Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Lembranças do internauta

Ponta da Fruta, anos 50

Sou neto do falecido Alfeu Coutinho. Sobrevivia de apanhar madeira na Ponta da Fruta e vender na sua casa na R. São Luiz em Aribiri. O pai do Guilherme, o sr. Vitorino Rauta o conheceu. Constantemente estava por aquelas bandas, numa casa de estuque do meu avô, já demolida. Não tinha luz, ônibus e nem água encanada. Era vela ou lamparina e poço. Só existiam três comércios: do Zé Brasilício, D. Judite-mãe do Jorge Goes-ex-presidente do Tribunal de Justica e do Sampaio.

A lagoa era usada para banho de limpeza corporal e lavar roupa. A carona para ida e vinda era fornecida pelo EUSÉBIO, motorista da prefeitura de Vila Velha, e eterno técnico de futebol, numa caçamba. Joguei vários anos pelo Atlântico F.C, mesmo tendo de me deslocar de PAUL. Estas lembranças me vieram há mente com a foto da Igreja da Ponta da Fruta. Incluir há ponte Madalena, Barramar,etc. Apanhava o bonde em Paul e soltava em frente há Praça D.Caxias e seguia para o Colégio Marista. Estudei lá, ano de 1958.

Fui do tempo do Albuíno ex-governador e Ivanovitch, goleiro do Atlético. Maurinho, João Manoel, Domicio, Julio Prates (foi da minha sala) Chicô,todos médicos.

Servindo o Exército soltava defronte ao BC. Tomei muito banho na prainha em frente a entrada antiga do Convento. O CABEÇÃO ainda vive em Atayde. Quantas recordações. Enviei para muitos/as pessoas.

Encerro citando Ataulfo Alves: "Eu daria tudo que tivesse, prá voltar aos dias de criança, eu não sei prá que que a gente cresce, se não sai da mente esta lembrança". Mostrei para meus filhos/as e esposa as fotos. Infelizmente não sei se a nova geração conseguirá ter uma coisa que tivemos: SEGURANÇA. Andavamos a qualquer hora do dia ou da noite por nossa linda cidade e ninguém era assaltado ou morto.

Desculpem se tomei o precioso tempo de vocês, mas não suportei e tive que escrever estas singelas palavras.

Por: Nilo walter - Itapuã

 

LINKS RELACIONADOS:

>>  Memórias de um canela-verde
>>  Sessão Nostalgia... 
>> Reminiscências
>>
 
A última lancha da noite
>> O acordeom de Edson Quintaes 
>> Entrevista com Cabeção 



GALERIA:

📷
📷


Matérias Especiais

Coronel Bimbim

Coronel Bimbim

Com força arrasadora, o coronelismo imperou na política capixaba durante grande parte do século passado, deixando marcas profundas em nossa história. Alguns coronéis, no exercício do mandonismo local, gostavam de fazer justiça com as próprias mãos – eram implacáveis e impiedosos em suas ações punitivas

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Partido Republicano - Cisão

As divergências de interesses entre os grupos da elite capixaba ficaram nítidas no Congresso do Partido Republicano realizado em Vitória, em 1890

Ver Artigo
Clubes Republicanos

Sob o governo de Pedro II o regime parlamentar brasileiro, se não primou por grandes arrancadas de progresso material, foi contudo uma verdadeira democracia

Ver Artigo
Comparações e fatos alusivos a Proclamação da República

Discurso proferido por Robero Brochado Abreu, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha - Casa da Memória, durante as comemorações da Proclamação da República

Ver Artigo
Canudos e a consolidação da República - Por Hélio Athayde

Os brasileiros ainda questionam a sua forma e o seu sistema de governo, vergados sob o imenso peso de um “complexo de culpa coletivo”, que parece continuar rondando os seus espíritos

Ver Artigo
Proclamação da República

Embora as idéias republicanas já fossem agitadas no Brasil desde o período colonial sua propaganda ganhou força com a fundação do Partido Republicano, após a Convenção Republicana de Itu, 1870

Ver Artigo