Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Luiz Buaiz - Um médico admirável

Hoje, qual médico poderia ombrear com Luiz Buaiz? Um breve balanço de sua atuação aponta uma série invejável de realizações. Ele construiu sua trajetória buscando o bem e a perfeição, traduzindo uma admirável forma de viver que tem sido a sua marca ao longo da vida, como atestam o seu dia-a-dia como médico e a sua passagem nos diversos cargos administrativos que ocupou.

Luiz Buaiz cursou Medicina no Rio de Janeiro e retornou a Vitória em 1947. Pouco depois já estava atendendo em seu consultório, na Avenida Presidente Florentino Avidos, no mesmo prédio onde seu irmão Benjamin também atendia seus pacientes, e atuando na Santa Casa de Misericórdia. Um ano depois, aprovado em primeiro lugar em concurso, estaria no Centro de Saúde, da mesma maneira: com dedicação, generosidade e alegria, e fazendo um trabalho preventivo da mais alta importância. Hoje, aos 91 anos, Luiz Buaiz continua a trabalhar, dividindo os dias da semana entre dois consultórios.

Da época em que foi montado o seu consultório, Dr. Luiz traz guardado um exemplo inesquecível dado pelo Sr. Alexandre: “Meu pai me deu lições importantes. Material hospitalar, é caro. Ele me perguntou o que precisava para montar meu consultório, e eu disse: um equipamento de radioterapia superficial. Seria o primeiro do Espírito Santo e custava 130 contos de réis. Eu ganhava um conto de réis por mês, do Estado. Meu pai então separou 30 contos de réis para a entrada, e abriu uma conta corrente na firma e debitou os 30 contos de réis no meu nome. E me disse que todo mês eu depositasse o quanto eu conseguisse economizar. Terminado de pagar o aparelho, eu tinha 57 contos de réis na conta. Esse dinheiro, então, ele disse que era meu. Ele me ensinou, assim, a economizar.”

Em Vitória, Luiz Buaiz tem deixado a sua marca em vários lugares. Ele dirigiu o Instituto de Assistência e Previdência dos Comerciários (IAPC), foi médico do Ipase, do IAPI, do Iapetc. Coordenou a unificação dos vários institutos de previdência no Espírito Santo, quando o Governo Federal criou o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS). Foi um dos fundadores do Conselho Regional de Medicina no estado (CRM-ES) em 1958, e esteve à frente deste, como presidente, por 15 anos.

Ao lado de Arabelo do Rosário, conseguiu concretizar o sonho de criar o Instituto Braille. Na Santa Casa de Misericórdia, foi provedor durante 14 anos. Além disso, esteve à frente da Secretaria de Estado da Saúde.

Uma preocupação que sempre demonstrou ter foi a de garantir que seus colegas tivessem um lugar para exercer a profissão. Cuidou para que isso fosse realidade por onde passou e ainda hoje continua a interferir para conseguir nomeações. O médico Délio Delmaestro fala dessa característica de “dar força para os novos profissionais”, recordando que na clínica que chegou a ter em parceria com Buaiz e com o também dermatologista Douglas Puppin, todo médico recém-formado tinha lugar. Era só alguém concluir a faculdade que Luiz Buaiz perguntava aos colegas coproprietários se o novo profissional poderia atuar ali. Ninguém dizia não. Ninguém se importava se o Dr. Luiz fosse o responsável pela indicação, mas para que isso acontecesse, as horas trabalhadas, e também as remunerações dos demais, eram diminuídas.

 

PRODUÇÃO

 

Copyright by © Luiz Buaiz – 2012

 

Coordenação do Projeto: Angela Buaiz

 

Captação de Recursos: ABZ Projetos

 

Texto e Edição: Sandra Medeiros

 

Colaboraram nas entrevistas:

Leonardo Quarto

Angela Buaiz

Ruth Vieira Gabriel

 

Revisão: Herbert Farias

 

Projeto e Edição Gráfica: Sandra Medeiros

 

Editoração Eletrônica: Rafael Teixeira e Sandra Medeiros

 

Digitalização: Shan Med

 

Tratamento de Imagens: TrioStudio; Shan Med

 

Fonte: Luiz Buaiz, biografia de um homem incomum – Vitória, ES – 2012
Autora: Sandra Medeiros
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2020

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Agapito - Por Sérgio Figueira Sarkis

Agapito, nos idos tempos das décadas de 30 e 40, era uma figura folclórica de Vitória. Pau pra toda obra!

Ver Artigo
Fugas, Revoltas e Quilombos - As Lutas Contra a Escravidão

O uso de cabelos grandes, tanto do tipo black power, quanto do tipo “rastafári”, têm sido sinônimo de rebeldia, conscientização negra

Ver Artigo
República não trouxe a estabilidade desejada

No ano da Proclamação da República o Espírito Santo estava dividido em 14 Municípios, 4 cidades e 10 Vilas

Ver Artigo
Luiz Buaiz - Um homem insubstituível

Sempre presente e extremamente generoso, a sua maneira de cuidar é incomparável e única

Ver Artigo
Viagem ao Espírito Santo (1888) - Princesa Teresa da Baviera (PARTE I)

A bordo do Maria Pia, sábado, 25 de agosto. Do Rio de Janeiro para o Espírito Santo

Ver Artigo