Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Figueiredo cria hoje a reserva de Comboios - 1984

João Baptista de Oliveira Figueiredo - 30º Presidente do Brasil, de 1979 a 1985

Brasília — O presidente João Figueiredo assina hoje, em solenidade no Palácio do Planalto, os decretos de criação do Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais, da Reserva Biológica em Comboios, no Espírito Santo, e da Floresta do Jamari, em Rondônia.

Com a criação dessas unidades aumenta em 34 mil 640 hectares a área preservada em caráter permanente no Brasil (atualmente de 11 milha), e em 215 milha a destinada ao manejo sustentado, através de florestas nacionais (854 milha).

O Parque Nacional da Serra do Cipó tem uma área de 33 mil 800 hectares, localizada a 100 quilômetros de Belo Horizonte — nos municípios mineiros de Jaboticatubas, Santa do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro.

A proteção da tartaruga marinha é o principal objetivo da Reserva Biológica de Comboios, que ocupará uma estreita faixa do litoral norte do Espírito Santo, com área total de 840 hectares. Além das tartarugas, a reserva garantirá também, pela primeira vez, no Brasil, a proteção de uma mostra do ecossistema de restinga, formação vegetal que cobria extensas áreas do litoral Sudeste brasileiro e está hoje restrita a algumas manchas nos Estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.

A Floresta Nacional do Jamari, Rondônia, tem 215 mil hectares e faz parte do plano integrado do Ministério da Agricultura para o desenvolvimento do Polonoroeste. Destaca-se na área a existência de espécies florestais altamente comercializáveis e de alto valor econômico, como a castanheira, a maçaranduba, o louro rosa, o cedro rosa e a seringueira.

 

Fonte: A Gazeta, Vitória – ES, 25/09/1984
Arquivo: Instituto Jones dos Santos Neves
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2018

História do ES

Prospecto e planta da Villa da Victoria e Planta da barra

Prospecto e planta da Villa da Victoria e Planta da barra

Em 1767 o Capitão José Antônio Caldas, servindo na Bahia, foi enviado ao Espírito Santo, para a elaboração de desenhos sobre a Vila de Vitória, Vila Velha e toda a área do porto 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Mata Virgem – Por Auguste François Biard (Parte IV)

Tinham me falado, várias vezes, desde que chegara ao Brasil, de uma terrível cobra, a maior das trigonocéfalas, conhecida pelo nome de surucucu

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
A Ilha de Vitória – Por Serafim Derenzi

É uma posição privilegiada para superintender, como capital e porto, os destinos políticos e econômicos do Estado de que é capital

Ver Artigo
A história do Jornal A TRIBUNA

Conheça a história do jornal A TRIBUNA, publicada na resvista da Associação Espírito-Santense de Imprensa (AEI) em 12/2008

Ver Artigo
Intervenção federal - Governo Nestor Gomes

A vinte e seis de maio de 1920 começou a luta armada na Capital, com elementos da Força Policial dividida entre as duas facções 

Ver Artigo