Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Governo Florentino Avidos (1924-1928)

Florentino Avidos

O alto preço do café proporcionou ao sucessor de Nestor Gomes respaldo firme para uma administração bem sucedida.

Florentino Avidos teve o mérito de saber escolher auxiliares para as tarefas de governo. E conseguiu realizar obras que fazem seu nome lembrado com carinho em todo o Estado.

Duas pontes que construiu – ligando Vitória ao continente e sobre o rio Doce, em Colatina – são marcos decisivos no progresso do Espírito Santo.

A estrada de penetração, ligando Colatina a Nova Venécia, abriu a denominada zona desconhecida ao trabalho fecundo dos povoadores.

Luiz Derenzi lembra que Mirabeau da Rocha Pimentel, secretário da Educação, “engrandeceu a instrução do Estado”. E traz a prova do seu testemunho: “As 392 escolas públicas, com a freqüência média de 13.900 alunos, do ano de 1924, focam elevadas gradativamente a ponto de, no fim do quatriênio, atingir a freqüência de 21.500 alunos, em 593 unidades escolares.”

A Capital – cuja administração estava confiada a Otávio Peixoto – “não obstante a ação dinamizadora de Jerônimo Monteiro, continuava cidade suja, com forte coeficiente de letalidade”.(46)

A equipe do Serviço de Melhoramentos de Vitória deu à cidade boa parte do que ela tem de melhor: retificação da Avenida Jerônimo Monteiro, abertura da Avenida Capixaba, criação de novos bairros residenciais, construção de centenas de moradias para funcionários e classe média.(47)

Outros fatos assinaláveis ocorridos durante o governo Florentino Ávidos: a realização, em Vitória, do Oitavo Congresso Brasileiro de Geografia – de vinte e quatro a trinta de novembro de 1925; as visitas, em 1926, dos presidentes Artur Bernardes e Washington Luís; a Exposição Estadual de Vitória e a Segunda Exposição Estadual de Pecuária.

Coube-lhe, também, mandar para o campo da luta um contingente de 321 homens da Força Pública do Estado, em auxílio do governo federal, contra os revoltosos de 1924.

O breve escorço da obra de governo do quadriênio em epígrafe seria incompleto se calasse o nome do engenheiro Moacir Avidos, filho do presidente e seu principal colaborador.

 

NOTAS

(46) - DERENZI, Biografia, 222.

(47) - Autorizada explanação sobre as principais realizações do governo Avidos no cap. XXXI da Biografia de uma Ilha, de LUIZ DERENZI.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, setembro/2017

História do ES

Folia de Reis

Folia de Reis

Os bonecões, o Boi Pintadinho, o Bicho Jaraguá "de corpo de gente e cabeça de animá", as danças de quadrilha

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Panorama da cultura capixaba

O historiador Renato Pacheco explica que o Estado passou 350 anos fechado a qualquer tipo de progresso

Ver Artigo
Censo de 1940

As jazidas calcárias no Espírito Santo estão encravadas nas formações arqueanas do sul do Estado e pertencem à província metalogênica da serra do Mar

Ver Artigo
O primeiro mapa do Espírito Santo

É de justiça assinalar o levantamento, em 1612, da primeira carta geográfica do território capixaba, por Marcos de Azeredo

Ver Artigo
Mário Aristides Freire – Secretário da Fazenda (1930-1943)

Distingue-se, na obra administrativa desses doze anos, a atuação do secretário da Fazenda – Mário Aristides Freire. 

Ver Artigo
Chácara do Vintém - Por Elmo Elton

No governo de Florentino Avidos, desapropriados os terrenos da Chácara do Vintém, foram abertas as ruas Deocleciano de Oliveira, Aristides Freire e do Vintém, as três com entrada pela Graciano Neves

Ver Artigo