Ver Artigo
Araribóia X Villegagnon

Araribóia, comandante de duzentos temiminós que o Espírito Santo mandou à luta contra os franceses de Villegagnon

Ver Artigo
Perlustrando a costa - Limites com a capitania de S. Tomé

Vasco Coutinho em 1539 passou um assinado a Pero de Góis – donatário de São Tomé – demarcando limites entre as duas capitanias

Ver Artigo