Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Eleições de Vila Velha em 1935

Festejos comemorativos do 4º Centenário do ES

Durante o mandato de Freitas Lima, foi comemorado o Quarto Centenário da Colonização do Solo Espírito-santense em 23 de maio de 1935. Segundo José Anchieta de Setúbal, no livro Ecos de Vila Velha, a data foi comemorada com uma grande festa. Foi encenada a chegada de Vasco Fernandes Coutinho à Prainha e realizada uma exibição da esquadrilha do Exército, cujos cinco aviões fizeram acrobacias sincronizadas. Segundo Setúbal, quem deu um show à parte foi um piloto Melo Maluco, que “desligava o motor em pleno ar e descia de ponta-cabeça, em parafuso, deixando para acionar o motor quando já se encontrava perto do solo, dando a impressão de que não conseguiria o seu intento. Fazia coisas inimagináveis”.

Freitas Lima construiu escolas e deu especial atenção ao serviço de saúde pública. Combateu a formiga saúva e fez a manutenção das estradas de Vila Velha-Vitória e Vila Velha-Barra do Jucu-Ponta da Fruta.

Com a promulgação da Constituição do Estado do Espírito Santo em 1935, o Art. 11 estabeleceu que a eleição para prefeito e vereadores seria realizada em 15 de dezembro de 1935. A posse deveria ser em fevereiro de 1936 com a duração do mandato até julho de 1939.

Sob a presidência de Eugênio Pacheco de Queiroz, o Partido Social Democrático (PSD) lançou Francisco Almeida Freitas Lima para prefeito; indicando para a chapa vereadores os seguintes nomes: Eugênio Pacheco Queiroz, Manoel Luiz Vellozo, José de Azevedo Vereza, Alfredo Correa Lima, Ernani Souza e Saturnino Rangel Mauro.

O concorrente de Freitas Lima foi Olinto Couto Aguirre, que lançou sua candidatura pelo Partido Construtor e teve como candidatos à Câmara Themistocles Coutinho Carneiro, Manoel Adolpho Barcellos, Miguel Manoel de Aguiar, Manoel Nunes Leão, Thelmo Corrêa da Silva, Dalmácio Pereira, Manoel Barcellos Neto e Luiz Lourenço Marques.

Em 1º de fevereiro de 1936, Freitas Lima tomou posse como prefeito eleito pelo voto popular. A Câmara ficou composta pelos vereadores Eugênio Pacheco Queiroz, Alberto de Queiroz, José de Azevedo Vereza, Álvaro Teixeira da Silva, Thelmo Correa da Silva, Saturnino Rangel Mauro, Francisco Paulo Bandeira Chagas e Themistocles Carneiro.

Mas, naquele mesmo ano Freitas Lima entrou em conflito com a Câmara Municipal. Segundo Roberto Abreu Brochado, um dos motivos do atrito foi a licitação para a compra de um caminhão. Forçado a renunciar, Freitas Lima foi substituído em 1936 por José Azevedo Vereza, e este entregou o poder em 1937 ao vice-prefeito Manoel Gonçalves Carneiro. Freitas Lima veio a falecer em 30 de julho de 1937.

Em 1937, Eugênio Pacheco de Queiroz assumiu seu segundo mandato, que foi até 1943. Sua principal preocupação foi de caráter urbanístico: corrigiu o traçado das ruas Municipal (que ganhou o nome de Antônio Athayde) e Luiza Grinalda, eliminando as ruas Sacramento e Padre Carneiro. Além disso, Eugênio Queiroz modernizou o jardim da Praça da Bandeira (em frente à Igreja do Rosário), construiu o jardim da Praça Otávio Araújo, colocou meio-fio nas ruas do centro, incentivou os moradores a fazerem calçadas em frente às suas casas e mudou o nome da Praça Vasco Coutinho para Duque de Caxias. Finalmente, conseguiu apoio do 3º Batalhão de Caçadores (atual 38º Batalhão de Infantaria) para proteger a fábrica Garoto durante o “quebra-quebra” que ocorreu após o início da Segunda Guerra Mundial, em que o Brasil estava contra a Alemanha. Como se sabe, a fábrica Garoto pertencia a uma família alemã.

Em 31 de dezembro de 1943, o Município voltou a ser anexado à capital pelo Decreto Estadual nº 15.177, com a denominação de Espírito Santo de Vitória, juntamente com o distrito de Argolas. O distrito da Barra do Jucu passou a pertencer a Jabaeté (antigo nome de Viana).

 

Livro: História política e econômica de Vila Velha
Coordenação e texto final Antonio de Pádua Gurgel, 2010
Compilação: Walter de Aguiar Filho,outubro/2011

Vila Velha

Pregões em Vila Velha

Pregões em Vila Velha

Em Vila Velha, na década de 20, os vendedores ambulantes tinham seu repertório especial para apregoarem suas mercadorias

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Extinção e reinstalação do município de Vila Velha

Através do Decreto Estadual n 1.102, o município do Espírito Santo (Vila Velha) foi extinto em 2 de abril de 1931 e incorporado como distrito ao município de Vitória

Ver Artigo
Quarto Centenário de Vila Velha

23 de maio de 1935 é considerada a data do Quarto Centenário da Colonização do Solo Espírito-santense. Por que não Quarto Centenário de Vila Velha, se foi aqui que tudo começou? 

Ver Artigo