Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Estudos sobre a descoberta da Província - Parte III

Estudos sobre a descoberta da Província do ES - Parte III

Em 1510 deu-se o naufrágio, sobre os baixios da baía de Todos os Santos, do navio em que vinha Diogo Álvares (Caramuru). Ele e mais oito companheiros foram os únicos que escaparam ao furor das ondas, e cuja história é bastante conhecida de todos, já pelas descrições de cronistas, como de historiadores. Os poetas fizeram de Caramuru quase um herói como os dos tempos fabulosos, no que acompanhamos ao Sr. José de Vasconcelos, cônego Fernandes Pinheiro e Santa Rita Durão, que foi o seu principal cantor. Historiadores como o Sr. conselheiro João Manoel Pereira da Silva, Varnhagen, José de Vasconcelos e outros, são dignos de serem consultados, pois com o esmeril da crítica, na frase do Sr. cônego Pinheiro, depuraram a verdade histórica e ficção romanesca. Hoje está reconhecido que sua imaginada viagem à França, títulos de nobreza, sobrenome de Correia etc. é tudo falso.

Conclui-se, afinal, que o navio em que viera Diogo Álvares não ultrapassou a baía de Todos os Santos, onde naufragara.

Pelo ano de 1513, segundo Damião de Góes, três índios do Brasil foram apresentados a el-rei D. Manoel por Jorge Lopes Bixorda, trazendo por intérprete um português que já era versado na língua indígena. Não se sabe ao certo em que navio foram conduzidos, visto as trevas que há a respeito em Simão de Vasconcelos, Aires do Casal e outros, que discordam sobre este assunto.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, junho/2019

Matérias Especiais

Novidades no Farol de Santa Luzia

Novidades no Farol de Santa Luzia

É com alegria que recebemos a notícia de que o Farol de Santa Luzia vai, enfim, ser aberto diariamente!

Foi assinado em 27 de julho de 2006 um protocolo de intenções entre a Prefeitura de Vila Velha e a Capitania dos Portos. Conforme esse protocolo, a capitania cede a área do Farol para a Prefeitura transformá-lo em ponto turístico, durante o prazo de 10 anos, podendo ser prorrogado.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Jerônimo Monteiro - Capítulo XVI

Fazia-se o desembarque de passageiros, em escaleres e lanchas pequenas que atracavam às escadas dos navios

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro - Capítulo II

Na foto ilustrativa, o casal Francisco de Sousa Monteiro e Henriqueta Rios de Sousa, pais de Jerônimo Monteiro (fim do séc. XIX). APEES — Coleção Maria Stella de Novaes

Ver Artigo
Saudações - Fernando Antonio de Oliveira

Carta endereçada ao escritor Walter de Aguiar Filho, autor do livro "Krikati, Tio Clê e o Morro do Moreno", pelas lembranças que nos traz sobre Vila Velha de outrora e pelo alerta sobre a identidade e cultura do canela-verde. Confira!

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VIII (FINAL)

Cristóvão Jaques foi o único que fez reconhecimentos e assentou padrões, conforme estão de acordo todos os cronistas e historiadores, estando por isso provado ser ele o primeiro que reconheceu a costa da província do ES

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VII

Com a chegada e desembarque, na província do Espírito Santo, do donatário Vasco Fernandes Coutinho, a 23 de maio de 1535, temos finalizado a notícia dos navegantes que tocaram ou não nas costas desta província

Ver Artigo