Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Gente é para brilhar – Por Edileuza Penha de Souza

Rua Padre Emílio Miotti, a popular "Rua da Rosilda" - Google Maps

Batizada como Rosilda Brito Falcão, logo cedo, com o casamento, tornou-se Rosilda Falcão dos Anjos. Mesmo não estando mais casada, o "dos Anjos" já está incorporado e seus amigos afirmam: "Rosilda é um anjo", ou "Ela é dos anjos"!

Nascida e permanecida em Santo Antônio, de onde apenas mudou de uma rua para outra, vive na pomposa Rua Padre Emílio Miotti, a popular "Rua da Rosilda", onde, cercada de plantas com perfumes maravilhosos, ela aprecia de sua varanda a montanha, a mata e o mar, num cenário de não deixar dúvida de que "viver é ver Vitória".

Da infância e adolescência, ela lembra fatos engraçados que vivenciou na Escola Alberto de Almeida, onde, junto com Fernando Tatagiba, Amylton de Almeida e tantos outros, encenou inesquecíveis peças de teatro apresentadas pelo Borges, locutor da Rádio Espírito Santo; brincadeiras de roda; músicas de congo... Os colegas e professoras, como Dona Janilda e Dona Nivaldina, são lembrados com carinho e saudade de um tempo magnífico, quando as festas juninas de Santo Antônio, as procissões, catecismo e cinema proporcionados pelos padres pavonianos uniam todos os moradores.

Foi numa dessas sessões de cinema após o catecismo que Rosilda conheceu o primeiro ídolo, Charles Chaplin.

Hoje, entristecida com tantas crianças nas ruas, sem ter onde morar e a quem recorrer, angustiada por ver pessoas morrendo de fome, sem casa, sem terra e sem trabalho, seu maior sonho "é poder ver um dia todo mundo sentado em volta de uma imensa mesa farta deixada por Deus, a que, infelizmente, só alguns poucos têm acesso".

Mulher encantada, cheia de charme e magnetismo pessoal, Rosilda tem a família como o que há de mais importante no mundo. Segunda filha de uma família de sete irmãos, mãe de Sandra, Ana Cláudia, Toninho e Vinicius, e avó de Maria Teresa e João Vitor, Rosilda retira frases de versos e poesias para rechear com arte a felicidade que para ela é a vida.

Trabalhando desde 1992 na comissão do carnaval de Vitória, ela vê cumprida a sua tarefa de pesquisa e produção que, junto com César e Alarico, pôs de volta às ruas da cidade o velho congo, os foliões e inúmeros blocos, entre eles alguns que até então estavam desativados.

Católica, ela agradece a Deus todos os dias o fato de ter nascido e poder apreciar a beleza que a natureza lhe proporciona a cada dia em que, deitada em sua varanda, ouvindo música e/ou lendo um livro, viaja nos arranjos e frases de compositores e autores que buscam uma vida mais humana, sem violência e sem discriminação.

A plenitude que Rosilda encontra no amor, dos amigos, da família, dos discos, livros e plantas, a cada dia em que renasce na ilha, não deixa dúvidas: "Gente é para brilhar".

 

Fonte: ESCRITOS DE VITÓRIA — Personalidades de Vitória – Volume 15 – Uma publicação da Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Vitória-ES, 1996.
Prefeito Municipal - Paulo Hartung
Secretário Municipal de Cultura e Turismo - Jorge Alencar
Sub-secretário Municipal de Cultura e Turismo - Sidnei Louback Rohr
Diretor do Departamento de Cultura - Rogério Borges de Oliveira
Diretora do Departamento de Turismo - Rosemay Bebber Grigatto
Coordenadora do Projeto - Silvia Helena Selvátici
Chefe da Biblioteca Adelpho Poli Monjardim - Lígia Maria Mello Nagato
Bibliotecárias - Elizete Terezinha Caser Rocha e Lourdes Badke Ferreira
Conselho Editorial - Álvaro José Silva, José Valporto Tatagiba, Maria Helena Hees Alves, Renato Pacheco
Revisão - Reinaldo Santos Neves e Miguel Marvilla
Capa - Vitória Propaganda
Editoração Eletrônica - Edson Maltez Heringer
Impressão - Gráfica e Encadernadora Sodré
Autor do texto: Edileuza Penha de Souza
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2018

Personalidades Capixabas

O Tribunal de Contas – Por Eurico Rezende

O Tribunal de Contas – Por Eurico Rezende

Cogitada desde o início do Império, a criação de um órgão de controle orçamentário e financeiro só se verificou em 1890, mercê do gênio de Ruy Barbosa

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

José Luiz Pipa Silva: a gozação - Por Sérgio Figueira Sarkis

José Luiz Pipa Silva, ou Pipa, como todos o tratavam, era de rara inteligência

Ver Artigo
Jayme Fernandes Figueira - Por Sérgio Figueira Sarkis

Ficou em Recife até 1925, quando o destino o fez encontrar o senhor Anthenor Guimarães

Ver Artigo
O Dial Capixaba – Por Maria Lúcia da Silva

Nessa conjuntura, nasceu em Vitória a primeira emissora em freqüência modulada, a Cariacica FM, inaugurada em 1975 

Ver Artigo
O Tribunal de Contas – Por Eurico Rezende

Cogitada desde o início do Império, a criação de um órgão de controle orçamentário e financeiro só se verificou em 1890, mercê do gênio de Ruy Barbosa

Ver Artigo
Liberalismo e Solidarismo – Por Eurico Rezende

Estão registrados, quer em passado remoto, quer em época recente, antes de encerrar minha carreira eleitoral

Ver Artigo