Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Imigrantes Libaneses

Mansão dos Neffa em Vitória - Ao contrário dos imigrantes europeus, os libaneses não buscaram as propriedades agrícolas. Dedicaram-se ao comércio na Capital do ES

A grande corrente imigratória de libaneses para o Brasil ocorreu em 1914. Pressionados pela 1ª Guerra Mundial e pela dominação otomana, o resultado foi a fuga para o Brasil.

A verdade é que grupos de sírios, turcos e libaneses já viviam no Brasil desde a época colonial, uma vez que Portugal mantinha relações comerciais com esses países.

Mas foi entre os anos de 1910 e 1940 que a imigração libanesa se tornou mais expressiva.

A guerra de 1914-1918, trouxe um maior transtorno e problemas econômicos. A fome também assolou o país.

Havia também uma revolta generalizada contra os otomanos invasores.

Os libaneses se recusavam a prestar o serviço militar a esses invasores e, dessa maneira, a situação nacional, já tensa e tumultuada, mais ainda se agravou.

Chegando ao Brasil, muitos optaram por viver no Espírito Santo. E se instalaram, principalmente em Vitória, Cachoeiro de Itapemirim e Alegre.

Ao contrário dos imigrantes europeus, os libaneses não buscaram as propriedades agrícolas. Dedicaram-se ao comércio e às pequenas indústrias.

Eram os mascates que abasteciam de mercadorias os habitantes do ES. As vilas e cidades ensejavam a proliferação de pequeno comércio, como as lojas de tecidos, armarinhos, armazéns de secos e molhados.

As razões de escolha do Espírito Santo para viver estavam ligadas, principalmente, ao fato de que muitos tinham parentes no Estado. Correspondências e relatos de amigos falavam das excelentes condições de vida. Outros tinham vindo apenas de visita, mas decidiram ficar por causa dos problemas em seu país.

A imigração libanesa não foi uma imigração subvencionada pelo Governo do Líbano nem pelo Governo do Brasil. Eles viajavam por conta própria, muitas vezes ajudados por parentes e amigos já estabelecidos em terras capixabas.

Esse agrupamento junto a amigos e familiares certamente ajudava a manutenção, adaptação e segurança dos imigrantes. O vínculo do parentesco sempre foi importante para os libaneses.

Famílias de descendentes continuam hoje o trabalho iniciado pelos antepassados. Muitos contam histórias das dificuldades que enfrentaram, mas certos de que venceram os obstáculos. Ocupam um lugar de destaque nos vários ramos da atividade capixaba.

 

Fonte: Espírito Santo - História de suas Lutas e Conquistas
Autora: Neida Lúcia Moraes, 2002
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2013



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Com o Governo-Geral, chegam o gado, o engenho real e a crítica aos donatários

Com o Governo-Geral, chegam o gado, o engenho real e a crítica aos donatários

Tomé de Sousa visitou o Espírito Santo e não gostou do que viu. Vasco Fernandes Coutinho estava fora

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Espírito Santo no Romance Brasileiro

A obra de Graça Aranha, escrita no Espírito Santo, foi o primeiro impulso do atual movimento literário brasileiro

Ver Artigo
Anotações a respeito de Frei Pedro Palácios

Nasceu em Medina do Rio Seco, na Espanha, perto de outra cidade maior, Medina Del Campo. Ambas hoje são cidades turísticas e perto da famosa Salamanca

Ver Artigo
Victória – Cidade Presépio, 1937

A linda capital do Espírito Santo. A cidade de Vitória está situada numa ilha banhada por águas do oceano Atlântico

Ver Artigo
Os cônsules no Espírito Santo

São representantes junto ao Governo do Estado, com residência nesta capital

Ver Artigo
Corpo de Bombeiros e Polícia Militar do ES

A Polícia Militar do Espírito Santo é uma das mais eficientes do Brasil. Também o é assim o Corpo de Bombeiros de Vitória

Ver Artigo