Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Guarapari - Curiosidades

Siribeira Clube de Guarapari, construído no início dos anos 60

No início dos anos 30, a área central de Guarapari contava com cerca de 240 casas. Em 1942 foi construída a primeira casa veranista por Joaquim Gonçalves, apelidado de “Papai do Céu”. Foi erguida onde hoje é o edifício Apollo.

Segundo Beatriz Bueno Graeber, em seu livro inédito "Guarapari muito mais do que um sonho lindo", sem precisar data, a maioria dos homens era de pescadores, mesmo quando exerciam outras atividades. A influência dos produtos marítimos era decisiva na alimentação, nos adornos e bijuterias de conchas vendidos aos turistas, no material de uso doméstico, até nos portais da igreja.

Para limpeza dos utensílios domésticos as mulheres usavam a areia preta, ao invés de sapólio das cidades ou das tradicionais cinzas utilizadas nas roças. Os moradores adaptavam de tudo um pouco. Quando a cidade não dispunha de energia elétrica, muitos iluminavam suas casas com óleo de peixe. Uma latinha qualquer com mecha de algodão formava a lamparina. As ruas também eram iluminadas por lampiões.

Beatriz pesquisou algumas ruas antigas de Guarapari. Sempre sem se ater a datas, descobriu que a rua do Trabalho era chamada de Pinico Cheio. Na época todos usavam pinicos, já que não havia banheiros, e pela manhã jogavam os excrementos pela janela. Na altura da agência dos Correios, na rua Augusto Matos, estava instalada o Largo da Conceição, onde os moradores se concentravam e onde passava a tradicional procissão de Nossa Senhora da Conceição. Os circos que animavam a cidade se instalavam por lá. O começo da rua era chamado de Canto do Mangue. Havia uma praia ali, onde se construíam barcos.

Antes de ser conhecida como rua Pedro Caetano, em homenagem ao compositor que compôs o hino de Guarapari, era o Caminho do Mato, chamado depois de Caminho dos Velhacos. Os que tinham dívidas nas vendas da rua da Direita seguiam esse trajeto para fugir da cobrança.

Não se sabe exatamente quando, mas virou rua das Bonecas quando uma família com cinco filhas muito bonitas se mudou para lá. E o velho paquerador Benedito de Almeida passou a freqüentar a rua por causa das “bonecas”. Por lá moravam também rendeiras velhinhas, que também eram chamadas de bonecas.

No início dos anos 60 foi construído o clube Siribeira. O nome se origina do tupi-guarani. Segundo Beatriz Bueno Graeber significa árvore do siri. É que existia pedras onde se instalou o clube, a árvore Siriba, planta de mangue, que sobrevive numa poça d’água alimentada pela maré cheia. A espécie foi derrubada por um temporal no início dos anos 60. Aproveitou-se a madeira do tronco para esculpir o nome do clube, que indicava a sua entrada.

 

Fonte: A Gazeta 26 de setembro de 1994.



GALERIA:

📷
📷


Cidades do ES

Lave a alma nas cachoeiras

Lave a alma nas cachoeiras

Esta matéria foi publicada pela GAZETA em junho de 2007, mas para quem agora no Carnaval está buscando tranquilidade e natureza, a dica do site é enveredar-se pelas trilhas, matas e cachoeiras da região do Caparaó.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Divisão administrativa do município de Vitória, 1937

São os seguintes limites do município de Vitória

Ver Artigo
Barra do Jucu

Barra do Jucu é um pequeno balneário de Vila Velha, ainda tranqüilo, localizado a 15 quilômetros do centro da cidade, que atrai muita gente por seu alto astral

Ver Artigo
Então Vitória era assim (1908-1912) – Era Jerônimo

Um bonde a tração animal trafegava pela cidade baixa, de Vila Rubim ao Forte São João, passando pelo Largo da Conceição, Ruas do Rosário, Cristóvão Colombo e Barão de Monjardim

Ver Artigo
Itaúnas - Por Adelpho Monjardim

Situada na embocadura de importante rio, na orla marítima, possuidora de magnífico e extenso litoral, cedo desenvolveu-se, tornando-se próspera povoação, com intenso comércio com a Bahia

Ver Artigo
Roteiros de Guarapari

Três Praias: São consideradas as mais bonitas do balneário. A entrada é através de área particular e atualmente está fechada. As únicas formas de acesso a elas são através da Praia dos Adventistas ou de embarcações. 

Ver Artigo