Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Forte Piratininga - Presídio, Escola e Museu

No forte funcionou por duas vezes a Escola de Aprendizes Marinheiros; a primeira instalada em 1862 e extinta em 1866, e, a segunda em 1909 e extinta em 1913

FORTALEZA SÃO FRANCISCO XAVIER DA BARRA - Você sabia o que ela já foi?

 

PRESÍDIO

A fortaleza de São Francisco Xavier serviu de presídio em diversas ocasiões.

a) - Em 1808 houve desentendimentos entre o Governador Manoel Vieira de Tovar e o Ouvidor resultando na capitania duas correntes; uma a favor ao Governo e outra contrária. Nesse conflito, o Governador mandou prender alguns desafetos, homens de bem, na fortaleza.
b) - De outra feita em outubro de 1814, em greve de fome, suicidou-se na fortaleza, o alferes de Divisão do Corpo de Pedestres de Minas Gerais Manoel Rodrigues de Medeiros. Conta à lenda que o citado, junto a outros fez parte na missão de prender o vigário de Benevente (Anchieta) a mando do Governo Silva Pontes. Segundo intrigas havia dito que não tinha medo dos canhões vermelhos em alusão à farda do Governador. O vigário chegou a Vila Velha, amarrado em cordas dentro de uma rede e levado preso ao forte. Diz à crônica que acabaram desgraçados, isto é, loucos ou arruinados todos aqueles que fizeram parte daquela escolta de pedestres.O alferes Luiz Correia fora comandante de escolta e trouxe amarrado numa rede o vigário deixando-o preso no Forte São Francisco Xavier, porque, dali não quis passar em protesto a terem feito o sacristão e outras pessoas desfilarem escoltadas e amarradas nas ruas de Vitória à toque de caixa, humilhando-os desde Benevente. (DAEMON)O vigário foi remetido a Portugal e se apresentou de pés amarrados à rainha D. Maria I que censurou o procedimento do Governador.Contam que o Governador Pontes antes de morrer disse: morreria de desgostos que lhe acarretara um clérigo.

 

ESCOLA

a) - No forte funcionou por duas vezes a Escola de Aprendizes Marinheiros; a primeira instalada em 1862 e extinta em 1866, e, a segunda em 1909 e extinta em 1913.b) - Em 1917 chega a Vila Velha o 50º Batalhão de Caçadores oriundo da Bahia, ficando acantonado em prédios alugados na sede do Município. Com o nome de 3º Batalhão de Caçadores instala-se em Piratininga em 1919 vindo a ocupar também o forte, funcionando ali o Comando (Casa das Ordens). Pela nova organização do exército, em 1964, deixou de ser o Terceiro Batalhão de Caçadores para fazer parte do Trigésimo Oitavo Batalhão de Infantaria, tropa única sediada em Vila Velha. 

 

HOJE

Museu do 38 o BI.

 

VISITA HISTÓRICA

Na passagem do Imperador D. Pedro II por Vila Velha em 28 de janeiro de 1860, teve a oportunidade de visitar o forte, guarnecido na ocasião por praças da Guarda Nacional composta de cinco pedestres efetivos.Leu na inscrição do portão os seguintes dizeres: Reinando muito poderoso Rei de Portugal D. Pedro II N. S. mandou fazer esta fortaleza Dom Rodrigo da Costa Governador e Capitão general d’este Estado do Brazil Anno de 1702.

 

Autor: Edward Athayde  d´Alcantara
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2013

Monumentos

FAFI

FAFI

Construída em 1925 para abrigar o Grupo Escolar Gomes Cardim, no governo de Florentino Avidos, a Fafi, antiga Faculdade de Filosofia de Vitória, é hoje uma Escola de Arte

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Teatro Carlos Gomes

Principal teatro de Vitória, o Carlos Gomes foi inaugurado a 5 de janeiro de 1927, com a peça Verde e Amarelo, de Patrocínio Filho, representada pela Companhia Tan-Tan

Ver Artigo
Praça Costa Pereira

"A Praça Costa Pereira é o lugar ideal para refletir a cidade, a vida. Não sei, se são as árvores, talvez, o barulho dos passarinhos". Márcia Gáudio, atriz

Ver Artigo
Praça Oito de Setembro

O cronista Eugênio Sette, dizia que "... a Praça Oito parece uma mulher dama muito vivida, muito experimentada, que não arrepia carreira, nem se encabula com uma piada mais grosseira. Já viu tudo. E, por isso, aguenta firme, consciente do seu papel."

Ver Artigo
Praça João Clímaco

Localizada em frente ao Palácio Anchieta, a Praça João Clímaco, ex-praça Afonso Brás, foi durante três séculos chamada ora como largo do Colégio, ora largo Afonso Brás

Ver Artigo