Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Maraçapeba ou Maria Sapeba – Por Maria Stella Novaes

Fonte: http://evoluahomosapiens.blogspot.com.br/

É um peixe muito conhecido, em Vitória. Chama-se, igualmente, linguado. Parece uma grande fina e tem a boca torta

Segundo a sabedoria popular, o "defeito" resultou de um castigo à insolência do peixe, porque "arremedou" Nossa Senhora, quando estava no mundo e precisava atravessar um canal pedregoso, durante a maré baixa.

O peixe estava apanhando Sol, reclinado numa pedra, à flor-d'água. A Virgem perguntou-lhe:

— Maraçapeba, a maré sobe, ou desce?

O linguado, assim chamado pela forma apresentada, respondeu-lhe, desdenhoso, repetindo a pergunta, como se criticasse da Virgem.

Desde então, ficou de boca torta.

Há variantes dessa lenda.

O Des. Afonso Cláudio diz que "quando Jesus Cristo andou pelo mundo, certa vez, no mar, em companhia de São Pedro, desejou saber que horas seriam, porque a maré parecia não encher nem vazar.

São Pedro, vendo-o assim, tão preocupado, lhe disse:

— Senhor, qualquer peixe dirá que horas serão, porque todos eles têm as horas de suas refeições marcadas.

Jesus, ouvindo-o, passou os olhos pelo mar e, vendo um linguado ou maraçapeba à superfície, indagou:

- Maraçapeba, a maré enche ou vaza?

O peixe por inqualificável desdém, procurou imitar a voz do Salvador e fazendo um trejeito, como quem torce o queixo para um lado, reproduziu a pergunta, sem lhe dar resposta. Então, Jesus, assim falou:

- De hoje em diante, como pena à zombaria e afronta que fizeste ao teu Criador, te arrastarás, na lama, como uma folha que o vento arrasta ao lado, para granjear o teu sustento, e a tua boca será torta, a fim de que todos os teus irmãos te evitem e contigo jamais se confundam.

 

Fonte: Lendas Capixabas, 1968
Autora: Maria Stella de Novaes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2015

Folclore e Lendas Capixabas

Apreciação do livro de Dna Glorinha - Por Eurípides Queiroz do Valle

Apreciação do livro de Dna Glorinha - Por Eurípides Queiroz do Valle

"A Professora Maria da Glória de Freitas Duarte teve a delicadeza de confiar-me, ainda no original dactilografado, o estudo que empreendeu sobre o “Folc.-lore de Vila Velha”

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Judeu Pescador ou Lenda de Brás Gomes - Por Maria Stella de Novaes

Brás Gomes, o pescador, desejoso de preparar-lhe um oratório, ou lugar adequado, conservava-o numa caixa de madeira, que lhe servia de banco, em sua casa

Ver Artigo
O Penedo - Por Adelpho Monjardim

Defrontando o antigo Forte de São João, sede atual do “Clube de Regatas Saldanha da Gama”, ergue-se o Penedo

Ver Artigo
Crendices, Orações e Benzimentos

As orações, rezas, benzimentos, e responsos eram muito usados pelos nossos antepassados. E nesse gênero também, o nosso folclore é rico

Ver Artigo
Simpatias de São João

Um santo muito comemorado no mês de junho é São João. Esse santo é o responsável pelo título de "santo festeiro"

Ver Artigo
Contos e Estórias - Por Maria da Glória de Freitas Duarte

Da Vila Velha do passado muito se tem o que contar. Dentre os inúmeros contos e estórias conhecidos das gerações passadas e quase sempre de fundo religioso, selecionamos os seguintes:

Ver Artigo