Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Imigrantes Libaneses

Mansão dos Neffa em Vitória - Ao contrário dos imigrantes europeus, os libaneses não buscaram as propriedades agrícolas. Dedicaram-se ao comércio na Capital do ES

A grande corrente imigratória de libaneses para o Brasil ocorreu em 1914. Pressionados pela 1ª Guerra Mundial e pela dominação otomana, o resultado foi a fuga para o Brasil.

A verdade é que grupos de sírios, turcos e libaneses já viviam no Brasil desde a época colonial, uma vez que Portugal mantinha relações comerciais com esses países.

Mas foi entre os anos de 1910 e 1940 que a imigração libanesa se tornou mais expressiva.

A guerra de 1914-1918, trouxe um maior transtorno e problemas econômicos. A fome também assolou o país.

Havia também uma revolta generalizada contra os otomanos invasores.

Os libaneses se recusavam a prestar o serviço militar a esses invasores e, dessa maneira, a situação nacional, já tensa e tumultuada, mais ainda se agravou.

Chegando ao Brasil, muitos optaram por viver no Espírito Santo. E se instalaram, principalmente em Vitória, Cachoeiro de Itapemirim e Alegre.

Ao contrário dos imigrantes europeus, os libaneses não buscaram as propriedades agrícolas. Dedicaram-se ao comércio e às pequenas indústrias.

Eram os mascates que abasteciam de mercadorias os habitantes do ES. As vilas e cidades ensejavam a proliferação de pequeno comércio, como as lojas de tecidos, armarinhos, armazéns de secos e molhados.

As razões de escolha do Espírito Santo para viver estavam ligadas, principalmente, ao fato de que muitos tinham parentes no Estado. Correspondências e relatos de amigos falavam das excelentes condições de vida. Outros tinham vindo apenas de visita, mas decidiram ficar por causa dos problemas em seu país.

A imigração libanesa não foi uma imigração subvencionada pelo Governo do Líbano nem pelo Governo do Brasil. Eles viajavam por conta própria, muitas vezes ajudados por parentes e amigos já estabelecidos em terras capixabas.

Esse agrupamento junto a amigos e familiares certamente ajudava a manutenção, adaptação e segurança dos imigrantes. O vínculo do parentesco sempre foi importante para os libaneses.

Famílias de descendentes continuam hoje o trabalho iniciado pelos antepassados. Muitos contam histórias das dificuldades que enfrentaram, mas certos de que venceram os obstáculos. Ocupam um lugar de destaque nos vários ramos da atividade capixaba.

 

Fonte: Espírito Santo - História de suas Lutas e Conquistas
Autora: Neida Lúcia Moraes, 2002
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2013



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Um bacharel morando em Vitória em 1700

Um bacharel morando em Vitória em 1700

Ainda no princípio do século XVIII, Vitória já contava com um bacharel formado pela Universidade de Coimbra

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo