Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Igreja e representação parlamentar na República

Igreja de Nossa Senhora do Amparo

Os assuntos eclesiásticos continuavam na dependência do bispado do Rio de Janeiro, com exceção de parte da paróquia de São Miguel do Veado, sujeita ao bispado de Mariana.(24)

Um senador e dois deputados constituíam sua representação no Parlamento Nacional.

Na Assembléia Legislativa Provincial tinham assento vinte e quatro deputados.

 

NOTAS

(24) - Divisão eclesiástica: “Eis a divisão eclesiástica: o arciprestado ou vigairaria da vara do Espírito Santo compõe-se das seguintes paróquias: N. S. da Vitória, N. S. do Rosário do Espírito Santo, N. S. da Conceição da Serra, S. João de Cariacica, N. S. da Conceição de Viana, Santa Isabel, S. João de Carapina, S. José do Queimado, S. Pedro de Alcântara do Rio Pardo, Santos Reis Magos de Nova Almeida, N. S. da Penha de Santa Cruz, N. S. da Conceição de Linhares, São Mateus, N. S. da Conceição da Barra de S. Mateus, Santa Leopoldina, S. Benedito do Riacho e S. Sebastião de Itaúnas. A vigairaria de Itapemirim compõe-se das seguintes paróquias: N. S. do Amparo de Itapemirim, S. Pedro do Cachoeiro, S. Pedro de Itabapoana, N. S. da Assunção de Benevente, N. S. da Conceição de Guarapari, N. S. da Penha do Alegre e S. Miguel do Veado” (Almanaque de 1889, 22-3).

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, outubro/2017

Igrejas

Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Prainha - Por Elmo Elton

Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Prainha - Por Elmo Elton

Um esclarecimento: A Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Prainha situava-se, exatamente, onde, mais tarde, foi edificado o Hotel Império, ainda funcionando. A demolição do Teatro Melpômene se verificou em 1924

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Indústrias e profissões na República do ES

Resumia-se a um artesanato despretensioso a indústria capixaba do ano de 1889 

Ver Artigo
Comércio e corpo consular na República do ES

Centenas de estabelecimentos comerciais distribuíam-se por todas as localidades. Aqui e ali, pequenos e modestos hotéis

Ver Artigo
O café e a sua nobreza na República do ES

Vale a pena demorarmos alguns instantes num rápido bosquejo da evolução da cultura cafeeira no Espírito Santo

Ver Artigo
Bibliotecas públicas e jornais na República

A Biblioteca Pública Provincial, em 1889, era servida por um amanuense-bibliotecário e um porteiro

Ver Artigo
Vida associativa na República

A Maçonaria era representada, na província, desde 1872, pela Loja União e Progresso, que mantinha variada biblioteca

Ver Artigo
Divisão administrativa, população e Justiça na República

No ano em que se fez a República, o Espírito Santo estava dividido em catorze municípios, e contava quatro cidades e dez vilas

Ver Artigo
Orçamento e ensino na República

A Companhia de Aprendizes Marinheiros proporcionava ensino profissional à mocidade

Ver Artigo
Administração e serviços públicos na República

Os faróis de Santa Luzia e da Ilha do Francês; as fortalezas de S. João e S. Francisco Xavier, as Companhias de Infantaria e de Polícia e o Batalhão da Guarda Nacional

Ver Artigo